TRAÇOS DO ENSINO NIGHTINGALEANO NA FORMAÇÃO DA ENFERMEIRA CEARENSE

Autores

  • Roberlandia Evangelista Lopes
  • Silvia Maria Nóbrega-Therrien
  • Perpétua Alexsandra Araújo
  • Carlos Romualdo de Carvalho e Araújo
  • Michelle Alves Vasconcelos Ponte
  • Mariza da Costa Pereira
  • Thais Gomes Falcão

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2021.44548

Palavras-chave:

Enfermagem, Educação em Enfermagem, História da Enfermagem, Memória, Enfermería, Educación en Enfermería, Historia de la Enfermería, Memoria, Nursing, Education, Nursing, History of Nursing, Memory

Resumo

Objetivo: descrever os traços do ensino Nightingaleano na formação da enfermeira cearense. Métodos: este estudo histórico é de natureza qualitativa. A história cultural foi o referencial teórico e metodológico do estudo. As fontes primárias foram constituídas de documentos escritos, arquivados no Núcleo de Documentação Informação História e Memória da Enfermagem no Ceará e a entrevista oral teve a participação de três professoras enfermeira/egressas da Escola de Enfermagem São Vicente de Paulo-Ceará. A análise dos documentos escritos foi guiada por Luchese. Já os documentos sonoros apoiaram-se em Albert. Resultados: a Escola de Enfermagem São Vicente de Paulo teve influência da Escola Anna Nery, configurando-se com a adoção do modelo anglo-americano, sendo um desdobramento Nightingaleano, distinguindo-se do modelo americano apenas neste quesito: escolas funcionando anexas a hospitais, demonstrando um ensino que privilegiava estágios hospitalares. Conclusão: o estudo em questão avança na origem do ensino cearense e acredita-se que reconhecer essa premissa contribuirá para ampliar o olhar da Enfermagem cearense, assim como refletir seu papel, sua imagem, sua identidade profissional perpassada ao longo da história da profissão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Costa R, Padilha MY, Amante LN, Costa E, Bock LF. O legado de Florence Nightingale: uma viagem no tempo. Texto & Contexto - Enfermagem. 2009[citado em 2021 fev. 15];18(4):661-9. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-07072009000400007

Carvalho AC. Histórico da Escola de Enfermagem “Lauriston Job Lane”. Rev Bras Enferm. 1968[citado em 2021 jan. 12];2(3):151- 6. Disponível em:https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index. php/cadpagu/article/view/8635331

Medeiros M, Tipple ACV, Munari DB. A expansão das escolas de Enfermagem no Brasil na primeira metade do século XX. Rev Eletrônica Enferm. 1999[citado em 2020 jun. 20];1(1). Disponível em:http://www.revistas.ufg.br/index.php/fen/article/view/666/736

Santos, TCF, Barreira IA, Fonte AS, Oliveira AB. Participação americana na formação de um modelo de enfermeira na sociedade brasileira na década de 1920. Rev Esc Enferm USP. 2011[citado em 2020 jun. 20]:45(4):966-73. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ reeusp/a/ZQ8RwDW8bYJ6dCFMxqLZvwg/?lang=pt&format=pdf

Decreto nº 20.109, de 15 de junho de 1931. Regula o exercício da Enfermagem no Brasil e fixa, as condições para a equiparação das escolas de Enfermagem. Diário Oficial da União, Brasília, 28 out. 1931. Seção 1, p. 10516. [citado em 2021 jan. 13]. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1930-1939/decreto20109-15-junho-1931-544273-publicacaooriginal-83805-pe.html

Monteiro BA, Oguisso T. Visão histórica da Lei nº 755/49 e seu impacto no Ensino de Enfermagem no Brasil. In: Oguisso T, Freitas GF. História da Enfermagem: instituições & práticas de ensino e assistência. Brasília: Aben; 2015[citado em 2021 jan. 13]. Disponível em:http://here.abennacional.org.br/here/2a07.pdf

O Nordeste. Interessantes resultados do recenseamento da população do Ceará. Fortaleza; 1942[Publicado em:14 jan.1942].

O Nordeste. Na Assistência e na Polícia. Fortaleza;1944[Publicado em: 03 jan.1944].

O Nordeste. Enfermeiras... Pingo. Fortaleza; 1942[Publicado em: 25 fev. 1942].

Nóbrega-Therrien et al. Escola de Enfermagem São Vicente de Paulo, Ceará: História e Memória de uma proposta Ousada-1865-1943. In: OGUISSO, Taka. História da Enfermagem: instituições e práticas do Ensino e Assistência. 2015. p. 254[citado em 2016 Jun. 07];(2),449-57. Disponível em: http://here.abennacional.org.br/ here/2a07.pdf

Decreto n° 21.855 - 26 de setembro de 1946. Concede equiparação à Escola de Enfermaria “São Vicente de Paulo”. Diário Oficial da União, Brasília, 26 set. 1973. Seção 1, p. 232. Disponível em: http:// www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1940-1949/decreto-21855- 26-setembro-1946-341734-publicacaooriginal-1-pe.html

Mendes ETB. A formação da enfermeira cearense e a Escola de Enfermagem São Vicente de Paulo (1943-1977) [Dissertação]. Fortaleza: Universidade Estadual do Ceará; 2013.

