AVALIAÇÃO DA ANSIEDADE ODONTOLÓGICA DE CRIANÇAS SUBMETIDAS AO TRATAMENTO ODONTOLÓGICO

  • Tatiane Araújo Ribas UnicenP-Pr
  • Vanessa Passos Guimarães UnicenP-Pr
  • Estela Maris Losso lossoem@gmail.com

Resumo

Embora a literatura relate uma associação entre ansiedade materna e infantil em crianças de idade pré-escolar, esta relação não está estabelecida em crianças maiores. O objetivo deste trabalho foi avaliar o nível de ansiedade odontológica das crianças em idade escolar e das mães, verificando se há uma correlação da ansiedade materna e infantil, bem como se a ansiedade dental tem relação com o procedimento realizado (com ou sem o uso de anestesia local). Para isto foi aplicado o questionário de Ansiedade Dental de Corah em 54 crianças, com idade de 8 a 12 anos e suas mães. Mais de cinquenta por cento das crianças e das mães foram classificadas como levemente ansiosas. Não houve diferença de ansiedade dental entre os meninos e meninas. Crianças que foram ou não submetidas a tratamento anterior com anestesia local apresentaram o mesmo nível de ansiedade. Houve uma correlação negativa entre a ansiedade dental das crianças e das mães. Concluiu-se que a maioria das crianças e mães apresenta ansiedade dental leve, não existindo diferença na ansiedade dental em função do sexo da criança e do emprego de anestesia local. Finalmente, diverso do esperado, mães com elevada ansiedade dental não têm crianças com elevada a ansiedade dental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiane Araújo Ribas, UnicenP-Pr
Graduandas em Odontologia do UnicenP-Pr
Vanessa Passos Guimarães, UnicenP-Pr
Graduandas em Odontologia do UnicenP-Pr
Estela Maris Losso, lossoem@gmail.com
Mestre e Doutora em Odontopediatria FO-USP-SP, Professora Titular de odontologia da Infância- UnicenP-Pr.

Referências

1 Lewis A. Problems presented by the ambigous word Anxiety as used in
Psychopathology. Israel Annals Psychiatry Related Disciplines.1967;5:105-
121, apud Gentil V. Ansiedade e transtornos ansiosos In:Gentil V.;Lotufo-Neto
F. Pânico, Fobias e Obsessões.São Paulo,Edusp,1994.
2 Aragone PN, Vicente SP. Aspectos psicológicos na clínica odontopediátrica
aplicados à relação criança x família x dentista. J. Brasileiro de Odontopediatria e Odontologia do Bebê. 1999; 2:23-27.
3 Freeman RF. Dental anxiety:a multifactorial aetiology. apud Cardoso CL,
Loureiro SR, Nelson-Filho P. Tratamento odontopediátrico: manifestações de
estresse em pacientes, mães e alunos de odontologia. Pediatric Dentistry.
2004;18:150-155.
4 Cordeiro RCL, Josgriiberg EB. Aspectos psicológicos do paciente infantil no
atendimento de urgência. Revist.Odontologia.clin.cientif. 2005; 4:13-18.
5 Johnson R, Baldwin D. Maternal anxiety and child behavior. ASDC J. Dent.
Child. 1969; 36:87-92.
6 Bailey PM, Talbot MA, Taylor PP. A comparison of maternal anxiety levels
manifested in the child dental patient. ASDC J. Dent. Child. 1973; 197:25-32.
7 Sexton J, Mourino AP, Browntein MP. Children’s behavior in emergency and
non-emergency dental situations. J Pediatr. Dent. 1993; 17:61-63.
8 Klinberg G, Berggren U, Carlsson SG, Norén JG. Child dental fear: causerelated
factors and clinical effects. Eur J Oral Sci. 1995; 103:405-412.
9 Wright GZ, Alpern GD, Leake JL. A cross-validation of the variables affecting
children’s cooperative behavior. J. Can Dent Assoc. 1973; 40:265-275.
10 Johnson R, Baldwin D. Relationship of maternal anxiety to the behavior of
young children undergoing dental extraction. J. Dent. Res. 1968; 47: 801- 805.
11 Johnson R. Maternal influence on child behavior in the dental setting. Psychiatr. Med. 1971; 2:221-228.
12 Singh KA, De Moraes ABA, Bovi Ambrosano GM. Medo, ansiedade e controle relacionados ao tratamento odontológico. Pesq. Odont. Bras. 2000; 14:131-136.
13 Corah NL, Gale EN, Illig SI.. Assessment of a dental anxiety scall. J.Am.Dent.Assoc. 1978; 97:816-819.
14 Liddell A.,Rabinowitz E M., Peterson C. Relationship between age changes in children’s dental anxiety and perception of dental experience. Cognitive Teraphy and research.1997; 21:619-63.
Publicado
2016-03-02
Como Citar
Ribas, T. A., Guimarães, V. P., & Losso, E. M. (2016). AVALIAÇÃO DA ANSIEDADE ODONTOLÓGICA DE CRIANÇAS SUBMETIDAS AO TRATAMENTO ODONTOLÓGICO. Arquivos Em Odontologia, 42(3). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3394
Seção
Artigos