CADERNO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS
Agrarian Sciences Journal
Potencial acaricida do extrato de folhas de Xylopia emarginata Mart. contra larvas de
Rhipicephalus microplus
Juliana Pimenta Cruz
1
*; Viviane de Oliveira Vasconcelos
2
; Patrícia Conceição Medeiros
3
; João Carlos Figueire-
do
4
; Yule Roberta Ferreira Nunes
5
; Eduardo Robson Duarte
6
; Ana Paula venuto
7
DOI: https://doi.org/10.35699/2447-6218.2021.34636
Resumo
O objetivo desse trabalho foi avaliar a ação carrapaticida in vitro do extrato etanólico (EE) de folhas de Xylopia
emarginata Mart. com diferentes teores de taninos sobre larvas de R. microplus. Para isso, as folhas de X. emarginata
foram coletas mensalmente durante o período de 12 meses para avaliar a produção de taninos através da técnica de
solvólise catalisada por butanol/HCl. Para avaliar a eficácia do EE, foi realizado o teste do pacote de larvas (TPL) com
leitura no intervalo de 24 horas de incubação utilizando as concentrações de 25 a 100 mg mL
-1
, o controle negativo
contendo água destilada e o controle positivo contendo carrapaticida químico. Observou-se que o EE contendo 5,9%
de teor de taninos promoveu 80,44% de mortalidade na concentração de 100 mg mL
-1
. O EE contendo 13,2% de teor
de taninos promoveu 97,43% de mortalidade a 100 mg mL
-1
. Dessa forma, constatou-se alta atividade larvicida dos
extratos etanólicos de folhas de X. emarginata sobre larvas de R. microplus e essa atividade pode estar relacionada
aos teores de taninos.
Palavras-chave: Annonaceae. Carrapato bovino. Fitoterapia. Taninos.
Acaricide potential of Xylopia emarginata Mart. leaf extract against Rhipicephalus
microplus larvae
Abstract
The objective of this work was to evaluate the in vitro carrapaticidal action of ethanol extract (EE) of Xylopia emarginata
leaves Mart.com different tannin contents on R. microplus larvae. For this, as leaves of X. emarginata were collected
monthly during the period of 12 months to evaluate the production of tannins through the solveylysis technique
catalyzed by butanol/HCl. To evaluate the efficacy of EE, the larvae bundle test (TPL) was performed with reading
in the interval of 24 hours of incubation using concentrations of 25 to 100 mg mL
-1
, the negative control containing
distilled water and the positive control containing chemical carrapaticide. It was observed that the EE containing 5.9%
tannin content promoted 80.44% mortality at the concentration of 100 mg mL
-1
. The EE containing 13.2% tannin
1
Universidade Estadual de Montes Claros. Montes Claros, MG. Brasil.
https://orcid.org/0000-0001-5115-3136
2
Universidade Estadual de Montes Claros. Montes Claros, MG. Brasil.
https://orcid.org/0000-0001-5126-31204
3
Instituto Federal de Minas Gerais. Januária, MG. Brasil.
https://orcid.org/0000-0002-2949-39406
4
Universidade Estadual de Montes Claros. Montes Claros, MG. Brasil.
https://orcid.org/0000-0001-6453-8684
5
Universidade Estadual de Montes Claros. Montes Claros, MG. Brasil.
https://orcid.org/0000-0003-3328-7506
6
Universidade Federal de Minas Gerais. Montes Claros, MG. Brasil.
https://orcid.org/0000-0002-2205-9412
7
Universidade Estadual de Montes Claros. Montes Claros, MG. Brasil.
https://orcid.org/0000-0002-3103-7063
*Autor para correspondência: JulianaPimenta97@outlook.com
Recebido para publicação em 25 de Junho de 2021. Aceito para publicação 30 de Junho de 2021
e-ISSN: 2447-6218 / ISSN: 2447-6218 / © 2009, Universidade Federal de Minas Gerais, Todos os direitos reservados.
Cruz, J. P. et al.
