Chamada para artigos - Dezembro de 2021

2021-05-11

CHAMADA LICERE 2021 - RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS E LAZER

O século XXI trouxe desafiantes questões para novas agendas de estudos, pesquisas e protagonismos acadêmicos no campo das Ciências Sociais e Humanas, que afetaram e afetam diretamente perspectivas de problematização e análises no campo dos Estudos do Lazer. Dentre estes desafios está posto para as sociedades contemporâneas o enfrentamento à história e condição social de racismo e de sentidos e atualizações em torno das relações étnico-raciais. No Brasil, o processo de colonização, a diáspora africana, as experiências da escravidão e suas violentas consequências constituem um cenário de emergência histórica.

Ao visibilizar os Estudos do Lazer e as discussões sobre as relações étnico-raciais, buscamos ressaltar as histórias e culturas africanas, afro-brasileiras e indígenas, e provocar o comprometimento com uma agenda de produção de luta e resistência destes povos. Um movimento epistemológico e político que busca amplificar vozes oriundas da dominação e subalternização, que determinam formas de pensar, sentir, ensinar, aprender, resistir e re-existir em um mundo cuja polifonia precisa vir à tona. A exclusão étnica-racial das condições dignas de vida é ainda mais acentuada quando levamos em consideração que são anos de luta e resistência em prol da vida, estabelecendo batalhas cotidianas por respeito e valorização que ocupam as diversas cenas, dentre elas, a acadêmico-científica. 

Diante desse contexto, a Revista Licere, comprometida com a equidade racial, enseja com esta chamada selar este compromisso acadêmico social, buscando se consolidar como espaço de acolhimento e divulgação da produção de conhecimento acerca das relações étnico-raciais, no campo dos estudos do Lazer.

No Brasil, a expressão étnico-racial ressalta que as tensas relações raciais estabelecidas no país vão para além das diferenças na cor da pele e nos traços fenotípicos, mas correspondem também a matrizes culturais baseadas na ancestralidade africana, afro-brasileira e indígena que diferem em visão de mundo, valores e princípios do ocidente. A pluridiversidade da formação do povo brasileiro traz heterogeneidade cultural, étnica e racial, que se realiza como referência nacional em nossa história, sociedade e costumes,  provocando desdobramentos em nosso cotidiano. Dentre os objetivos desta edição, destacamos a intenção de: proporcionar debates acadêmico-científicos que possam contribuir com as produções sobre lazer e as relações com a negritude e os povos indígenas a partir de perspectivas multi e interdisciplinares; qualificar a produção acadêmico-científica no campo dos estudos sobre lazer que enfocam as relações étnico-raciais como objeto de pesquisa, análise e divulgação; possibilitar e promover um espaço de reflexão e debates sobre as questões étnico-raciais e o lazer como problemá­ticas contemporâneas de impacto sociocultural, político, educacional, artístico e científico.

Nesse sentido, convidamos pesquisadores e pesquisadoras a contribuírem com produções que abordem discussões sobre:

  • Reflexões socioculturais, antropológicas e filosóficas da relação entre lazer e raça/etnia;
  • Lazer e as relações étnico-raciais de negras(os) e indígenas na construção de subjetividades e identidades;
  • Práticas, espaços de lazer, comunidades, tradições relacionadas à diáspora, africanidades, negritude e povos indígenas;
  • Relações étnico-raciais, lazer, currículos e processos educativos;
  • Políticas públicas de lazer e relações étnico-raciais;
  • Relações étnico-raciais na formação e atuação profissional em lazer;
  • História, memória e tradição oral nos lazeres em contextos afro-brasileiros e indígenas;
  • Lazer, relações étnico-raciais e interseccionalidade;
  • Representações e imaginários sobre negros e indígenas em diferentes mídias e o lazer.

A proposição desta edição é trazer a público uma gama de informações que tanto valorizem os grupos estudados, quanto estimulem novas pesquisas e reflexões sobre este contexto bastante diversificado, abrindo espaço para as vozes violentamente silenciadas nos processos de colonização, invasão e diáspora que constituem nossas relações étnico-raciais.

Esperamos, também, que este seja um movimento para além das produções, que chegue também às pessoas, às pesquisadoras e pesquisadores negras (os) e indígenas, que militam e desenvolvem trabalhos em defesa da equidade e igualdade de oportunidades acadêmico-científicas. Certamente, esta será uma abordagem inicial de muitas outras possíveis em prol das relações étnico-raciais e os Estudos do Lazer, viáveis e necessárias ao apoio, incentivo e divulgação da ciência brasileira.  

Os textos serão publicados no exemplar de dezembro de 2021 e devem ser encaminhados até o dia 11 de outubro de 2021 por meio do sistema da Revista (OJS). Os trabalhos devem obrigatoriamente versar sobre as relações étnico-raciais e os estudos do lazer e os trabalhos devem seguir as normas disponíveis no site da revista. Os/As autores/as devem informar, abaixo do título do artigo, o interesse em integrar a chamada sobre as relações étnico-raciais e cada autor/a poderá enviar apenas um trabalho para ser avaliado. A chamada está aberta para todas as seções da Revista Licere (Artigos – originais e de revisão; Relatos de Experiência; Tome Ciência; Fique por Dentro).