https://periodicos.ufmg.br/index.php/fronteiras-rc/issue/feed Fronteiras da Representação do Conhecimento 2021-09-01T20:42:39-03:00 Mauricio Almeida mba@eci.ufmg.br Open Journal Systems <p><strong>Fronteiras da Representação do Conhecimento</strong> é uma revista vinculada ao grupo de pesquisa <em><span class="tm6">Representação do Conhecimento, Ontologias e Linguagem</span></em><span class="tm7"> (ReCOL) certificado pelo CNPq, com </span><span class="tm8">15 anos de atuação</span><span class="tm7"> ao longo dos quais reuniu mais de 500 publicações em Ciência da Informação e dezenas de alunos formados em mestrado e doutorado.</span></p> https://periodicos.ufmg.br/index.php/fronteiras-rc/article/view/33869 Ontologias, dos sistemas aos modelos 2021-06-04T17:04:05-03:00 Luís Machado lmmachado@yahoo.com <p>Uma abordagem às ontologias como artefatos de representação deverá ter presente os diferentes entendimentos a elas associadas. Objetiva-se contribuir para a clarificação deste complexo tópico no contexto dos sistemas de organização do conhecimento. Analisa-se o papel do processo de análise ontológica e a distinção entre sistema e modelo ontológico. Conclui-se que num sistema ontológico o processo de análise dos tipos de entidades existentes, que podem ser objetivamente categorizados, necessita de seguir rigorosos princípios ontológicos e uma adequação à realidade exterior ao próprio sistema, para que este possa ser entendido como um modelo ontológico. Estes modelos necessitam uma aplicação formal rigorosa, de índole filosófica, no seu desenvolvimento. As diferentes abordagens ao processo de análise ontológica resultam em diferentes produtos. Reconhecer essas distinções é essencial para a desambiguação do termo ontologia.</p> 2021-09-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Luís Machado https://periodicos.ufmg.br/index.php/fronteiras-rc/article/view/35460 Representação lógica do conhecimento para ontologias 2021-07-30T18:21:46-03:00 Guilherme Noronha guilhermenoronha2001@gmail.com <p style="margin-bottom: 0.28cm; line-height: 108%; orphans: 2; widows: 2;" align="justify"><span style="font-family: Cambria, serif;"><span style="font-size: medium;"><span style="background: #ffffff;">Ontologias são artefatos usados por profissionais da Ciência da Informação para fins de representação em contextos digitais. Esses artefatos têm se destacado por sua capacidade de representação, de relacionar as entidades e <span style="color: #000000;"><span lang="pt-BR">serem</span></span> processáveis por computadores por meio de lógica descritiva. No entanto, ainda são poucas as ontologias desenvolvidas por pesquisadores da Ciência da Informação que fazem uso da <span style="color: #000000;"><span lang="pt-BR">lógica descritiva</span></span>. Nesse contexto, o presente artigo tem como objetivo familiarizar o profissional da Ciência da Informação com o uso da lógica. Para isso é apresentado <span style="color: #000000;"><span lang="pt-BR">os </span></span>conceitos da lógica descritiva, usada em ontologias, e como elas atuam nos modelos de representação do conhecimento para validação do modelo e geração de conhecimento novo. Como contribuições o presente artigo apresenta um modelo para formalizar a linguagem natural em lógica e apresenta dez orientações de boas práticas para incorporação da lógica <span style="color: #000000;"><span lang="pt-BR">em ontologias. Por fim sugere-se a integração dessas orientações numa metodologia de construção de ontologias para consolidar o uso de lógica dentro do contexto da ontologia aplicada.</span></span></span></span></span></p> 2021-09-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Guilherme Noronha https://periodicos.ufmg.br/index.php/fronteiras-rc/article/view/35285 Ontologias, Ciência da Informação e Sistemas de Informação em saúde 2021-07-16T20:03:57-03:00 Livia Marangon Duffles Teixeira liviamarangon@gmail.com <p>A necessidade de cuidados à saúde e ao bem-estar da população traz desafios à gestão da informação em unidades de saúde. Um desafio mundial atual é a necessidade de integrar sistemas de prontuários eletrônicos, permitindo o atendimento continuado ao cidadão e a melhor utilização de recursos tanto públicos quanto privados. Para um atendimento continuado de qualidade, as unidades de saúde precisam acessar os diversos registros médicos de um paciente, que se encontram dispersos em diferentes sistemas com representações distintas, em diferentes momentos e regiões geográficas diversas. A relação entre terminologias clínicas, modelos de informações clínicas e ontologias biomédicas é então abordada como proposta de solução para os sistemas de prontuários eletrônicos de