2
Cad. Ciênc. Agrá., v. 13, p. 01–05, https://doi.org/10.35699/2447-6218.2021.34636
content promoted 97.43% mortality at 100 mg mL
-1
. Thus, high larvicidal activity of ethanol extracts of leaves of X.
emarginata on Larvae of R. microplus was verified and this activity may be related to tannin contents.
Keywords: Annonaceae. Bovine tick. Phytotherapy. Tannins.
Introdução
O Rhipicephalus microplus representa um dos
ectoparasitas mais importantes para a bovinocultura.
Esse carrapato é responsável por elevadas perdas eco-
nômicas na cadeia produtora de leite, carne e couro,
podendo ocasionar o óbito (Roy et al., 2017). Além disso,
as hemoparasitoses transmitidas por esse vetor compõe
um complexo de enfermidades de importância em saúde
pública como a babesiose humana (Hajdulek et al., 2013).
O principal método de controle desse parasito é
o químico. Entretanto, o uso indiscrimidado dos produtos
carrapaticidas tem favorecido a resistência, inviabilizan-
do assim o controle efetivo, com aumento de risco de
contaminação ambiental e os produtos finais de origem
animal como carne e leite (Guerrero et al., 2012). A busca
por métodos de controle alternativos para o carrapato é
uma estratégia fundamental para a criação de bovinos
em condições tropicais (Webster et al., 2015).
Muitos metabólitos secundários de plantas têm
sido utilizados no controle alternativo para minimizar os
impactos causados pelos produtos químicos (Wiesbrook,
2004). O bioma Cerrado possui ampla diversidade de
flora contendo compostos e moléculas importantes com
principio ativos que podem ser utilizados no controle de
ectoparasitos (Bahia et al., 2009). A família Annonaceae
é abundante nesse bioma. O gênero Xylopia, pertencente
a essa familia (Marimon-Junior e Haridasan, 2005) é
reconhecido por apresentar propriedades antimicrobiana,
acaricida, inseticida e nematicida (Konning et al., 2004),
entretanto ainda não é conhecida sua atividade contra
carrapatos. Uma das espécies identificadas no Brasil é
Xylopia emarginata Mart. conhecida como “pindaíba-reta”,
que pode ser encontrada em lugares brejosos e em ma-
tas ciliares, principalmente nos estados da Bahia, Minas
Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul e São Paulo (Lorenzi,
1992).
Neste estudo, o objetivo foi avaliar o efeito car-
rapaticida in vitro do extrato etanólico das folhas de Xy-
lopia emargianata contendo diferentes teores de taninos
condensados contra larvas de Rhipicephalus microplus.
Material e métódos
Obtenção dos extratos etanólicos
O material vegetal foi composto por folhas de X.
emarginata coletadas no município de Bonito de Minas,
no norte de Minas Gerais, na vereda Almescla (coorde-
nadas 45°95’W,15°88’Se43°95’W,14°40”S). As amostras
foram coletadas mensalmente no período de junho e
setembro de 2018. As exsicatas foram depositadas no
Herbário Montes Claros, voucher 6774 e a espécie foi
identificada considerando as caracteristicas descritas em
Lorenzi (1992).
As folhas foram selecionadas e foram descartadas
aquelas com deteriorações. O material foi desidratado em
estufa a 40°C por 72 horas, e trituradas com o auxílio
de um triturador (Di Grano MDR - 302, Marca, estado,
pais). O foi armazenado em temperatura ambiente e
em sacos de papel para evitar incidência de luz.
O extrato etanólico (EE) foi obtido por meio da
submersão de 100g de material vegetal em 1000 mL de
etanol PA (álcool etílico), em recipientes de vidro âmbar,
conservados em local escuro e por sete dias. Os extratos
foram filtrados em funil,com gaze e algodão e levados à
estufa de circulação forçada de ar a 40°C, até a obtenção
de peso constante (Nery et al., 2010). Os extratos secos
foram removidos e armazenados em frascos escuros e
as subalíquotas foram submetidas ao determinador de
matéria seca (Association of Official Analytical Chemists
- AOAC, 1990) (mg mL
-1
) a 105°C para cálculo das con-
centrações avaliadas.
