Avaliação dos Estados de Humor e Qualidade de Vida de Idosas em Diferentes Contextos de Vida e a Percepção da Importância do Lazer

  • Bárbara Beatriz Ferreira Silva Universidade Católica de Brasília (UCB)
  • Amand Alves da Silva Universidade Católica de Brasília (UCB)
  • Gislane Ferreira de Melo Universidade Católica de Brasília (UCB)
  • Isabelle Patriciá Freitas Soares Chariglione Universidade Católica de Brasília (UCB)
Palavras-chave: Percepção, Atividades de Lazer, Idoso

Resumo

A presente pesquisa investigou os estados de humor de mulheres idosos em diferentes contextos de vida e a percepção das mesmas quanto à importância do lazer em suas vidas. Participaram da amostra 32 idosas residentes de casas-lares e idosas inscritas nas aulas de artesanato de um Centro de Convivência de Idosos. Para avaliação psicológica utilizou-se instrumentos validados no Brasil e um questionário semiestruturado. Os resultados inferem que mulheres que vivem em casas-lares possuem maiores valores de depressão e menor qualidade de vida que mulheres não institucionalizadas e que apesar dos dois grupos terem em seu dia-a-dia atividades de lazer manual, físico-esportivo, o significado que aquelas que estão fora das instituições de longa permanência e que possuem um conhecimento de uma educação pelo e para o lazer dão a este construto é muito diferente daquela que não sabem o porquê de fazer este tipo de atividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, M. M. G. et al. Atividades de lazer entre idosos, Feira de Santana, Bahia. Revista baiana de saúde pública, v. 29, n. 2, p. 339-352, 2005.

ALMEIDA, O. P.; ALMEIDA, S. A. Confiabilidade da versão brasileira da Escala de Depressão em Geriatria (GDS) versão reduzida. Arquivos Neuropsiquiatricos, v. 57, n. 2B, p. 421-6, 1999.

ANDRADE, Ana Carla Alves de et al. Depressão em idosos de uma instituição de longa permanência (ILP): proposta de ação de enfermagem. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 26, n. 1, p. 57-66, 2005.

ANDREWS, Frank M.; ROBINSON, John P. Measures of subjective well-being. Measures of personality and social psychological attitudes, v. 1, p. 61-114, 1991.

ARGIMON, I. I. L. et al. O impacto de atividades de lazer no desenvolvimento cognitivo de idosos. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, v. 1, n. 1, p. 38-47, 2004.

BERGER, K. S. O desenvolvimento da pessoa da infância à terceira idade (DC Alencar, Trad.). Rio de Janeiro: LTC. (Original publicado em 1983), 2003.

CAMARGO, L. O. L. O que é lazer. São Paulo: Brasiliense, 2003.

CARREIRA, L. et al. Prevalência de depressão em idosos institucionalizados. Revista de enfermagem. UERJ, v. 19, n. 2, p. 268-273, 2011.

COSTA, T. B. et al. Atividade física, atividade social e satisfação com a vida= relações cruciais na velhice bem-sucedida. 2016. Tese (Doutorado em Gerontologia) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, 2016.

CUNHA, J. A. et al. Manual da versão em português das Escalas Beck. São Paulo: Casa do Psicólogo, p. 11-13, 2001.

D'ALENCAR, Raimunda Silva; ALVES, Wagner Santos Sousa. O (des) amparo da velhice e a singularidade silenciosa das casas asilares. Memorialidades, v. 1, n. 2, p. 38-48, 2014.

DIAS, D. S. G.; CARVALHO, C. S.; ARAÚJO, C. V. Comparação da percepção subjetiva de qualidade de vida e bem-estar de idosos que vivem sozinhos, com a família e institucionalizados. Revista brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 16, n. 1, p. 127-138, 2013.

DIAS, Roges Ghidini et al. Diferenças nos aspectos cognitivos entre idosos praticantes e não praticantes de exercício físico. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, v. 63, n. 4, p. 326-31, 2014.

DIENER, Ed. Subjective well-being. Psychological bulletin, v. 95, p. 542, 1984.

DOMINGOS, P. Impacto de um programa de atividade física com a Nintendo Wii na qualidade de vida, depressão e ansiedade em idosos. 2013. Dissertação (Mestrado em Psicologia do Desporto e do Exercício) - Instituto Politécnico de Santarém. Rio Maior. Pará. Brasil, 2013.

DUMAZEDIER, Joffre. Valores e conteúdos culturais do lazer. Administração regional no estado de São Paulo, São Paulo: SESC, 1980.

GIACOMONI, C. H. Bem-estar subjetivo: em busca da qualidade de vida. Temas em Psicologia, v. 12, n. 1, p. 43-50, 2004.

GOLGHETTO CASEMIRO, F. et al. Impacto da estimulação cognitiva sobre depressão, ansiedade, cognição e capacidade funcional em adultos e idosos de uma universidade aberta da terceira idade. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 19, n. 4, p. 683-694, 2016.

HOLMES, D. S.; COSTA, S. Psicologia dos transtornos mentais. Artes Médicas, 1997.

HORLEY, James. Life satisfaction, happiness, and morale: two problems with the use of subjective weil-being indicators. The Gerontologist, v. 24, n. 2, p. 124-127, 1984.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Projeção da população do Brasil e das Unidades da Federação. 2015. Recuperado em setembro, 2015, de http://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/

LARANJEIRA, C. A. S. J. Do vulnerável ser ao resiliente envelhecer: revisão de literatura. Psicologia: teoria e pesquisa, v. 23, n. 3, p. 327-332, 2007.