pacientes, entretanto, depara-se com o hiato entre o conhecimento formal e o conhecimento epistêmico da prática clínica. É proposto, portanto, um diagnóstico desse cenário, realizando uma revisão sistemática sobre a relação entre a representação formal e a linguagem informal nas terminologias clínicas. Percebeu-se, ao fim, que pouca ênfase tem sido dada às ontologias enquanto suporte semântico para a representação do conhecimento em seus níveis ontológicos e epistemológicos, e que há espaço e subsídios da Ciência da Informação se desenvolver nesse campo. &nbsp;</p> 2021-09-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Livia Marangon Duffles Teixeira https://periodicos.ufmg.br/index.php/fronteiras-rc/article/view/35099 Formulação de definições utilizando o método Aristotélico 2021-07-07T21:47:11-03:00 Amanda Damasceno de Souza amandasd81@gmail.com Fernanda Farinelli fernanda.farinelli@gmail.com Eduardo Ribeiro Felipe erfelipe@hotmail.com <p><strong>Resumo</strong>: Definição é um tema importante na obra de Aristóteles. Há vários tipos de definições, sendo que no contexto da ontologia aplicada, a formulação de definições textuais e formais devem seguir os Princípios Aristotélicos de <em>Genus</em> e <em>Differentia</em>. O objetivo deste artigo é descrever os princípios aristotélicos na formulação de definições em ontologias demonstrando a aplicação do método <em>OntoDef</em>. Apresenta uma breve revisão de literatura e demonstra a aplicação do método <em>OntoDef </em>para elaborar as definições das classes mulher e mulher grávida da ontologia de domínio <em>OntONeo</em>. Conclui-se que a aplicação do método trouxe relevante contribuição para a ontologia <em>OntONeo</em>, ao aperfeiçoar suas definições textuais. O método <em>OntoDef </em>ainda proporcionou uma visão clara sobre a essência do termo a ser definido, ao se estabelecer as condições necessárias e suficientes de cada termo em questão.</p> 2021-09-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Amanda Damasceno de Souza, Fernanda Farinelli, Eduardo Ribeiro Felipe https://periodicos.ufmg.br/index.php/fronteiras-rc/article/view/35472 Ontologias para anotação semântica em mídias 2021-07-31T20:35:30-03:00 Daniela Lucas da Silva Lemos danielalucas@hotmail.com Abeil Coelho-Júnior abeilc@hotmail.com Danielle do Carmo docarmo.danielle@gmail.com <p>O artigo objetiva apresentar um levantamento sistemático de modelos ontológicos que estão sendo comumente usados como padrões de anotação em mídias diversas, sobretudo endereçados a projetos de integração de acervos culturais em ambiente <em>Linked Open Data</em> e envolvendo as plataformas da Fundação Wikimedia conhecidas como Wikipédia, Wikimedia Commons e Wikidata, em que se busca ampliar a base de usuários e a produção colaborativa de seus recursos de informação visando ampliar a difusão das coleções patrimoniais, tornar explícito o conhecimento gerado em seus acervos, e, logo, valorizar e democratizar a cultura na sociedade em rede. Trata-se de uma pesquisa teórica e qualitativa, de cunho exploratório e descritivo usando como método uma revisão sistemática de literatura em bases de dados especializadas nos campos das Ciências da Informação e da Computação juntamente com o uso de dimensões analíticas para organizar elementos constitutivos das ontologias elencadas no estudo. Como resultados, apresenta uma análise sistemática dos modelos conceituais ontológicos CIDOC CRM, CRMdig, Linked Art, EMD e FRBRoo, mostrando como esses padrões de documentação estão sendo usados como formas de representação do conhecimento multimídia no contexto do patrimônio cultural e como organizam em suas estruturas, metadados de natureza multimídia (independentes, dependentes e descritivos de conteúdo) e de proveniência (origem e métodos de produção) para descrição de objetos culturais em variados contextos e necessidades. Os modelos analisados apresentam-se como bons candidatos a reúso, sobretudo em projetos que visem a integração de acervos do patrimônio cultural em ambiente <em>Linked Open Data</em> e envolvendo o ecossistema wiki.