A deteminação dos teores totais de taninos con-
densados (proantocianidinas) foi avaliada ao longo do
período amostral, de acordo com Medeiros et al. (2019),
após solvólise catalisada por ácido com n-BuOH/HCl 37%
(95:5), seguindo metodologia descrita por Hiermann et
al. (1986). Constatou-se que o EE de folhas coletadas em
junho e setembro apresentaram 13,2% e 5,9% de teores
de taninos condensados, respectivamente (Medeiros et
al., 2019).
Eficácia dos extratos contra larvas de R. microplus:
teste do pacote de larvas (TPL)
Para o experimento, foram utilizadas larvas de 15
a 28 dias pós-eclosão, provenientes de infestação natural
em bovinos provenientes de uma propriedade rural de
Bocaiúva-MG. Esses animais não tiveram contato com
carrapaticida por aproximadamente 30 dias.
Os extratos foram avaliados nas concentrações
25, 50, 75 e 100 mg mL
-1
. Como controle negativo foi
utilizado água purificada e a solução de Cipermetrina
a 0,025 mg mL
-1
(Butox MSD Saúde Animal, São Paulo
Brasil) como controle positivo. Os procedimentos foram
realizados em quatro repetições.
Potencial acaricida do extrato de folhas de Xylopia emarginata Mart. contra larvas de Rhipicephalus microplus
3
Cad. Ciênc. Agrá., v. 13, p. 01–05, https://doi.org/10.35699/2447-6218.2021.34636
Os testes foram realizados de acordo com Stone e
Haydock (1962), inserindo-se aproximadamente 50 larvas
em pacotes confeccionados de papel filtro (Whatmann
no1) de 6 x 6 cm para cada repetição. Posteriormente,
os pacotes foram vedados com grampos e impregnados
pelas soluções. Cada grupo de repetições foi depositado
em placas de Petri. As larvas incubadas foram acondicionas
em estufa a 28°C e aproximadamente 70% de umidade
relativa por 24 horas. Após esse período os pacotes foram
abertos sobre uma superfície branca, e as larvas vivas e
mortas foram quantificadas.
Análises estatísticas
O estudo foi realizado em delineamento intei-
ramente casualisado comparando-se com o controle ne-
gativo contendo água e o controle positivo contendo
cipermetrina.
O número relativo de larvas mortas sobre o nú-
mero total de larvas foi utilizado para análise de variân-
cia e as médias comparadas pelo teste de Scott-Knott
com 5% de significância em delineamento inteiramente
casualizado. As concentrações letais para matar 90% de
larvas (CL90) foram estimadas pela análise de regressão
probit do pacote estatístico Saeg 9.1.
Resultados e discussão
Os resultados consistem na primeira verificação
da atividade acaricidade de EE de folhas de X. emarginata
frente a larvas de R. microplus. O EE extraído de folhas
coletadas durante o mês de setembro (5,9% de teor de
taninos) promoveu 80,44% de mortalidade larval na
concentração 100 mg mL
-1
(p≤0,05) (Tabela 1). A CL90
para esse extrato foi de 44,08 mg mL
-1
(Figura 1a). O EE
extraído de folhas coletadas do mês de junho (13,2% de
teor de taninos condensados) promoveu taxas de morta-
lidade larval entre 96,43 a 97,43% nas concentrações de
75 e 100 mg mL
-1
respectivamente e que foram superiores
ao controle contendo água destilada (p≤0,05) (Tabela
1). ACL90 para esse extrato foi de 41,54 mg mL
-1
(Figura
1 b).
Tabela 1 Mortalidade larval de Rhipicephalus microplus tratados com extrato etanólico de folhas de Xylopia emarginata
com 5,9% e 13,2% deteor de taninos condensados.
