Revista Brasileira de Estudos do Lazer https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbel <p>A<strong> Revista Brasileira de Estudos do Lazer - RBEL</strong> - é uma publicação da<strong> Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-graduação em Estudos do Lazer (ANPEL - <a href="http://anpel.com.br/">http://anpel.com.br/</a>)</strong> sem fins lucrativos que objetiva divulgar a produção científica nacional e internacional sobre o Lazer e temas afins.</p> ANPEL pt-BR Revista Brasileira de Estudos do Lazer 2358-1239 <div>Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.</div> <div>&nbsp;</div> <div>Copyrights for articles published in this journal belong to the author, and the journal has first publication rights. Since they appear in this public access journal, they are free articles with their own attributions in educational and non-commercial applications.</div> ANÁLISE DAS PRODUÇÕES SOBRE FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO DOS AGENTES PÚBLICOS QUE COMPÕEM O SISTEMA NACIONAL DE ESPORTE E LAZER (2009-2018) https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbel/article/view/16380 <p>O presente estudo parte da seguinte questão norteadora “como ocorre a política de formação continuada para os agentes públicos que trabalham com o esporte e o lazer?”. Objetiva-se identificar nos estudos realizados no Brasil, como tem se configurado o processo de formação continuada dos agentes que compõem o Sistema Nacional de Esporte e Lazer (SNEL) que atuam nas políticas públicas. Desta forma, optou-se pela utilização do Estado do Conhecimento (EC), a partir das seguintes bases de dados, Scielo, Scopus e Portal de Periódicos Capes, dentro de um recorte temporal de 2009 a 2018, partindo das seguintes palavras-chave nos idiomas inglês e português: 1) capacitação and esporte and lazer; 2) formação and agentes públicos and esporte and lazer. Ao realizar a busca, encontrou-se 159 produções, porém, apenas uma coadunou com o objetivo proposto. Por conseguinte, a análise da fonte coletada, deu-se de modo qualitativo, por meio da Análise de Conteúdo (AC) proposta por Bardin (2016). Assim identificou-se que no que se trata da formação e capacitação dos agentes públicos que trabalham com esporte e lazer não existe uma agenda pública consolidada. Ainda, verificou-se pouca produção sobre a temática e a possibilidade da construção de estudos, visando sua reprodutibilidade em outros locais.</p> Wendell Luiz Linhares Paulo Sergio Ribeiro Bruno Pedroso Gonçalo Cassins Moreira do Carmo Miguel Archanjo de Freitas Junior Copyright (c) 2020 Revista Brasileira de Estudos do Lazer http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-06-03 2020-06-03 6 3 1 22 FAVELA OU COMUNIDADE? COMO OS MORADORES, GUIAS DE TURISMO E OUTROS AGENTES SOCIAIS COMPREENDEM SIMBOLICAMENTE O “MORRO” SANTA MARTA (RJ)? https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbel/article/view/19123 <p>Este artigo tem por objetivo geral levantar questões a respeito dos significados das palavras “comunidade” e “favela” - compreendidas enquanto categorias sociológicas - buscando articular os pontos de convergência e divergência deste par, refletindo sobre as formas de apropriação dos termos por parte de alguns agentes sociais que interagem com a favela “turística” Santa Marta, no Rio de Janeiro. Concernente à metodologia, inicialmente foi feita a análise de diversos trabalhos de autores que falam direta e indiretamente sobre o tema; adicionalmente, foi realizada uma pesquisa de natureza qualitativa, aplicando-se roteiros semiestruturados de entrevistas com guias de turismo local, moradores, líderes comunitários e turistas/visitantes, com a finalidade de compreender como tais agentes se apropriam das palavras favela e comunidade. A partir dos resultados da pesquisa, concluímos que, de maneira maniqueísta e majoritária, a comunidade é concebida como o local da sociabilidade e da solidariedade, enquanto que a favela se apresenta como o lugar do caos urbano. Todavia, os termos podem se aproximar ou se afastar, dependendo do contexto em que são empregados e de quem o está usando, a partir de diferentes pretextos.