</p> 2021-09-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Daniela Lucas da Silva Lemos, Abeil Coelho-Júnior, Danielle do Carmo https://periodicos.ufmg.br/index.php/fronteiras-rc/article/view/35902 Recuperação da Informação e Pesquisa como Processo de Aprendizagem 2021-09-01T20:42:39-03:00 João Paulo R. Pires da Silva jpraddps@gmail.com Gilson R. Dias Fonseca gilson@ice.ufjf.br Eduardo Barrere eduardo.barrere@ice.ufjf.br Fabrício M. Mendonça fabricio.mendonca@ice.ufjf.br Jairo Francisco de Souza jairo.souza@ice.ufjf.br <p class="resumo"><span class="tm6">Este artigo propõe um estudo de caso para analisar o processo de recuperação de informação e a busca como um processo de aprendizagem em um ambiente de busca sobre Covid-19. Como metodologia de pesquisa, o trabalho analisa um grupo de participantes, verificando seu nível de conhecimento sobre a Covid-19, antes e depois de pesquisas na web. O estudo inclui uma análise do efeito Dunning-Kruger, experiências metacognitivas e uso de consultas na web. Os achados desta pesquisa correspondem à observação de um padrão semelhante nos testes realizados com o efeito Dunning-Kruger, e também um aumento na estimativa das notas do segundo teste nas séries mais altas, em uma população com diferentes níveis de escolaridade e faixas etárias. Observa-se que, mesmo quando os usuários navegam nas mesmas consultas, ainda existem dificuldades e limitações no avanço do conhecimento nos ambientes de busca. É importante destacar que esta pesquisa analisou uma situação específica, que envolve informações sobre Covid-19, interesse de pessoas de diferentes escolaridades e idades, bem como o grande volume de informações, notícias falsas e dificuldades em analisar informações, ao contrário de experimentos em outras pesquisas analisadas. Por fim, este estudo de caso abre a porta para novos focos e oportunidades de experimentação no processo de recuperação de informação.</span></p> 2021-09-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 João Paulo R. Pires da Silva, Gilson R. Dias Fonseca, Eduardo Barrere, Fabrício M. Mendonça, Jairo Francisco de Souza https://periodicos.ufmg.br/index.php/fronteiras-rc/article/view/35446 OntoForInfoScience e Onto4ALLEditor 2021-07-29T17:45:43-03:00 Fabrício Martins Mendonça fabriciommendonca@gmail.com Lucas Piazzi de Castro lpiazzi26@gmail.com <p>Atualmente, ontologias sa o usadas com freque ncia em cie ncias como a Linguí stica, Cie ncia da Informaça o e Cie ncia da Computaça o, especialmente, nas a reas de Modelagem Conceitual e Representaça o do Conhecimento. Um dos grandes desafios em ontologias e seu processo de construça o, oneroso e complexo, que pode levar a erros de representaça o do conhecimento e recuperaça o da informaça o. O uso de metodologias e editores de ontologia ainda representa um desafio aos especialistas do domí nio e profissionais da informaça o, cuja formaça o na a rea na o privilegia requisitos para tais atividades. Diante desse cena rio, o presente artigo apresenta uma metodologia pro pria para construça o de ontologias - OntoForInfoScience - e um software editor de ontologias - Onto4ALLEditor -, cujo propo sito principal e fornecer uma base teo rica e funcionalidades da ferramenta para a fim de facilitar o desenvolvimento de ontologias por diferentes tipos de usua rios, principalmente especialistas do domí nio e cientistas da informaça o. A pesquisa inclui tambe m uma avaliaça o dos editores de ontologia, disponí veis atualmente, e uma breve discussa o sobre a utilizaça o e possibilidades da OntoForInfoScience e do Onto4ALLEditor nesse contexto. Como resultados esperados da abordagem proposta, pretende-se contribuir com a popularizaça o do uso de ontologias em Cie ncia da Informaça o e a reas afins.</p> 2021-09-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Fabrício Martins Mendonça, Castro, L. P. https://periodicos.ufmg.br/index.php/fronteiras-rc/article/view/35785 Ontologias de alto nível 2021-08-27T10:12:54-03:00 Fernanda Farinelli fernanda.farinelli@gmail.com Amanda Damasceno Souza mandafederal@hotmail.com <p>As ontologias são artefatos de representação do conhecimento, e quando estas são formais, permitem tal representação sem ambiguidades e interpretável tanto por humanos quanto por máquinas computacionais. De acordo com a abrangência do escopo de representação e o detalhamento do domínio de conhecimento, as ontologias são classificadas como ontologias de domínio, ontologias de referência e ontologias de alto nível. Os dois primeiros tipos de ontologias abrangem representações sobre domínios específicos de conhecimento, mas com níveis de detalhamento diferentes. As ontologias de alto nível são ontologias de domínio neutro que descrevem conceitos gerais comuns em todos os domínios. Entretanto, nem sempre é claro o papel destas ontologias e porque utilizá-las na concepção de ontologias de domínios ou de referência. Este trabalho descreve o papel das ontologias de alto nível como artefatos de representação e sua contribuição na construção de ontologias de referência e de domínio. Adicionalmente, é apresentado como utilizá-las no processo de construção de ontologias de domínio ou de referência.</p> 2021-09-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Fernanda Farinelli, Amanda Damasceno de Souza