REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE ESTUDANTES DE ENFERMAGEM SOBRE A AVALIAÇÃO NA APRENDIZAGEM ATIVA

Autores

  • Monike Alves Lemes Universidade de Marília - UNIMAR, Medicina, Marília SP , Brasil, Universidade de Marília - UNIMAR, Medicina. Marília, SP - Brasil. http://orcid.org/0000-0002-8769-0993
  • Maria José Sanches Marin Faculdade de Medicina de Marília - FAMEMA, Enfermagem, Marília SP , Brasil, Faculdade de Medicina de Marília - FAMEMA, Enfermagem. Marília, SP - Brasil. http://orcid.org/0000-0001-6210-6941
  • Carlos Alberto Lazarini Faculdade de Medicina de Marília - FAMEMA, Enfermagem, Marília SP , Brasil, Faculdade de Medicina de Marília - FAMEMA, Enfermagem. Marília, SP - Brasil. http://orcid.org/0000-0003-3010-4436
  • Silvia Cristina Mangini Bocchi Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP, Enfermagem, Botucatu SP , Brasil, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP, Enfermagem. Botucatu, SP - Brasil. http://orcid.org/0000-0002-2188-009X
  • Joyce Fernanda Soares Albino Ghezzzi Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP, Enfermagem, Botucatu SP , Brasil, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP, Enfermagem. Botucatu, SP - Brasil. http://orcid.org/0000-0002-5808-613X
  • Elza de Fátima Ribeiro Higa Faculdade de Medicina de Marília - FAMEMA, Enfermagem, Marília SP , Brasil, Faculdade de Medicina de Marília - FAMEMA, Enfermagem. Marília, SP - Brasil. http://orcid.org/0000-0001-5772-9597

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2021.44490

Palavras-chave:

Aprendizagem, Avaliação Educacional, Estudantes de Enfermagem, Educação em Enfermagem, Pesquisa Qualitativa

Resumo

Objetivo: compreender as representações sociais dos estudantes de Enfermagem sobre sua avaliação na aprendizagem ativa. Método: estudo qualitativo, fundamentado na Teoria das Representações Sociais, em uma instituição pública do centro-oeste paulista, a qual utiliza a aprendizagem ativa no processo de ensino. Participaram 20 estudantes da segunda série do curso de Enfermagem, selecionados por amostra intencional pelo fato de terem vivenciado o processo avaliativo na primeira série, por meio de entrevistas semiestruturadas, com uma questão norteadora que versou sobre a compreensão do estudante acerca do processo avaliativo. A análise dos dados foi desenvolvida pelo discurso do sujeito coletivo, a partir das figuras metodológicas: Expressões-chave, ideia central, ancoragem e discurso do sujeito coletivo. Resultados: as representações sociais dos estudantes de Enfermagem sobre o processo avaliativo remeteram a três ideias centrais - perfil e comunicação do estudante; perfil docente; ambiente avaliativo. Conclusão: depreende-se que o processo de avaliação é contínuo, influenciado por características e comportamentos de estudantes e docentes, requer capacitação docente e ambiente propício, o que reafirma a complexidade da prática avaliativa na aprendizagem ativa, bem como a necessidade de investimentos contínuos visando ao seu aperfeiçoamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Becerril LC. História da educação de Enfermagem e as tendências contemporâneas. Hist Enferm Rev Eletrônica. 2019[citado em 2021 mar. 17];9(1):1-2. Disponível em: http://here.abennacional.org.br/here/v9/n1/_EDITORIAL-1_portugues.pdf

Lemes MA, Marin MJS, Lazarini CA, Bocchi SCM, Ghezzi JFSA, Higa EFR. Avaliação em aprendizagem ativa: representações sociais dos estudantes de Enfermagem. New Trends Qual Res. 2020[citado em 2021 mar. 17];2:549-63. Disponível em: https://publi.ludomedia.org/index.php/ntqr/article/view/117/115

Ministério da Educação (BR). Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Enfermagem. Diário Oficial da União, Brasília; 9 nov. 2001; Seção 1:37.

Ghezzi JFSA, Higa EFR, Lemes MA, Marin MJS. Estratégias de metodologias ativas de aprendizagem na formação do enfermeiro: revisão integrativa da literatura. Rev Bras Enferm. 2021[citado em 2021 maio 19];74(1): e20200130. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/reben/v74n1/pt_0034-7167-reben-74-01-e20200130.pdf

Fabbro MRC, Salim NR, Bussadori JCC, Okido ACC, Dupas G. Estratégias ativas de ensino e aprendizagem: percepções de estudantes de Enfermagem. REME - Rev Min Enferm. 2018[citado em 2021 mai. 19];22:e-1138. Disponível em: https://cdn.publisher.gn1.link/reme.org.br/pdf/e1138.pdf

Santos JLG, Copelli FHS, Balsanelli AP, Sarat CNF, Menegaz JC, Trotte LAC. Competência de comunicação interpessoal entre estudantes de Enfermagem. Rev Latino-Am Enferm. 2019[citado em 2021 maio 19];27: e3207. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rlae/v27/pt_0104-1169-rlae-27-e3207.pdf

Oliveira-Barreto AC, Guedes-Granzotti RB, Domenis DR, Pellicani AD, Silva K, Dornelas R, et al. Métodos de avaliação discente em um curso de graduação baseado em metodologias ativas. Rev Ibero-Am Estud Educ. 2017[citado em 2021 mar. 17];12(02):1005-19. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/8745/6579

Moscovici S. Representações sociais: investigações em psicologia social. 11ª ed. Petrópolis: Vozes; 2017.

