O Milagre do Candeal e a Pedagogia do Ócio Humanista

Transformações Sociais a partir da Música

  • Liana Abrão Romera Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Aurora Madariaga Universidad de Deusto
  • Idurre Lazkano Universidad de Deusto
Palavras-chave: Pedagogia Social, Ócio, Educação, Transformação Social

Resumo

Pautado nos registros fílmicos do documentário El Milagro del Candeal este estudo teve por objetivo analisar se há relações entre ações realizadas na periferia de Salvador, Bahia, e a pedagogia do ocio humanista. A relação dialógica entre pedagogia humanista e Candeal foi observada nas transformações locais, tanto nas estruturas físicas e urbanísticas, quanto no fortalecimento de seus moradores. A organização em torno da música corrobora potenciais educativos do lazer e suas interferências na transformação social. As ações sócio educativas no Candeal desenvolvidas pelo Pracatum, escola de música, promovem a educação musical em harmonia com os valores da educação cidadã, a partir de uma pedagogia social dinâmica e transformadora. As cenas fílmicas ultrapassam as fronteiras da musicalidade e apontam fortalecer o sentido de pertencimento, reforçando valores, identidade e senso comunitário dos moradores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, K. E. S. Avaliação pós-ocupação de conjuntos habitacionais populares implantados pelo programa viver melhor no Candeal Pequeno. Cadernos PPG-AU/UFBA, v. 6, n. 1, 2007.

AQUINO, C. A. B., & MARTINS, J. C. O. Ócio, lazer e tempo livre na sociedade do consumo e do trabalho. Revista Mal-Estar e Subjetividade, v. 7, n. 2, 479-500, 2007. Retrievedfrom http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-61482007000200013&lng=pt&nrm=iso . Acesso em: 2016.

BECKER, H. Outsiders: estudos de sociologia do desvio. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

CALDWELL, L.L. &WITT, P.A. Leisure, recreation, and play from a developmental context. New Directions for Youth Development, 130, 13-27. 2011.

CARIDE GÓMEZ, J. Lo que el tiempo educa: el ocio como construcción pedagógica y social. Arbor, v. 188n. 754, 301-313. 2012.

CASTRO, A. A., & RIBEIRO, M. T. F. Música e desenvolvimento em Salvador (Bahia), à luz da geografia crítica e ecologia dos saberes. Per Musi, 31, p. 235-257, 2015.

CUENCA, M. C. Ocio Humanista: dimensiones y manifestaciones actuales del ocio. [Documentos de Estudios de Ocio, 6]. Bilbao: Deusto, 2000.

______. Pedagogia del ocio: modelos y propuestas. Bilbao: Universidad de Deusto, 2004.

______. Valores que dimanan del ocio humanista. In A. M. ORTUZAR & AMIGO, J. C. (Eds.), Los valores del ocio: cambio, choque e innovación. Bilbao: Universidad de Deusto. p. 17-40, 2011.

DE ANDRADE LEAL, M. G. Candeal: ocupação e constituição de um bairro em Salvador/Bahia (séculos XVIII-XX). Tempos Históricos, 18, 537-558, 2014.

GOMES, C. L. Dicionário crítico do lazer. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2004.

GUERREIRO, G. O drible do Candeal: o contexto sociomusical de uma comunidade afro-brasileira. Afro-Ásia, 33, 207-248. 2005.

LUCIO, A.L. Desenvolvimento, educação e direitos humanos. Revista Portuguesa de Educação, v. 26, n. 2, 225-243, 2013.

NÓBREGA, N. C. F. Innovación de soluciones para la exclusión socioeconómica de las periferias urbanas brasileñas. Revista de Estudios Brasileños, v. 3, n. 4, 172-174, 2016.

ROMERA, L.A. Esporte, lazer e prevenção ao uso drogas: dos discursos equivocados aos caminhos possíveis. Licere, v. 16, n. 4, 1-20, 2013.

STEBBINS, R.A.: Serious Leisure. A Perspective for Our Time. Transaction Publishers, New Brunswick, 2007.

TRUEBA, F. (Diretor). El milagro del Candeal. Intépretes C. Brown, B. Valdés, Mateus, C. Mendes, C. Veloso. Espanha: Fernando Trueba P.C. e BMG Music Spain S.A, 2004.

ÚCAR, X. M., & HÄMÄLÄINEN, J. Presentación. Pedagogía Social. Revista Interuniversitaria, 27, 13-18. Retrieved from: http://www.upo.es/revistas/index.php/pedagogia_social/article/view/1638/1404 . 2016. Acesso em: 2016.

ZANELLA, A. V. Atividade, significação e constituição do sujeito: considerações à luz da psicologia histórico-cultural. Psicologia em Estudo, v. 9, n. 1, 127-135, 2004.

Publicado
2019-06-24
Seção
Artigos Originais