MARCELLINO, N. C. Estudos do Lazer: uma introdução. Campinas: Autores Associados, 2002.

MARCELLINO, Nelson Carvalho. Apontamentos para a elaboração de um repertório de atividades de recreação e lazer, por fases da vida. In: MARCELLINO, N. Lazer E Recreação: Repertório de atividades por fases da vida. Campinas: Papirus Editora, 2006.

MENDONÇA, R. M. S. C. Efeitos da prática de exercício físico nas dimensões físicas e psicológicas em mulheres brasileiras: perspectivas transversais e longitudinais. 2015. Tese de doutorado. (Ciências do desporto) - Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Portugal, Vila Real, 2015.

NAMAN, M. et al. O Lazer nas Diferentes Fases da Vida de Centenários. Licere, v. 20, n. 1, p. 201-220, 2017.

NÓBREGA, I. R. A. P. et al. Fatores associados à depressão em idosos institucionalizados: revisão integrativa. Saúde em Debate, v. 39, n. 105, p. 536-550, 2015.

NUNES, M. F. O. et al. Satisfação e autonomia nas atividades de lazer entre universitários. Psicologia: teoria e prática, v. 16, n. 1, p. 91-103, 2014.

OLIVEIRA, C. et al. Reiki na ansiedade de idosos institucionalizados. Enfermagem Brasil, v. 15, n. 2, p. 62-67, 2016.

OLIVEIRA, K. L. et al. Relação entre ansiedade, depressão e desesperança entre grupos de idosos. Psicologia Estudo, v. 11, n. 2, p. 351-9, 2006.

OLIVEIRA, Kamilla Paula Gandra; NASCIMENTO, Alan Faber. Revisando o lazer na terceira idade: uma proposta metodológica necessária. LICERE-Revista do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer, v. 17, n. 3, p. 275-302, 2014.

OLIVEIRA, D. A. A. P.; GOMES, Lucy; OLIVEIRA, Rodrigo F. Prevalência de depressão em idosos que frequentam centros de convivência. Revista de Saúde Pública, v. 40, n. 4, p. 734-6, 2006.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Constituição da Organização Mundial da Saúde (OMS/WHO) – 1946. Recuperado em 20 de maio, 2016 do https://www.direitoshumanos.usp.br/index.php/OMS-Organiza%C3%A7%C3%A3o-Mundial-da-Sa%C3%BAde/constituicao-da-organizacao-mundial-da-saude-omswho.html

PONDÉ, M. P.; CAROSO, C. Lazer como fator de proteção da saúde mental. Revista de Ciências Médicas, v. 12, n. 2, p. 163-172, 2003.

RICARDO, L. I. C. et al. Preferências de atividades de lazer de um grupo de idosas do extremo sul do Brasil. Licere, v. 16, n. 2, p. 1-12, 2013.

RODRIGUES, J. P.; FERNANDES, C. A. M. Lazer e Sociabilidade: Sobre as Memórias e Motivações de Idosos Participantes de uma Experiência de Educação Não Formal na Zona Leste da Cidade de São Paulo. Licere, v. 19, n. 4, p. 201-225, 2017.

ROWE, John W.; KAHN, Robert L. Successful aging: The MacArthur foundation study. New York: Pantheon, 1998.

SANTOS, P. L.; FORONI, P. M.; CHAVES, M. C. F. Atividades físicas e de lazer e seu impacto sobre a cognição no envelhecimento. Medicina (Ribeirao Preto. Online), v. 42, n. 1, p. 54-60, 2009.

SCHWARTZ, G. M. O conteúdo Virtual do lazer-contemporizando Dumazedier. Licere, v. 6, n. 2, p. 23-31, 2003.

SILVA, E. R. et al. Prevalência e fatores associados à depressão entre idosos institucionalizados: subsídio ao cuidado de enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 46, n. 6, p. 1387-1393, 2012.

SIRGY, M. Joseph; CORNWELL, Terri. How neighborhood features affect quality of life. Social indicators research, v. 59, n. 1, p. 79-114, 2002.

STUART-HAMILTON, I. Criatividade na velhice. Porto Alegre: Artmed. 2002.

VAREJÃO, Ronaldo Vivone; DANTAS, Estélio Herique Martins; MATSUDO, Sandra MM. Comparação dos efeitos do alongamento e do flexionamento, ambos passivos, sobre os níveis de flexibilidade, capacidade funcional e qualidade de vida do idoso. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, v. 15, n. 2, p. 87, 2008.

VILELA, A. B. A. Envelhecimento bem-sucedido: representação de idosos. Revista Saúde. com, v. 2, n. 2, 2016.

WHOQOL GROUP et al. Development of the World Health Organization WHOQOL-BREF quality of life assessment. Psychological medicine, v. 28, n. 3, p. 551-558, 1998.

Publicado
2019-03-29
Como Citar
Silva, B. B. F., Silva, A. A. da, Melo, G. F. de, & Chariglione, I. P. F. S. (2019). Avaliação dos Estados de Humor e Qualidade de Vida de Idosas em Diferentes Contextos de Vida e a Percepção da Importância do Lazer. LICERE - Revista Do Programa De Pós-graduação Interdisciplinar Em Estudos Do Lazer, 22(1), 24-48. https://doi.org/10.35699/1981-3171.2019.12310
Seção
Artigos Originais