CADERNO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS
Agrarian Sciences Journal
Uso e ocupação do solo de duas sub-bacias hidrográficas no município de Domingos
Martins, estado do Espírito Santo
Tiago Oliveira de Aguilar
1
, Caio Henrique Ungarato Fiorese
2
*
Resumo
O objetivo do trabalho foi estudar o uso e ocupação das terras das bacias hidrográficas do Córrego dos Cavalos (BHCC)
e do Córrego São Floriano (BHCSF), bem como propor sugestões para melhorias locais. Os procedimentos ocorreram no
programa ArcMap, utilizando o GEOBASES/ES como base de dados cartográfica. Foram delimitadas as bacias gerando
inicialmente o Modelo Digital de Elevação, obtendo a rede hidrográfica local. No GEOBASES/ES, foram adquiridos
dois arquivos (shp) de uso de solo para o estado do Espírito Santo nos mapeamentos dos anos 2007-2008 e 2012-
2015 para, posteriormente, delimitar as Áreas de Preservação Permanente (APP) e o estudo dessas bacias conforme
a literatura. Há maior predominância de vegetação nativa, que apresentou redução na BHCC, sendo um fator preo-
cupante. As culturas temporárias tiveram boa representatividade, e a macega apresentou crescimento, constituindo
um problema quanto ao manejo do uso de solo. A silvicultura (eucalipto; pinus) apresentou crescimento, inclusive
nas APPs, que sofreram redução da vegetação nativa, mas tiveram redução de pastagem. Medidas como implantação
de agroflorestas em detrimento a monocultura, manejo adequado da silvicultura, agricultura e pastagem e educação
ambiental são fundamentais. Para futuros estudos, analisar a evolução da silvicultura e monitorar os cursos hídricos.
Palavras-chave: Área de preservação permanente. Cobertura da terra. Geoprocessamento. Gestão territorial. Impactos
ambientais.
Land use and occupation of two hydrographic sub-basins in the municipality of Domingos
Martins, state of Espírito Santo
Abstract
The objective of this work was to study the use and occupation of the lands of the Cavalos Stream (BHCC) and São
Floriano Stream (BHCSF) watersheds, as well as to suggest suggestions for local improvements. The procedures were
performed in the ArcMap program, using GEOBASES/ES as a cartographic base. The basins were delimited, initially
generating the Digital Elevation Model, obtaining the local hydrographic network. In GEOBASES/ES, they were
acquired in two land use files (shp) for the state of Espírito Santo in the mappings of the years 2007-2008 and 2012-
2015, to later define the Areas of Permanent Preservation (PPA) and study of these basins according to the literature.
There is a greater predominance of native vegetation, which presented a reduction in BHCC, being a worrying factor.
Temporal crops presented good representativeness and the macega presented growth, constituting a problem in the
land use management. The silviculture (eucalyptus; pinus) presented growth, even in PPAs, which suffered reduction
of native vegetation, but presented pasture reduction. Measures such as the implementation of agroforestry systems to
the detriment of monoculture, proper management of forestry, agriculture and pasture, and environmental education
are fundamental. For future studies, analyze the evolution of forestry and monitor watercourses.
Keywords: Permanent preservation area. Earth coverage. Geoprocessing. Territorial management. Environmental
impacts.
1
Instituto Federal do Espírito Santo, Alegre - ES. Brasil.
https://orcid.org/0000-0003-2341-3556
2
Centro Universitário São Camilo, Cachoeiro de Itapemirim - ES. Brasil.
https://orcid.org/0000-0001-6866-0361
*Autor para correspondência: caiofiorese@hotmail.com
Recebido para publicação em 02 de novembro de 2019. Aceito para publicação em 10 de dezembro de 2019.
e-ISSN: 2447-6218 / ISSN: 2447-6218 / © 2009, Universidade Federal de Minas Gerais, Todos os direitos reservados.
de Aguilar, T. O.; Fiorese, C. H. U.
2
Cad. Ciênc. Agrá., v. 11, p. 01–10, 2019. e-ISSN: 2447-6218 / ISSN: 1984-6738
Introdução
Através do crescimento demográfico e da evo-
lução tecnológica, foram intensificadas várias atividades
antrópicas, causando modificações no espaço geográfico,
resultadas de atitudes irracionais no que tange à ocupação
de terras, gerando um processo de desequilíbrio ambiental
(Lopes et al., 2016).
O uso e ocupação dos solos podem afetar di-
retamente a qualidade e disponibilidade dos recursos
hídricos, em função da acelerada urbanização, supressão
da vegetação nativa ou da agropecuária, sendo que os
impactos ambientais negativos variam conforme o solo,
nutrientes, contaminantes metálicos e transporte de se-
dimentos, por exemplo (Cornelli et al., 2016). Assim,
alteram sensivelmente os processos físico-químicos e
biológicos dos espaços naturais (Menezes et al., 2016).
