Lazer, Arte e Competição

Uma Análise Etnográfica sobre um Modo de Viver as Danças Tradicionais Gaúchas

  • Diego Nunes Moresco Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Marco Paulo Stigger Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Palavras-chave: Dança Gaúcha, Atividades de Lazer, Tradicionalismo, Competição

Resumo

Este trabalho é fruto de uma etnografia produzida no universo do tradicionalismo gaúcho, em um grupo de danças tradicionais. No estudo, esta prática é encontrada a partir de competições artísticas, sendo que participar destes grupos parece produzir uma série de sentidos e significados que extrapolam as definições de um lazer fruído e desinteressado. Ao longo do estudo verificou-se um caráter sério e produtivista na maneira como os integrantes do grupo de danças vivenciavam sua atividade. Esta seriedade parece romper com uma prática puramente artística, produzindo um fazer artístico específico, pautando-se pelo desempenho competitivo, a possibilidade de superação de limites e do desenvolvimento de uma espécie de carreira no lazer.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BECKER, G. L. Além da tradição: etnografando um CTG (Centro de Tradições Gaúchas) na Região de Curitiba, Paraná. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2014. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/36863 . Acesso em: 13 maio 2018.

BRUM, Ceres Karam. Em busca de um novo horizonte: o Encontro de Artes e Tradição Gaúcha e a universalização do tradicionalismo. Horizontes Antropológicos, n. 40, p. 311-342, 2013.

DUMAZEDIER, Joffre. Lazer e cultura popular. São Paulo: Perspectiva, 2008.

ELIAS, N; DUNNING, E. A busca da excitação. Lisboa: Difusão, 1992.

GEERTZ, Clifford. A religião como sistema cultural. In: GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989.

MARCELLINO, Nelson Carvalho. Estudos do lazer: uma introdução. Campinas: Autores Associados, 2002.

MOVIMENTO TRADICIONALISTA GAÚCHO. Histórico. 2018a. Disponível em: http://www.mtg.org.br/historico/218 . Acesso em: 27 jan. 2018.

¬¬¬¬¬¬______. Regulamento Artístico. 2018b. Disponível em: http://www.mtg.org.br/public/libs/kcfinder/upload/files/REGULAMENTO%20%20ENART%20-%20%202017%281%29.pdf . Acesso em: 26 abr. 2018.

NEVES, S. de O., DOLL, J. Serious leisure. Movimento, Porto Alegre, v.18, n. 1, p.325-338, jan./mar. 2012. Disponível em: https://nnn.redalyc.org/articulo.oa?id=115323634016 . Acesso em: 20 jul. 2018.

OLIVEN, R. G. A parte e o todo: diversidade cultural no Brasil-Nação. Petrópolis: Vozes, 2006.

PACHECO, Ariane Corrêa. É lazer, tudo bem, mas é sério: o cotidiano de uma equipe máster feminina de voleibol. 2012. Dissertação (Mestrado em Ciências do Movimento Humano) – Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Rio Grande do Sul. Brasil,2012.

SAVARIZ, Manuelito Carlos. Analise da Caverna do Tradicionalismo. 2018. Disponível em: http://www.rogeriobastos.com.br/2018/06/analise-ideologica-da-caverna-do.html . Acesso em: 30 jun. 2018.

STEBBINS, R. A. Serious leisure: a perspective for our time. New Jersey: Transaction, 2008.

______. Quando o trabalho é essencialmente lazer. Revista Brasileira de Estudos do Lazer, v. 1, n. 1, p. 42-56, 2014.

STIGGER, Marco Paulo. Futebol de veteranos: um estudo etnográfico sobre o esporte no cotidiano urbano. Movimento, Porto Alegre, v. 4, n. 7, p. 52-66, 1997.

VALLEJOS, Maitê. ENCONTRO DE ARTE E TRADIÇÃO (ENART): O CULTIVO DA TRADIÇÃO CULTURAL GAÚCHA POR MEIO DO FESTIVAL. Biblioteca Latino-Americana de Cultura e Comunicação. São Paulo, v. 1, n. 1, 2013.

VELHO, Gilberto; CASTRO, EV de. O conceito de cultura e o estudo de sociedades complexas: uma perspectiva antropológica. Revista Artefato, Rio de Janeiro, ano I, n. 1, p. 25-33, 1978.

Publicado
2019-09-26
Como Citar
Moresco, D. N., & Stigger, M. P. (2019). Lazer, Arte e Competição. LICERE - Revista Do Programa De Pós-graduação Interdisciplinar Em Estudos Do Lazer, 22(3), 189-206. https://doi.org/10.35699/1981-3171.2019.15309
Seção
Artigos Originais