Nóbrega-Therrien SM, Almeida MI, Lopes RE, Silva AC, Mendes ETB, Gonçalves SES. Keeping the light on - Nursing history center in Ceara - NUDIHMEn. Rev Bras Enferm. 2018[citado em 2020 ago. 07];71(5):2579-83. Disponível em: https://www.scielo. br/j/reben/a/Mb5Gcth7zXJqHRyWJXRRbgx/abstract/?lang=en

Luchese TÂ. Modos de fazer história da educação: pensando a operação historiográfica em temas regionais. Hist Educ. 2014[citado em 2020 ago. 07];18(43):145-61. Disponível em: https://www.scielo.br/j/heduc/a/QYXgvgPRTCjP8cs7FZtz8bG/ abstract/?lang=pt

Alberti V. Manual de História Oral. Rio de Janeiro: FGV; 2004.

Equiparação da EESVP a Escola Ana Nery. Artigo Noticioso Doado. Fortaleza; 1976[Publicado em: 18.07.1946].

O Nordeste. Equiparação da EESVP à EEAN. Artigo Noticioso. Fortaleza;1946[Publicado em: 22.07.1946].

O Nordeste. A EESVP foi à quinta instituição de ensino de Enfermagem a ser reconhecida no País. Fortaleza; 1964[Publicado em: 22.09.1964].

Lopes RE. Formação e prática da enfermeira cearense: implicações e consequências da implantação da lei n° 775 de 1949 [Tese]. Fortaleza: Universidade Estadual do Ceará; 2017.

Costa DFB. Nem dama, nem freira, enfermeira ou do ideário pedagógico da profissionalização de Enfermagem no Brasil (1931 a 1961) [Dissertação]. Maringá: Universidade Estadual de Maringá; 2012. Disponível em: https://periodicos.sbu. unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640159/0

Rizzoto MLF. (Re) Vendo a Questão da Origem da Enfermagem Profissional no Brasil: a Escola Anna Nery e o Mito da Vinculação com a Saúde Pública. Rev Bras Enferm.1997[citado em 2021 jun. 07],50(1):143-6. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ reben/a/g448B869CrXRqBS4nDPSzLn/?lang=pt

Passos ES. A ética na Enfermagem. Rev Bras Enferm.1995[citado em 2020 jul. 10]:48(1):85-92. Disponível em: https://www. scielo.br/pdf/reben/v48n1/v48n1a12.pdf

Pagliosa FL, Da Ros MA. O Relatório Flexner: para o bem e para o mal. Rev Bras Educ Méd. 2008[citado em 2021 jan. 07];32(4):492-9. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ rbem/a/QDYhmRx5LgVNSwKDKqRyBTy/?lang=pt

Backs VMS. O legado histórico do modelo nightingale: seu estilo de pensamento e sua práxis. Rev Bras Enferm. 1999[citado em 2020 jun. 07];52(2):251-64. Disponível em: https://www.scielo. br/j/reben/a/HQX8zbhPFs6NpcmnvHFRxZJ/abstract/?lang=pt

Pires D. Organização do trabalho na saúde. In: Leopardi MT, organizadora. O processo de trabalho em saúde: organização e subjetividade. Florianópolis (SC): PapaLivros; 1999. p.176

Germano RM. A Ética e o ensino de ética na Enfermagem no Brasil. São Paulo: Cortez; 1993. 72 p.

Ata da EESVP. Reunião Corpo Docente da EESVP – 03/06/1949. Fortaleza: EESVP; 1949.

Osório IB. Memórias de uma enfermeira. Fortaleza: LCR; 2007. 85 p. 9 Traços do ensino Nightingaleano na formação da enfermeira cearense DOI: 10.5935/1415.2762.20210061 REME • Rev Min Enferm. 2021;25:e-1413

Almeida MCP, Rocha JSV. O saber da Enfermagem e sua dimensão prática. 2ª ed. São Paulo: Cortez; 1989. 60 p.

O Nordeste. Não possuímos pessoal competente para a rede hospitalar do Ceará e nordeste. Jornal Unitário. 1950;16.

Carrijo AR. Ensino de história em Enfermagem: formação inicial e identidade profissional [Tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2012[citado em 2021 fev. 15]. Disponível em: https:// teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7140/tde-15022012-185459/ publico/Alessandra_Carrijo.pdf

Silva GB. A Enfermagem profissional: uma análise crítica. São Paulo: Cortez; 1986. 45 p.

Publicado

01-01-2021

Como Citar

1.
Lopes RE, Nóbrega-Therrien SM, Araújo PA, Araújo CR de C e, Ponte MAV, Pereira M da C, Falcão TG. TRAÇOS DO ENSINO NIGHTINGALEANO NA FORMAÇÃO DA ENFERMEIRA CEARENSE. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 1º de janeiro de 2021 [citado 14º de junho de 2024];25(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/44548

Edição

Seção

Pesquisa