Programa “Mexa-se”

Uma Política Pública de Saúde e Lazer?

  • Leonardo Toledo Silva Centro Universitário de Sete Lagoas (Unifemm)
  • Marcos Antônio da Silva Mendes Centro Universitário de Sete Lagoas (Unifemm)
  • Ana Cláudia Porfírio Couto Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Palavras-chave: Atividades de Lazer, Saúde, Políticas Públicas

Resumo

O objetivo deste trabalho foi analisar o programa “mexa-se”, sob a perspectiva dos profissionais de educação física atuantes nos núcleos do programa, no âmbito da política pública de saúde e de lazer e suas potencialidades. O “mexa-se” é um programa criado pela Prefeitura Municipal de Sete Lagoas/MG que, por meio da prática de atividade física, objetiva promover e estimular hábitos de vida saudável ao cidadão de Sete Lagoas. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada. A amostra foi constituída por quatro profissionais de educação física atuantes no programa. Nota-se que os profissionais entrevistados conseguem identificar o programa como sendo uma prática voltada para a saúde. No que tange ao conceito de Lazer e Política Pública de Lazer foi observado que nem todos os profissionais de educação física têm um conhecimento claro deste conceito. Não é possível avaliar o programa como sendo uma política pública de lazer, uma vez que não é a intenção da prefeitura, neste momento, fazer com que o “mexa-se” seja uma política pública de lazer, mas de saúde. No entanto, observa-se no programa um potencial para se tornar uma política de lazer.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, C. G. de. Programa Esporte e Lazer da Cidade: uma política daqueles que a executam. Mestrado (dissertação)- Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional. Belo Horizonte, MG. 2013.

ALMEIDA, A.; JESUS, S. A. de. A Participação do Profissional da Educação Física no Núcleo de Apoio à Saúde da Família no Estado do Rio de Janeiro. In. CONBRACE, e CONICE: Ciência e Compromisso Social: Implicações na/ da Educação Física e Ciências do Esporte. 17, 4. 2011. Porto Alegre. Anais. CBCE. Disponível em: http://www.rbceonline.org.br/congressos/index.php/XVII_CONBRACE/2011/index. Acesso em: 14 set. 2015.

AMARAL, S. C. F. Políticas de Públicas. In: Gomes, C. L. (org.). Dicionário Crítico do Lazer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004. P. 181-185.

BACKES, M. T. S.; ROSA, L. M. da; FERNANDES, G. C. M.; BECKER, S. G.; MEIRELLES, B. H. S.; SANTOS, S. M. de A. dos. Conceitos de saúde e doença ao longo da história sob o olhar epidemiológico e antropológico. Rev. enferm., Rio de Janeiro, v. 17, n. 1p. 111-7, 2009.

BRAMANTE, A. C. Política de Lazer. In: Gomes, C.L (org.). Dicionário Crítico do Lazer. Belo Horizonte, MG. Autêntica, 2004. P. 185-188.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

CARVALHO, Y. M. de. Atividade Física e Saúde: onde está e quem e o “sujeito” da relação? Rev. Bras. Cienc. Esporte, v. 22, n. 2, p. 9-21, jan. 2001

CARRARO, G. Monitoramento e avaliação de políticas e programas sociais: contribuições a partir do referencial teórico- metodológico. In. Org. OLIVEIRA, M. de; BERGUE, S. T. Políticas Públicas: Definições, Interlocuções e experiências. Caxias do Sul: Educs, 2012. P. 99-120

GOMES, C. L. Compreensões de Lazer/Ocio na américa latina: uma análise conceitual. Licere, Belo Horizonte, v.16, n.4, dez/2013

______. Lazer- Ocorrência histórica. In: GOMES, C. L. org. Dicionário crítico do lazer. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2004. p. 133- 141.

______.; PINTO, Leila. O Lazer no Brasil: analisando práticas culturais cotidianas, acadêmicas e políticas. In: GOMES, Christianne Luce et al. (org.). Lazer na America Latina/ Tiempo libre, ócio y recreación em Latyinoamérica. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009. P. 67- 122.

GUIMARÃES, E.; MARTINS, V. L. A. B. Qualidade de Vida. In: GOMES, C. L. (org.). Dicionário crítico do lazer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004. P. 191-195.

ISAYAMA, H; LINHALES, M. A. (org.). Sobre Lazer e Política: Maneiras de Ver, Maneiras de Fazer. Belo Horizonte: Editora UFMG , 2006.

MANZINI, E. J. A entrevista na pesquisa social. São Paulo: Didática, v. 26/27, p. 149-158, 1990/1991.

MARCELLINO, N. C. Estudos do Lazer: uma introdução. 4. ed. Campinas, 2006.

MARCELLINO, N. C.; et al. Políticas públicas de lazer: formação e desenvolvimento de pessoal: os casos de Campinas e Piracicaba-SP / Curitiba, PR: OPUS, 2007.

MELO, V. A. de; ALVES JUNIOR, E. de D. Introdução ao Lazer. 2. ed. Barueri: Manole, 2012.

NAHAS, M. V.; GARCIA, L. M. T. Um Pouco de História, Desenvolvimentos Recentes e Perspectivas Para a Pesquisa em Atividade Física e Saúde no Brasil. Rev. bras. Educ. Fís. Esporte, São Paulo, v.24, n.1, p.135-48, jan./mar. 2010

Organização Mundial da Saúde (OMS). Disponível em: https://cemi.com.pt/2014/11/23/conceito-de-saude-segundo-oms-who/

PELLEGRIN, A. de. Espaço de Lazer. In: Gomes, C. L. (org.). Dicionário Crítico do Lazer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004. P. 73-75.

PEREIRA, É. F.; TEIXEIRA, C. S.; SANTOS, A. dos. Qualidade de vida: abordagens, conceitos e avaliação. Rev. bras. Educ. Fís. Esporte, São Paulo, v.26, n.2, p.241-50, abr./jun. 2012, p 241-250

SANCHI, M. T.; ZUGNO, P. Luiz. Sociologia da saúde. 3. ed. rev. e ampl. Caxias do Sul: Educs, 2012.

SOUZA, D. L. de. A atividade Física e Saúde: apontamentos para o desenvolvimento de políticas públicas. In: SOUZA, D. L. de; MEZZADRE, F. M.; CAVICHIOLLI, F. R. Esporte e Lazer: subsídios para o desenvolvimento e a gestão de políticas públicas. Cidade Editora, 2006a.

SOUZA, C. Políticas Públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, ano 8, nº 16, jul/dez 2006b, p. 20-45

STEIN, R. Atividade Física e Saúde Pública. Rev. Bras. Med. Esporte, v.5, n. 4, 1999.

THOMAZ, F. O. Política de Lazer. In: GONZÁLES, J.; FENSTERSEIFER, P. E. (org.). Dicionário Crítico de Educação Física. Ijuí: Ed. Unijuí, 2005. P. 325-327.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

WHOQOL Group. The development of the World Health Organization quality of life assessment instrument (the WHOQOL). In: ORLEY, John.; KUYKEN, Willem. (Eds.). Quality of life assessment: international perspectives. Heidelberg: Springer, 1994. p.41-60.

Publicado
2019-09-26
Como Citar
Silva, L. T., Mendes, M. A. da S., & Couto, A. C. P. (2019). Programa “Mexa-se”. LICERE - Revista Do Programa De Pós-graduação Interdisciplinar Em Estudos Do Lazer, 22(3), 378-400. https://doi.org/10.35699/1981-3171.2019.15316
Seção
Artigos Originais