A memória toponímica dos vales dos rios Paraopeba e São Francisco, Província de Minas Gerais, no croquis topográfico de James Wells, de 1874

  • Márcia Maria Duarte dos Santos Universidade Federal de Minas Gerais
  • Maria Cândida Trindade Costa de Seabra Universidade Federal de Minas Gerais
  • Paulo Márcio Leal de Menezes Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: James W. Wells, Croquis Topográficos, Toponímia Histórica, Cartografia Histórica, Província de Minas Gerais

Resumo

Patenteiam-se aspectos do patrimônio toponímico dos vales dos rios Paraopeba e São Francisco, em Minas Gerais, assinalados na PLANTA DO PROLONGAMENTO PROJECTADO DA ESTRADA DE FERRO DE D. PEDRO II – um croquis topográfico – elaborada, em 1874, pelo engenheiro inglês James W. Wells. Destaca-se, a partir do levantamento e da análise realizados, o corpus de topônimos constituído apenas por termos ou nomes específicos, apresentando uma proposição de legenda – uma chave de interpretação, para as feições cartográficas correspondentes, mostradas no croquis. Oferece aos estudiosos da toponímia e da geografia histórica mineira a ampliação de referências sobre as áreas dos vales em questão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BERTIN, Jacques. Semiologie Grahique . Les Diagrammes- Les Réseaux- Les Cartes. 2. ed. Paris, La Hahe: Mouton; Paris: Gauthier-Villars, 1973.
COSTA, Antônio Gilberto; RENGER, Friedrich Ewald; FURTADO, Júnia Ferreira; SANTOS, Márcia Maria Duarte. Cartografia das Minas Gerais – Da Capitania à Província. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.
COSTA, Antônio Gilberto. Cartografia da Conquista do território das Minas. Belo Horizonte: Editora UFMG; Lisboa: Kapa Editorial, 2004.
DICK, Maria Vicentina de Paula do Amaral. A Motivação Toponímica e a Realidade Brasileira. São Paulo: Edições Arquivos do Estado de São Paulo, 1990a.
-----------------. Toponímia e a Antroponímia do Brasil. 2. ed. São Paulo: s/ed,1990b. Coletânea de Estudos.
DENT, Hasting Charles. A Year in Brazil: with notes on the Abolition of Slavery, The Finances of The Emperor, Religion, Meteorology, Natural History, etc. London: Kegan Paul; Trench & CO, (1886).
DUBOIS, Jean et al. Dicionário de Linguística. São Paulo: Cultrix, 1978.
FONSECA, Cláudia Damasceno. Des terres aux villes de l’or. Pouvoir et territoires urbains au Minas Gerais (Brésil, XVIIIe siècle). Paris: Centre Culturel Calouste Gulbenkian, 2003.
GERBER, Henrique. Noções Geográficas e Administrativas da Província de Minas Gerais. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro, 2013.
INSTITUTO ANTÔNIO HOUAISS. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Houais; Objetiva, 2009.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍTICA – IBGE. BIBLIOTECA. Curvelo. Disponível em: . Acesso em: 20 fev. 2018.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍTICA – IBGE. BIBLIOTECA. Sabará. Disponível em: . Acesso em: 20 fev. 2018.
WELLS, James W. Explorando e Viajando Três Mil Milhas Através do Brasil. Do Rio de Janeiro ao Maranhão. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro, Centro de Estudos Históricos e Culturais, 1995. v. 1, 2
WELLS, J. W.Exploring and travelling three thousand miles through Brazil from Rio de Janeiro to Maranhao. Sampson, Low, Marston, Searle and Revington, London, 1886.v. 1, 2. Disponívelem:. Acesso em: 20 fev. 2018
MARTINS, Roberto Borges. A Minas de James Wells. In: WELLS, James W. Explorando e Viajando Três Mil Milhas Através do Brasil. Do Rio de Janeiro ao Maranhão. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro, Centro de Estudos Históricos e Culturais, 1995. v. 1, p. 9-13.
--------------. Apresentação. In: SILVA, José Joaquim da. Tratado de geografia descritiva especial da província de Minas Gerais. Belo Horizonte: Centro de Estudos Históricos e Culturais, Fundação João Pinheiro, 1997. p. 11-14.
Hill, Christopher. Introdução. In: WELLS, James W. Explorando e Viajando Três Mil Milhas Através do Brasil.Do Rio de Janeiro ao Maranhão. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro, Centro de Estudos Históricos e Culturais, 1995. v. 1, p. 21-32.
MENEZES, Paulo Márcio Leal, FERNANDES, Manoel Couto. Roteiro de Cartografia. São Paulo: Oficina de Textos, 2013.
MENEZES, Paulo Márcio et al. O Desenvolvimento Ferroviário nas Províncias do Rio de Janeiro e Minas Gerais, através dos Mapas de James Wells. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE CARTOGRAFIA HISTÓRICA, 7., 2017 (em fase de pré-publicação).
OLIVEIRA, Céurio de. Dicionário Cartográfico. 4. ed. Rio de Janeiro:IBGE,1993.
SANTOS, Márcia Maria Duarte dos. Técnicas e Elementos da Cartografia da América Portuguesa e do Brasil Império. In: COSTA, Antônio Gilberto (Org.). Roteiro Prático de Cartografia da América Portuguesa ao Brasil Império. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006. p. 51-82.
SANTOS, Márcia Maria Duarte dos; SEABRA, Maria Cândida Trindade Costa de; COSTA, Antônio Gilberto (Orgs.). Repositório Digital Toponímia Histórica de Minas Gerais, do Setecentos ao Oitocentos Joanino - Registros em Mapas da Capitania e das Comarcas. Disponível em: . Acesso em: 20 fev. 2018.
SEABRA, Maria Cândida Trindade Costa de. A formação e a fixação da Língua Portuguesa em Minas Gerais: a Toponímia da Região do Carmo. 2004. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2004. 2 v.
SEABRA, M. C. T. C. Referência e Onomástica. In: MAGALHÃES, José Sueli de; TRAVAGLIA, Luiz Carlos. (Org.). Múltiplas perspectivas em Linguística. Uberlândia/MG: EDUFU, 2006, v. 1, p. 1953-1960.
SILVA, José Joaquim da. Tratado de geografia descritiva especial da província de Minas Gerais. Belo Horizonte: Centro de Estudos Históricos e Culturais., Fundação João Pinheiro, 1997. p. 11-14.
Publicado
2019-12-20
Seção
Artigos