[1]
F. H. C. Gomes, G. H. Marcon, e R. Furlan, “Mal-estar, autenticidade e religião em Charles Taylor”, Memorandum, vol. 35, p. 65-83, dez. 2018.