Tratamentos Taninos condensados Taninos condensados
(mg mL-1) (5,9%) (13,2%)
100 80,44 Bb 97,43 Aa
75 77,28 Bb 96,43 Aa
50 74,23 Ba 75,49 Ba
25 7,97 Cb 51,24 Ca
Água estéril 0 Da 0 Da
Cipermetrina* 100 Aa 100 Aa
CV(%)** 15 10
* Cipermetrina 0,025 mg /mL (ButoxMSD Saúde Animal, São Paulo Brasil).
**Coeficiente de variação (%)
Letras maiúsculas distintas indicam diferença significativa (p < 0,05) entre os tratamentos e minúsculas indicam diferença significativa (p < 0,05)
entre as diferentes concentrações de tanino, por teste de Scott-Knott a 5%.
Ao analisar a eficácia entre os diferentes extratos
em relação aos teores de taninos, observou-se diferença
significativa nas concentrações de 100, 75 e 25 mg mL
-1
dos extratos contenho 13,2% de teor de tanino, sendo
estatisticamente superior a eficácia dos extratos com
5,9% de teor de taninos.
Sabe- se que os taninos condensados são impor-
tantes no controle de parasitos pois essas substâncias
são classificadas como redutores digestivos, com efeito
proporcional à concentração (Monteiro et al., 2011).
Reduzem significativamente o crescimento e a sobre-
vivência de artrópodes, uma vez que inativam enzimas
digestivas e criam um complexo de taninos-proteínas de
difícil digestão (Mello e Silva-Filho, 2002).
Segundo Fernández -Salas (2011), extratos eta-
nólicos de plantas ricas em tanino como Acacia pennatula,
Piscidia piscipula, Leucaena aleucocephala e Lysiloma latisi-
liquum representam alternativa promissora para o controle
de R. microplus. Entretanto, Vasconcelos et al. (2018)
observaram que presença de níveis baixos de taninos
em extratos etanólicos de Ximenia americana, Piptadenia
viridiflora e Schinopsis brasiliensis também promoveram
eficácia acaricida contra teleóginas de Dermacentor nitens
nas concentrações de 100 e 150 mg mL
-1
, indicando que
outros metabólitos tambem poderiam participar com o
efeito acaricida.
O potencial acaricida de Annonacea pôde ser
comprovado em estudo de Broglio-Micheletti (2009),
que avaliou o extrato etanólico das sementes de Annona
Cruz, J. P. et al.
4
Cad. Ciênc. Agrá., v. 13, p. 01–05, https://doi.org/10.35699/2447-6218.2021.34636
muricata na concentração de 2% verificando 100% de
eficácia para mortalidade de teleóginas de R. microplus.
O extrato aquoso da casca do fruto de Annona squamosa
apresentou atividade larvicida contra R. microplus, sendo
observadas mortalidades de 92 e 100% nas concentrações
de 1.500 e 2.000 ppm, respectivamente (Madhumitha
et al., 2012).
Figura 1 – Porcentagerm de sobrevivência de larvas de Riphicephalus microplus em função da concentração do extrato
etanólico de folhas de Xylopia emarginata com 5,9% (a) e 13,2% (b) de teor de tanino.
Catto et al. (2009), observou em estudo, ativi-
dade acaricida elevada dos extratos etanólicos da raiz de
Anonna dioica, que apresentou efeito acaricida de 95% e
98,7% nas concentrações de 5% e 20%. Além disso, óleos
essenciais obtidos a partir de frutos e folhas de Xylopia
sericea demonstraram atividade acaricida sobre larvas
de Tetranychus urticae com eficácia de 95% a 10 mg/mL
(Pontes et al., 2007).
Deste modo, a espécie X. emarginata pode ser in-
cluída como potencial candidata no programa de controle
integrado de R. microplus, aumentando a possibilidade de
obter produtos naturais como alternativas aos acaricidas
sintéticos. Futuros estudos devem ser conduzidos com o
objetivo de testar o extrato em fêmeas ingurgitadas, bem
como identificar os componentes acaricidas presentes
que possam ser utilizados em programa de controle de
carrapatos. Além disso, devem ser avaliada também a
influência do teor de taninos na mortalidade de fêmeas
adultas de R. microplus para elucidar a sua influência em
diferentes fases de crescimento dessa espécie.