</p> Rafael Melo Pereira Carolina Lescura de Carvalho Castro Bernardo Lazary Cheibub Copyright (c) 2020 Revista Brasileira de Estudos do Lazer http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-06-02 2020-06-02 6 3 23 36 NARRATIVAS https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbel/article/view/15988 <p>RESUMO: As histórias e as narrativas orais têm sido caminhos para compartilhar saberes das culturas que cultivam espaços e tempos para as rodas de conversas que provocam risadas e suspenses. Este artigo se configura como um recorte da tese e tem por objetivo responder as perguntas: que outros seres (misteriosos) vivem na Serra do Amolar (Pantanal, MS)? Quais são suas histórias? O estudo teve caráter qualitativo, se fez por meio de imersões, em diálogos com a etnografia e aproximações da Educação Física com as Ciências Humanas e Sociais. Os achados e registros que fazem parte deste recorte, foi feito por meio de: a) observações participantes; b) conversas informais; c) caderno de apontamentos. As narrativas foram a linguagem encontrada para compartilhar experiências vividas e preciosidades dos saberes cotidianos. O Pantanal e suas gentes têm generosidades, mas têm fragilidades e pedem respeito. Em suas narrativas sobre os protetores e/ou assombrações compartilham sensações, sabedorias, receios e aventuras. O exercício de pesquisar nestes contextos foi desafiador, incessante e encantador, evidenciando que as alegrias constituem seus cotidianos e as narrativas seus jeitos de compartilhar a vida.</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> Gentes. Narrativas. Pantanal. Lazer.</p> Miraira Noal Manfroi Alcyane Marinho Copyright (c) 2020 Revista Brasileira de Estudos do Lazer http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-06-03 2020-06-03 6 3 37 56 JOGOS OLÍMPICOS 2016 E POLÍTICAS PÚBLICAS DE ESPORTE E LAZER https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbel/article/view/19162 <p>Este trabalho tem como objetivo identificar e analisar a percepção de um grupo de professores de Educação Física sobre as políticas públicas de esporte e lazer considerando o contexto da realização dos Jogos Olímpicos 2016. Foi realizada uma pesquisa bibliográfica e de campo em que foram entrevistados oito professores de Educação Física por meio da técnica de entrevista semiestruturada. Como resultado, aponta-se que todos os professores mencionaram a falta de políticas públicas e como isso pode dificultar as ações relacionadas à educação para o lazer. Alguns professores indicam as instituições de ensino como espaços que podem e devem receber maiores incentivos para a construção e execução de políticas públicas de esporte e lazer.</p> Nathalia Sara Patreze Cinthia Lopes da Silva Ricardo Ricci Uvinha Copyright (c) 2020 Revista Brasileira de Estudos do Lazer http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-06-02 2020-06-02 6 3 57 77 “LAZER?! PARA MIM?!...” https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbel/article/view/19394 <p>A relação entre lazer, cultura e consumo é facilmente perceptível, mais do que isso, é quase improvável dissociá-los. O único problema é que pode ser algo muito interessante apenas para aqueles que conseguem se inserir neste contexto. Por isso, esse estudo relata resultados de uma pesquisa empírica, de cunho exploratório, que teve como objetivo compreender como mulheres de baixa renda, na condição de chefes de família, articulam, negociam e constroem os significados relacionados ao lazer e ao consumo do lazer em seu cotidiano, (de)associando-o de atividades de consumo mediadas pelo mercado. Utilizando-se de uma metodologia qualitativa de inspiração etnográfica, chegou-se a conclusão de que existe uma dimensão de consumo de lazer representado por atividades mediadas pelo mercado, mas existe também a presença de uma dimensão subjetiva, simbólica e socialmente construída na concepção de lazer definida por estas mulheres.</p> Georgiana Luna Batinga Marcelo Rezende Pinto Copyright (c) 2020 Revista Brasileira de Estudos do Lazer http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-06-02 2020-06-02 6 3 78 97