Diversão à Moda Suburbana

Repressão, Tensão e Violência (1900-1923)

  • Nei Jorge dos Santos Junior Faculdade Machado de Assis (FAMA)
Palavras-chave: Subúrbios, Atividades de Lazer, Representações, Imprensa

Resumo

Este trabalho tem por objetivo compreender as representações e mecanismos de repressão criados pelos periódicos e pela polícia da cidade do Rio de Janeiro, que não somente desqualificavam, como também estereotipavam as práticas de lazer da região arrabaldina. Quanto ao recorte temporal, levamos em conta as crônicas e notícias produzidas nos periódicos O Imparcial, a Gazeta de Notícias, O Paiz e o Jornal do Brasil, entre os anos de 1900 a 1923, período em que os jornais e a polícia teceram diversas críticas às formas de diversão suburbana, buscando redefinir usos e costumes considerados inadequados aos padrões daquilo que se julgava como civilizado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CARNAVAL. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 11, 27 jan. 1923a.

______. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 11, 30 jan. 1923b.

CARNAVAL: a polícia e os clubs. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 07, 30 jan. 1919.

CARNAVAL nos subúrbios. Gazeta de Notícias, Rio de Janeiro, p. 03, 29 jan. 1907.

CONSEQUÊNCIAS. O Malho, Rio de Janeiro, p. 06, 28 fev. 1903.

CORAÇÕES a larga. O Imparcial, Rio de Janeiro, p.03, 30 jan. de 1923.

COSTA, Mariana Barbosa Carvalho. Entre o lazer e a luta: o associativismo recreativo entre os trabalhadores fabris do Jardim Botânico (1895-1917). Dissertação (Mestrado em História Social da Cultura) – Departamento de História, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.

COUTINHO, Carlos Nelson. Cultura e sociedade no Brasil: ensaios sobre ideias e formas. Belo Horizonte: Oficina de Livros, 1990.

CUNHA, Maria Clementina Pereira. Ecos da folia. Uma história social do carnaval carioca entre 1880 e 1920. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

ESTATUTOS do Grupo Carnavalesco Flor da Lyra, Rio de Janeiro, 1903.

ESTATUTOS da Sociedade Familiar Club dos Mangueiras, Rio de Janeiro, 1915.

EXAME e vistoria no Club dos Pingas Carnavalescos, Rio de Janeiro, 8 fev. 1919.

NÃO há mal que por bem não venhas. A Época, Rio de Janeiro, p. 06, 19 set. 1913.

PEDIDO de Licença do Grupo Carnavalesco Flor da Lyra, Rio de Janeiro, 1903.

PEDIDO de Licença do Grupo Carnavalesco Flor da Lyra, Rio de Janeiro, 1907.

PEDIDO de Licença do Grupo Carnavalesco Flor da Lyra, Rio de Janeiro, 1908.

PEDIDO de Licença do Grupo Carnavalesco Flor da Lyra, Rio de Janeiro, 1912.

PEDIDO de Licença do Grupo Carnavalesco Flor da Lyra, Rio de Janeiro, 1917.

PEDIDO de Licença do Grupo Carnavalesco Flor da Lyra, Rio de Janeiro, 1919.

PEDIDO de Licença do Grupo Carnavalesco Flor da Lyra, Rio de Janeiro, 1920.

PEDIDO de Licença do Cube Recreativo Couraceiros do Inferno, Rio de Janeiro, fev. 1914.

PEDIDO de Licença da Sociedade Familiar Club dos Mangueiras, Rio de Janeiro, 1915.

PEREIRA, Leonardo Afonso. E o Rio dançou. Identidades e tensões nos clubes recreativos cariocas (1912-1922)”. In: CUNHA, M. C. P. (Org.). Carnavais e outras f(r)estas. Campinas, SP: Editora Unicamp/ Cecult, 2002. p. 419-444.

PEREIRA, Leonardo Afonso. O Prazer das Morenas: bailes ritmos e identidades no Rio de Janeiro da Primeira República. In: MARZANO, A. e MELO, V. Vida Divertida: histórias do lazer no Rio de Janeiro (1830-1930). Rio de Janeiro: Apicuri, 2010.

AO PROLETARIADO brasileiro. A Época, Rio de Janeiro, p. 06, 3 de out. 1913.

O QUE a polícia não vê. A Imprensa, Rio de Janeiro, 12 jun. 1914.

SANTOS JUNIOR, Nei Jorge. A construção do sentimento local: o futebol nos arrabaldes de Andaraí e Bangu (1914-1923). Rio de Janeiro: Multifoco, 2014.

______. A vida divertida suburbana: representações, identidades e tensões em um arrabalde chamado Bangu (1895-1929). 2017. 230f. Tese (Doutorado em Estudos do Lazer) – Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2017.

OS SEDENTOS de sangue. O Imparcial, Rio de Janeiro, p. 03, 25 ago. 1913.

SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na Primeira República. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

Publicado
2019-03-30
Como Citar
Santos Junior, N. J. dos. (2019). Diversão à Moda Suburbana. LICERE - Revista Do Programa De Pós-graduação Interdisciplinar Em Estudos Do Lazer, 22(1), 167-187. https://doi.org/10.35699/1981-3171.2019.12318
Seção
Artigos Originais