Potencial acaricida do extrato de folhas de Xylopia emarginata Mart. contra larvas de Rhipicephalus microplus
5
Cad. Ciênc. Agrá., v. 13, p. 01–05, https://doi.org/10.35699/2447-6218.2021.34636
Conclusão
Os extratos etanólicos obtidos de folhas de Xylo-
pia emarginata apresentam potencial para o controle de
larvas de Rhipicephalus microplus, sendo que, o extrato
com maior teor de teor de tanino apresentou eficácia
mais elevada no controle dessas larvas.
Agradecimentos
Esta pesquisa foi financiada pelo Programa de
Pesquisa Ecológica de Longa Duração (PELD-VERE) do
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e
Tecnológico (CNPq 441440/2016-9; 441583/2020-2;
308877/2019-5), Coordenação de Aperfeiçoamento de
Pessoal de Nível Superior (CAPES 88887.136273/2017-
00), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mi-
nas Gerais (FAPEMIG APQ-04816-17; APQ-02983-17;
CRA-PPM-00539-18), Ministério da Ciência, Tecnologia
e Inovações, Programa de pós graduação em botânica
aplicada (PPGBOT-Unimontes).
Referências
Bahia, T. O; Luz, G. R; Veloso, M. D. M; Nunes, Y. R. F; Neves, W. V;
Braga, L. L; Lima, P. C. V. 2009. Veredas na APA do Rio Pandeiros:
importância, impactos ambientais e perspectivas. MG. Biota, 2:.3–13.
Broglio-Michelleti S. M. F. 2009. Extratos de plantas no controle
de Rhipicephalus (Boophilus) microplus (Canestrini, 1887) (Acari:
Ixodidae) em laboratório. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária
(Online), 18: 44–48, Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbpv/a/
VdfLqhhshVjjKKR5yVRVr7B/?lang=pt Acesso em: 28 ago. 2018.
Catto, J. B; Bianchin, I; Saito, M. L. 2009. Efeito acaricida in vitro de
extratos de plantas do Pantanal no carrapato de bovinos, Rhipicephalus
(Boophilus) microplus. Embrapa Gado de Corte, Boletim de Pesquisa e
Desenvolvimento, Campo Grande, MS.
Fernández-Salas, A; Alonso-Díaz, M. A; Acosta-Rodrígues, R; Torres-
Acosta, J. F; Sandoval-Castro, C. A; Rodríguez-Vivas, R. I. 2011. In
vitro acaricidal effect of tannin-rich plants against the cattle tick
Rhipicephalus (Boophilus) microplus (Acari: Ixodidae). Veterinary
Parasitology, 175:113–118.
Guerrero, F. D; Lovis, L; Martins, J. R. 2012. Acaricide resistance
mechanisms in Rhipicephalus (Boophilus) microplus. Revista Brasileira
de Parasitologia Veterinária, Jaboticabal, 21:1–6.
Hajdulek, O; Šíma, R; Ayllón, N; Jalovecká, M; Perner, J; Fuente,
J; Kopáček1, L. 2013. Interaction of the tick immune system with
transmitted pathogens. Frontiers in Cellular and Infection Microbiology,
3: 3–26.
Hiermann, A; Kartnig, T. H; Azzam, S. E. 1986. Beitragzur quantitative
Best immung der Procyanidine in Crataegus. Scientia Pharmaceutica,
54: 331–337.
Konning, G. H; Ayare, C; Enninson, B. 2004. Antimicrobial activity of
some medicinal plants from Ghana. Fitoterapia, 75: 65–67.
Lorenzi, H. 1992. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo
de plantas arbóreas do Brasil. 2. ed.Nova Odessa: Instituto Plantarum.
