O Lazer como Componente Curricular no Ensino Superior

Uma Análise a Partir da Educação Física

  • Janisson dos Santos Universidade Federal de Sergipe (UFS)
  • Cae Rodrigues Universidade Federal de Sergipe (UFS)
Palavras-chave: Teorias do Lazer, Currículo, Formação Profissional

Resumo

A pesquisa objetivou investigar teorias e conceitos de lazer desenvolvidos em cursos de Educação Física de instituições de ensino superior do estado de Sergipe. A pesquisa é apresentada no artigo em três seções: a primeira traz uma síntese de questões significativas referentes ao currículo; a segunda, uma oposição relevante para a compreensão das orientações filosófico-pedagógicas no campo do lazer; a terceira destinou-se à análise textual qualitativa dos dados empíricos coletados na pesquisa. O corpus foi composto por programas de Educação Física de instituições de ensino superior no estado de Sergipe que desenvolvem o componente curricular “lazer”, além de entrevistas com professores e alunos envolvidos nessas disciplinas. A análise mostra que há evidência das abordagens fenomenológica (uma disciplina) e positivista (duas disciplinas), tanto na forma (predominante) em que as disciplinas são desenvolvidas (métodos), como na própria conceituação do lazer (conteúdo).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES JUNIOR, E. D.; MELO, V. A. Introdução ao lazer. Barueri: Manole, 2003.

BERTOLO, R. A. Cultura do jogo: Livro do professor e do aluno. São Paulo: Ícone, 2005.

CANAPARO, C. Geo-epistemology: Latin America and the location of knowledge. Oxford: Peter Lang, 2009.

CASTELLANI FILHO, L.; CASTELLANI, R. M. Os jogos na minha escola. Campinas: Autores Associados, 2009.

CAVALLARI, V. R.; ZACHARIAS, V. Trabalhando com recreação. 7. ed. São Paulo: Ícone, 2004.

DARIDO, S. C.; SOUZA JUNIOR, O. M. Para ensinar Educação Física: Possibilidades de Intervenção na Escola. 7. ed. Campinas: Papirus, 2011.

DIAS, C. Teorias do lazer e positivismo. In: PIMENTEL, G. G. A. (org.). Teorias do Lazer. Maringá: Eduem, 2010. p.43-72.

DIECKERT, J. Ensinar e aprender na educação física. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1997.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996. (Coleção Leitura).

GOMES, C. L. (Org.). Dicionário Crítico do Lazer. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2004.

GRUNDY, S. Curriculum: Product or praxis. Londres: The Falmer Press, 1987.

GUEDES, M. H. S. Continuando a Brincadeira: jogos de aprendizagem, estafetas, atividades psicomotoras e sessão historiada. 2. ed. São Paulo: Phorte, 2013.

HUIZINGA, J. Homo ludens. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 2000.

ISAYAMA, H. F.; WERNECK, C. L. G. (Org.). Lazer, Recreação e Educação Física. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

LAFARGUE, P. O direito à preguiça. São Paulo: Claridade, 2003.

MARCELLINO, N. C. (Org.) Lazer e Sociedade: Múltiplos Olhares. Campinas: Editora Alínea, 2008.

______. Pedagogia da animação. Campinas: Papirus, 1989.

MELO, V. A. A animação cultural: conceitos e propostas. Campinas: Papirus, 2006.

MONTEIRO, F. Educação Física Escolar e Jogos Cooperativos: uma relação possível. São Paulo: Phorte, 2012.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela Análise Textual Discursiva. Ciência e Educação, v.9, n.2, p.191-211, 2003.

PARKER, S. A sociologia do lazer. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

PIMENTEL, G. G. A. Sobre os desvios no lazer: questões para se pensar a corrupção do lúdico. In: LARA, L. M. (Org.). Abordagens socioculturais em educação física. Maringá: Eduem, 2010a. p.81-112.

______. (Org.). Teorias do Lazer. Maringá: Eduem, 2010b.

PUKE, N.; MARCELLINO, N. C. Possibilidades de interface entre lazer e fenomenologia. Revista argumento, Porto Alegre, v.2. n.01, p.307-327, 2014.

RODRIGUES, C.; GONÇALVES JUNIOR, L.; LEMOS, F. R. M. Teorias do lazer: contribuições da fenomenologia. In: PIMENTEL, G. G. A. (org.). Teorias do Lazer. Maringá: Eduem, 2010. p.73-102.

SACRISTÁN. J. G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SANTOS, J. O Componente Curricular “Lazer” nos Cursos de Formação de Professores de Educação Física nas Instituições de Ensino Superior do Estado de Sergipe. 2016. 152f. Monografia - Graduação em Educação Física Licenciatura, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2016.

SCHWARTZ, G. M. (Org.). Educação Física no ensino superior: Atividades recreativas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004.

SILVA, T. T. Documentos de identidade; uma introdução às teorias do currículo. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

SOARES, C. Educação Física: raízes europeias e Brasil. São Paulo: Autores Associados, 2007.

TUBINO, M. J. G. Dimensões Sociais do Esporte. São Paulo: Cortez, 2011.

WEINECK, J. Atividade Física e Esporte: para quê? São Paulo: Manole, 2003.

Publicado
2019-09-26
Como Citar
Santos, J. dos, & Rodrigues, C. (2019). O Lazer como Componente Curricular no Ensino Superior. LICERE - Revista Do Programa De Pós-graduação Interdisciplinar Em Estudos Do Lazer, 22(3), 283-320. https://doi.org/10.35699/1981-3171.2019.15313
Seção
Artigos Originais