Uma experiência de gestão territorial nas terras indígenas do Acre

  • Renato Antonio Gavazzi Universidade de São Paulo

Resumo

O artigo aborda uma experiência local, na Amazônia Ocidental brasileira, onde sociedades indígenas acreanas lutam para a proteção de seus territórios tradicionais e como a cartografia indígena vem sendo trabalhada no programa de formação de agentes agroflorestais indígenas, ação educacional para a gestão de seus territórios. O trabalho destaca a importância da construção participativa de etnomapas e de planos de gestão territorial e ambiental, ferramentas de gestão que vêm sendo incorporadas nas políticas públicas no Estado do Acre. Palavras chave: Agente agroflorestal indígena, cartografia indígena, plano de gestão territorial e ambiental, povos indígenas do Acre, uso, manejo e conservação dos recursos naturais, políticas públicas.

Publicado
2012-12-31
Seção
Paraiá: onça em língua Xakriabá (onde o bicho pega)