PARA UMA CRÍTICA AO PÓS-MODERNO: O SOCIAL NAS CIÊNCIAS DA SAÚDE E O PAPEL DA EDUCAÇÃO CRÍTICA – PRIMEIRAS REFLEXÕES

  • Leonardo Carnut

Resumo

Os cursos da área da saúde, quando apresentam alguma inclinação ao ‘social’, majoritariamente se restringem ao marco pós-moderno. Assim, o objetivo deste ensaio é refletir, ainda que inicialmente, sobre a narrativa pós-moderna do social nas ciências da saúde e o papel da educação crítica em repensar a adoção desta narrativa. Ele está divido em três seções. A primeira expõe uma brevíssima reflexão sobre qual pós-modernidade estamos falando. A segunda foca nas influências do uso pós-moderno de algumas categorias e conceitos na área da saúde, tais como humanização, identidade, família-comunidade e corpo. A terceira analisa a proposta da educação crítica e sua relação com a saúde. Ensaiamos a exposição dos fundamentos do pensamento sobre o que é crítico, tendo nas pedagogias críticas e na educação política crítica a base para repensar o pós-moderno em saúde. Por fim, considera-se que esse primeiro exercício é uma forma de descortinar como o pensamento social em saúde corrobora com a ideologia da classe dominante de seu tempo

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-12-31
Seção
Artigos / Dossiê