Marimon-Junior, B. H; Haridasan, M. 2005. Comparação da vegetação
arbórea e características edáficas de um cerradão e um cerrado sensu
stricto em áreas adjacentes sobre solo distrófico no leste de Mato Grosso,
Brasil. Acta Botânica Brasílica, 19: 915–928.
Madhumitha, G; Rajakuma, G; Roopan, S. M; Rahuman, A . A; Priya, K.
M; Saral, A. M; Khan, F. R. N; Khanna, V. G; Velayutham, K; Kamaraj, C;
Elang, G. 2012. Acaricidal, insecticidal, and larvicidal efficacy of fruit
peel aqueous extract of Annona squamosa and its compounds against
blood-feeding parasites. Parasitology Research, 111: 2189–2199.
Medeiros, P. C. 2019. Respostas sazonais fenológicas e do teor de
taninos condensados de Xylopia emarginata Mart. (Annonaceae) em
uma vereda no Norte de Minas Gerais, Brasil, Universidade Estadual de
Montes Claros, Minas Gerais, Dissertação de mestrado Disponível em:
http://www.ppgb.unimontes.br/index.php/producoes/dissertacoes.
Mello, M. O; Silva-Filho, M. C. 2002. Plant-insect interactions: an
evolutionary arms race between two distinct defense mechanism.
Brazilian Journal of Plant Physiology, 14 :71–81.
Monteiro, M. V. B.; Bevilaqua, C. M. L.; Morais, S. M.; Machado, L.
K. A.; Camurça Vasconcelos, A. L. F.; Campello, C. C.; Ribeiro, W. L.
C.; Mesquita, M. A. 2011. Anthelmintic activity of Jatropha curcas L.
seedson Haemonchus contortus. Veterinary Parasitology, 182: 259–263.
Nery, P. S; Nogueira, F. A; Martins, E. R; Duarte, E. R. 2010. Effects of
Anacardium humile leaf extracts on the developmentof gastrointestinal
nematode larvae of sheep. Veterinary Parasitology, 171:361–364.
Pontes, W. J; Oliveira, J. C. S; Câmara, C. A. G; Gondim Júnior, M.
G. C; Oliveira, J. V; Schwartz, M. O. E. 2007. Atividade acaricida dos
óleos de essências de folhas e frutos de Xylopia sobre o ácaro rajado
(Tetranychus urticae Koch). Quimica Nova, São Paulo, 30: 838–841.
Roy, B. C; Krücken, J; Ahmed, J. S; Majumder, S; Baumann, M. P;
Clausen, P. H; Nijhof, A. M. 2017. Molecular identification of tick-
borne pathogens infecting cattle in Mymensingh district of Bangladesh
reveals emerging species of Anaplasma and Babesia. Transboundary
and Emerging Diseases, 65: 231–242.
Stone, B. F; Haydock, K. P. 1962. A method for measuring the
acaricide susceptibility of the cattle tick Boophilus microplus, Bulletin
of Entomological Research, 53: 563–578.
Vasconcelos, V. O; Costa, E. G. L; Moreira, V. R; Morais-Costa, F; Duarte,
E. R. 2018. Efficacy of plants extracts from the Cerrado against adult
female of Dermacentor nitens (Acari: Ixodidae). Experimental and
Applied Acarology, 75: 419–427.
Webster, A; Reck, J; Santi, L; Souza, U. A; Dall’Agnol, B; Klafke, G. M;
Beys-da-Silva, W. O; Martins, J. R; Schrank, A. 2015. Integrated control
of an acaricide resistant strain of the cattle tick Rhipicephalus microplus
by applying Metarhizium anisopliae associated with cypermethrin and
chlorpyriphos under field conditions. Veterinary Parasitology, 207:
302–308, 2015. DOI: 10.1016/j. vetpar.2014.11.021.
Wiesbrook, M. L. 2004. Natural indeed: Are natural insecticides safer
and better than conventional insecticides? Illinois Pesticide Review,
Urbana, 17:1–8.