Machado de Assis: Dom Casmurro - da mortedo amor

  • Eneida Maria de Souza Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

Através de Machado de Assis, a Civilização Ocidental encontrou, no
Brasil, o seu mais legítimo crítico. Não pretendo, porém, fixar-me na
sua maneira de ver a civilização, fato de que tem se ocupado parte da
crítica, nas mais diferentes épocas em que tem sido escrita. Quero
fixar-me na maneira amorosa, sensual, com que Machado se relaciona
com os objetos-livros que produziu. Atenho-me aos romances,
naquilo que se pode concluir sobre a busca de acabamento estético e
a tentativa de transformar o produto material em algo tão perfeito
quanto o texto escrito. É a partir de Machado que fica consagrada
uma das marcas da expressão brasileira, a criação de uma nova vertente
literária, que poderá ser comprovada em outros autores, com a
formação de uma tradição. Na Advertência a uma nova edição de
Helena, em 1905, Machado afirma que cada obra pertence ao seu
tempo, pensamento que vai nortear minha leitura dos autores escolhidos,
como objetos de análise neste texto.

Publicado
2017-06-30
Seção
Artigos