Os impactos ambientais em bacias hidrográficas
podem ser mitigados por meio do monitoramento do uso
e cobertura do solo considerando informações espaço-
-temporais acerca das alterações na paisagem (Coelho
et al., 2014). Dessa forma, estudos que objetivam diag-
nosticar as condições do ambiente natural e analisar a
sua dinâmica, podem contribuir na gestão sustentável
dessas regiões (Moraes et al., 2018).
De acordo com Chuerubim e Pavanin (2013), as
bacias hidrográficas podem ser adotadas como unidades
de planejamento, permitindo tomadas de ações conjuntas
entre instituições de ensino, pesquisa e governos, bene-
ficiando diretamente a população e o meio ambiente
locais. Leal (2012) enfatiza a relevância dos estudos em
nível de bacias hidrográficas na compatibilização do uso
e ocupação de solo nessas regiões com a disponibilidade
hídrica, sendo um meio de atingir a sustentabilidade
econômica, social e ambiental. a adoção de unidades
menores da bacia hidrográfica (as chamadas sub-bacias)
facilita, por razões técnicas e estratégicas, o seu planeja-
mento (Lopes et al., 2016).
O geoprocessamento é um importante conjunto
de ferramentas capaz de reunir a cartografia e o arma-
zenamento de dados, permitindo tratar e analisar as
informações, de maneira integrada, por meio de pro-
gramas computacionais relacionados a um Sistema de
Informações Geográficas (SIG) (Sebusiani e Bettine,
2011) que, por sua vez, auxilia na produção de mapas
para melhor compreensão da realidade e na divulgação
dos resultados alcançados, podendo contribuir na reso-
lução de problemas (Criado e Piroli, 2012). Pessoa et al.
(2013) destacam que os mapas de uso de solo podem
ser usados pelos órgãos públicos fiscalizadores, a fim de
identificar áreas em conflito com uso de solo.
Diante da relevância da temática discutida e,
com auxílio de geotecnologias, o objetivo deste estudo
foi avaliar o uso e ocupação das terras das sub-bacias
hidrográficas dos Córregos São Floriano e dos Cavalos,
afluentes do rio Jucu Braço Sul (ES), como forma de
subsidiar melhorias nas áreas estudadas em termos de
conservação dos solos e gestão territorial.
Materiais e Métodos
Os locais de estudo foram a sub-bacia hidrográ-
fica do Córrego dos Cavalos (sigla BHCC) e a sub-bacia
hidrográfica do Córrego São Floriano (sigla BHCSF).
Ambas são localizadas no município de Domingos Martins,
na região Serrana do estado do Espírito Santo, e fazem
parte da bacia hidrográfica do rio Jucu Braço Sul e são
de grande importância para a região do referido estado,
pois é um dos principais mananciais que abastecem a
Região Metropolitana da Grande Vitória, além de garantir
boa parte da energia elétrica produzida no estado do
Espírito Santo. O clima na região é Aw, de acordo com
a classificação de Köppen, ou seja, tropical úmido com
estação seca no inverno e chuvosa no verão (Alvares et
al., 2013). A Figura 1 mostra a localização da região
estudada.
A base de dados utilizada foi o Sistema Integrado
de Bases Geoespaciais do Estado do Espírito Santo (GEO-
BASES), que forneceu arquivos, em formato shapefile
(shp), acerca das curvas de nível da região em estudo. Os
procedimentos foram executados no programa ArcMap, na
versão 10.2.2, para delimitação das bacias hidrográficas.
Tendo adicionados os arquivos adquiridos no GEOBASES,
foi gerado um Modelo Digital de Elevação (MDE) da área.
Com auxílio do Arc ToolBox, foi, a princípio, corrigido
o MDE gerado, a fim de preencher as depressões que
podem “interromper” o fluxo d’água da drenagem local
e preparar o banco de dados necessário para as etapas
posteriores. Em seguida, foram delimitados, respectiva-
mente, a direção (flow direction) e o acumulado (flow
accumulation) da drenagem da região. Para vetorizar
os canais de drenagem traçados, foi utilizado o recurso
com, da tabela de ferramentas, utilizando um valor com
boa precisão para o fluxo de drenagem. Valores muito ou
pouco precisos trazem resultados exorbitantes, fugindo,
assim, da realidade mais próxima. Assim, foi possível
gerar a rede hidrográfica da região.
Para delimitar as sub-bacias hidrográficas estu-
dadas, foram demarcados dois pontos (para cada bacia)
mais próximos aos exutórios, no rio Jucu Braço Sul para,
adiante, o uso da ferramenta watershed. Com isso, foram
geradas as duas sub-bacias hidrográficas, convertidas,
posteriormente, em polígono (formato shapefile).
Ainda com auxílio do GEOBASES, foram adqui-
ridos dois arquivos acerca do uso e ocupação de solo
para todo o estado do Espírito Santo, em mapeamentos
realizados nos anos de 2007 a 2008 e 2012 a 2015,
ambos feitos em escala igual a 1:25000 e resolução es-
pacial de 0,25 m e 1 m, respectivamente. Em layout do
ArcMap, com auxílio do recurso clip, os arquivos de uso