Análise da Produção Científica sobre Jogos Eletrônicos Disponíveis nos Portais Scielo, Lilacs e Portal de Periódicos da CAPES

Autores

  • Heitor Luiz Furtado Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB)
  • Cahuane Corrêa Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Michael Cani Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB)
  • Patrick Joshuan Reitz Matendal Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB)
  • Marcelo Moraes e Silva Universidade Federal do Paraná (UFPR)

DOI:

https://doi.org/10.35699/1981-3171.2019.16268

Palavras-chave:

Jogos Eletrônicos, Epistemologia, Produção Científica

Resumo

O presente artigo teve como objetivo analisar a produção científica sobre jogos eletrônicos disponíveis nos portais Scielo, Lilacs e Portal de Periódicos da Capes. Identificando as temáticas, os locais de publicações, o estrato dos periódicos pelo sistema Qualis e os autores e instituições com mais manuscritos. Como resultado foram encontrados 57 artigos em 44 periódicos. As revistas com maior número de publicação são RBCE e Psicopedagógica. Há um leve predomínio de autores com formação em Educação Física, seguidos de Psicologia e Fisioterapia. Destaca-se a heterogeneidade interpretativa do objeto, perpassando por reflexões desde aspectos relacionadas à saúde dos jogadores até reflexões filosóficas sobre o uso dos videogames e dos jogos eletrônicos. As discussões mais presentes são sobre saúde, escola, lazer e comportamentos, o que demonstra uma diversidade epistemológica nas produções científicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABREU, C. N. et al. Dependência de Internet e de jogos eletrônicos: Uma revisão. Revista Brasileira de psiquiatria, v. 30, n. 2, p. 156-167, 2008.

AZEVEDO, T. Jogadores viram profissionais com a rede. Uol Jogos, São Paulo, 2004. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/informat/fr1802200401.htm. Acesso em: 06 nov 2016.

BARACHO, A. F. de O; GRIPP, Fernando Joaquim; LIMA, Márcio Roberto de. Os exergames e a educação física escolar na cultura digital. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 34, n. 1, p. 111-126, 2012.

BALANCIERI, R. et al. A análise de redes de colaboração científica sob as novas tecnologias de informações e comunicação: um estudo na Plataforma Lattes. Ciência da Informação, Brasília, v.34, n.1, p.64-77, 2005.

CRUZ JUNIOR, G. ; SILVA, E. M. A (ciber)cultura corporal no contexto da rede: uma leitura sobre os jogos eletrônicos do século XXI. Revista Brasileira de Ciências do Esporte , v. 32, p. 89-104, 2010.

DE ALMEIDA REIS, L. J.; CAVICHIOLLI, R. F. Jogos eletrônicos e a busca da excitação. Movimento, v. 14, n. 3, p. 163, 2008.

FANTIN, M. Crianças e games na escola: entre paisagens e práticas. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud, 13 (1), pp. 195-208, (2015).

FERRARI, G. L. de M. et al. Associação entre equipamentos eletrônicos no quarto com tempo sedentário, atividade física e índice de massa corporal de crianças. J. Pediatria. (Rio J.), v. 91, n. 6, p. 574-582, 2015.

FIGUEIREDO, O; SBISSA, P. P. M. Efeito dos jogos eletrônicos sobre atenção seletiva. Ciência e Cognição, v. 18(2), p. 129-155, 2013.

GONÇALVES, Luiz Fernando et al. Mapeamento da produção do conhecimento sobre a modalidade do basquetebol nos periódicos brasileiros. Pensar a Prática, v. 20, n. 3, p. 461-475, jul./set. 2017.

JENSEN, L.; CAPRARO, A., M.; MORAES E SILVA, M. Jogos eletrônicos e corpo: as múltiplas identidades do indivíduo no espaço cibernético. Licere, v. 20, n.2, 2017.

LAZZAROTTI FILHO, A. et al. Modus operandi da produção científica da EF: uma análise das revistas e suas veiculações. Revista da Educação Física/UEM, Maringá, v. 23, p. 1-14, 2012.

LE BRETON, David. Antropologia do corpo e modernidade. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, p. 11; 22; 25 1999.

MACEDO, T.; FILHO, O.A. A Arena Espetáculo: quando as fronteiras de jogo e trabalho se rompem. Intercom, p. 1, 2015.

MOREIRA, T. S. ; MORAES E SILVA, Marcelo ; SOUZA, Doralice Lange ; MEZZADRI, F. M. . O perfil da produção científica em Língua Portuguesa sobre o Voleibol. Revista Motrivivência , v. 29, p. 119-135, 2017.

NEWZOO. A regional breakdown of the $99.6 bn global games market (free report). Newzoo, 2016. Disponível em: https://newzoo.com/insights/markets/games/ . Acesso em: 06 nov 2016.

PERUCIA, A.; BALESTRIN, A.; VERSCHOORE, J. Coordenação das atividades produtivas na indústria brasileira de jogos eletrônicos: hierarquia, mercado ou aliança? Produção, v. 21, n.1, p. 64-75, 2011.

SIBILIA, P. O homem pós-orgânico: corpo, subjetividade e tecnologias digitais. In: Conexões. Relume Dumará, 2002.

Downloads

Publicado

2019-12-24

Como Citar

Furtado, H. L., Corrêa, C., Cani, M., Matendal, P. J. R., & Silva, M. M. e. (2019). Análise da Produção Científica sobre Jogos Eletrônicos Disponíveis nos Portais Scielo, Lilacs e Portal de Periódicos da CAPES. LICERE - Revista Do Programa De Pós-graduação Interdisciplinar Em Estudos Do Lazer, 22(4), 260-284. https://doi.org/10.35699/1981-3171.2019.16268

Edição

Seção

Artigos Originais