ERA KARL MARX UM ETAPISTA HISTÓRICO?

  • Matheus Correa de Sousa Heleno

Resumo

Este trabalho pretende demonstrar que a filosofia marxiana não corrobora com quaisquer noções etapistas da História, nas quais um dado fim histórico seria alcançado mediante o estabelecimento e superação de estágios vários e pré-determinados dos modos de produção, como querem afirmar diversos críticos da obra de Karl Marx. Para isso, valer-se-á, primeiramente, de uma investigação acerca do modo pelo qual o teórico renano enxerga a realidade n’A ideologia alemã a fim de demonstrar que os pressupostos de sua filosofia, já como apresentados em 1845-1846, renegam uma análise etapista do desenvolvimento histórico-produtivo. Depois, utilizar-se-á o capítulo 24 do primeiro volume d’O capital, intitulado A assim chamada acumulação primitiva, em adição à correspondência entre Vera Ivanovna Zasulitch e Karl Marx e à resposta à redação da Otechestvenye Zapiski, proferida pelo filósofo renano em 1877, todos compostos apresentados no livro Lutas de classes na Rússia (Boitempo Editorial), com o objetivo de expor as conclusões do próprio Marx acerca de uma questão diretamente ligada ao tema proposto: “É necessário o desenvolvimento do capitalismo em uma sociedade para que ela atinja o comunismo?”.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-12-31
Seção
Artigos / Temática Livre