Tong A, Sainsbury P, Craig J. Critérios consolidados para relatar pesquisas qualitativas (COREQ): uma lista de verificação de 32 itens para entrevistas e grupos de foco. Int J Qual Health Care. 2007[citado em 2021 mar. 17];19(6):349-57. Disponível em: https://academic.oup.com/intqhc/article/19/6/349/1791966

Faculdade de Medicina de Marília. Caderno de avaliação: cursos de Medicina e Enfermagem. Marília: Famema; 2018.

Faculdade de Medicina de Marília. Necessidades de Saúde 2 e Prática Profissional 2- 2ª série dos Cursos de Medicina e Enfermagem. Marília: Famema; 2019.

Minayo MCS. Amostragem e saturação em pesquisa qualitativa: consensos e controvérsias. Rev Pesqui Qual. 2017[citado em 2021 mar. 17];5(7):1-12. Disponível em: https://editora.sepq.org.br/index.php/rpq/article/view/82

Lefèvre F. Discurso do sujeito coletivo: nossos modos de pensar, nosso eu coletivo. São Paulo: Andreoli; 2017.

Ministério da Saúde (BR). Resolução nº 510, de 7 de abril de 2016. Sobre a Ética na Pesquisa na área de Ciências Humanas e Sociais. Diário Oficial da União, Brasília; 24 maio 2016; Seção 1:44.

Santos MFC, Saccoa CMS, Frigoa SC, Biberg-Salumab TG. Avaliação formativa em sessão tutorial: construindo pistas de aproximação para o instrumento de avaliação. Rev Ensino Educ Ciênc Hum. 2018[citado em 2021 mar. 17];19(2):137-41. Disponível em: https://revista.pgsskroton.com/index.php/ensino/article/view/6087

Almeida L, Coqueiro J, Figueiredo T. A formação do enfermeiro sob o olhar do estudante: linhas fortes e fracas. Rev Uningá. 2018[citado em 2021 mar. 17];55(3):183-98. Disponível em: http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/2095/1733

Ghezzi JFSA, Higa EFR, Lemes MA, Peres CRFB, Marin MJS. Visão dos docentes sobre as possibilidades de aprendizagem dos estudantes de Enfermagem e Medicina a partir da vivência na prática profissional e desafios encontrados. BRAJETS. 2019[citado em 2021 mar. 17];12(3):313-22. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/03cd/07a2cdfa179f4ae1375e932bdd9c353171dc.pdf

Martins LM, Ribeiro JLD. Engajamento do estudante no ensino superior como indicador de avaliação. Rev Aval Educ Super. 2017[citado em 2021 mar. 17];22(1):223-47. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/aval/v22n1/1982-5765-aval-22-01-00223.pdf

Silva JOM, Pereira Junior GA, Coelho ICMM, Picharski GL, Zagonel IPS. Engajamento entre Estudantes do Ensino Superior nas Ciências da Saúde (Validação do Questionário Ultrecht Work Engagement Scale (UWES-S) com Estudantes do Ensino Superior nas Ciências da Saúde). Rev Bras Educ Med. 2018[citado em 2021 mar. 17];42(2):15-25. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbem/v42n2/0100-5502-rbem-42-02-0015.pdf

Montes LG, Rodrigues CIS, Azevedo GR. Avaliação do processo de feedback para o ensino da prática de Enfermagem. Rev Bras Enferm. 2019[citado em 2021 mar. 17];72(3):663-70. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/reben/v72n3/pt_0034-7167-reben-72-03-0663.pdf

Martins AC, Falbo Neto G, Silva FAM. Características do Tutor Efetivo em ABP - uma revisão de literatura. Rev Bras Educ Med. 2019[citado em 2021 mar. 17];42(1):105-14. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbem/v42n1/0100-5502-rbem-42-01-0105.pdf

Preston R, Gratani M, Owens K, Roche P, Zimanyi M, Malau-Aduli B. Exploring the Impact of Assessment on Medical Students’ Learning. Assess Eval High Educ. 2019[citado em 2021 mar. 17];45(1):109-24. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/02602938.2019.1614145

Megale L, Ricas J, Gontijo ED, Mota JAC. Percepções e sentimentos de professores de Medicina frente à avaliação dos estudantes:um processo solitário. Rev Bras Educ Med. 2015[citado em 2021 mar. 17];39:12-22. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbem/v39n1/1981-5271-rbem-39-1-0012.pdf

Zimmermann MH, Silveira RFM, Gomes RZ. Formação continuada no ensino de ciência da saúde: avaliação de habilidades e feedback efetivo. Ens Pesq. 2016[citado em 2021 mar. 17];14(2):197-213. Disponível em: http://periodicos.unespar.edu.br/index.php/ensinoepesquisa/article/view/1061/607

Costa M. Trabalho em pequenos grupos: dos mitos à realidade. Medicina (Ribeirão Preto). 2014[citado em 2021 mar. 17];47(3):308-13. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/86620/89550

Publicado

08-11-2021

Como Citar

1.
Lemes MA, Marin MJS, Lazarini CA, Bocchi SCM, Ghezzzi JFSA, Higa E de FR. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE ESTUDANTES DE ENFERMAGEM SOBRE A AVALIAÇÃO NA APRENDIZAGEM ATIVA. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 8º de novembro de 2021 [citado 18º de junho de 2024];25(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/44490

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.