O Jogo Lúdico na Escola de Ensino Básico

  • Ângela Barcellos Café Universidade Federal de Goiás (UFG)
Palavras-chave: Jogos e Brinquedos, Cultura, Escola, Atividades de Lazer

Resumo

Os discursos e interesses por pesquisas e estudos que envolvem a o lúdico, o jogo, o brinquedo e a brincadeira na educação estão crescendo em qualidade e quantidade nas pesquisas acadêmicas, entretanto, não necessariamente correspondem à um cenário de ações lúdicas dentro das escolas. Por mais que se aponte a importância das atividades lúdicas na formação de qualquer pessoa, em qualquer idade, é visível a manutenção de uma prática na escola endurecida, rígida, repetitiva e descontextualizada, cercadas por violências de todos os tipos. O lugar do jogo e da brincadeira quase não acontece, nem nos momentos “permitidos”, como as atividades festivas, nas datas comemorativas. Este estudo vem contribuir com contextualizações históricas em torno do lúdico e do que o envolve, com vistas a superar a desvalorização de suas manifestações associadas a atividades sérias, ampliando suas possibilidades de atuação na escola, por meio de elementos fundantes do jogo e de suas características, como espaço propício à esta manifestação. Esse objetivo tem como pano de fundo a crença de que um ambiente lúdico é favorável à um clima de partilha e aprendizagem. Este ensaio, teve como base observações etnográficas realizadas em escolas, em sua maioria de ensino público, nos níveis fundamental e médio, durante mais de 30 anos de experiência e que serviram de base aos questionamentos e reflexões constantes no texto. Ao mesmo tempo a pesquisa participante se fez presente por fazer várias vezes, em percursos de idas e vindas entre planejamento, prática de novas ações e reflexões com as análises em busca de respostas, ainda que provisórias. A revisão bibliográfica orientada neste percurso aponta múltiplas áreas do conhecimento: Filosofia; Antropologia; Sociologia; Psicologia; Pedagogia; Estudos do Lazer. As considerações finais apontam para uma convergência nas possibilidades de atuação lúdica na escola, utilizando o jogo, brinquedo ou brincadeira em qualquer das áreas do conhecimento, considerando as características de: estratégia, desenvolvimento e conhecimento, para um ensino/aprendizagem mais significativos.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARIÈS, P. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.

BRUNER, E. M. Panorama da Antropologia. São Paulo: Fundo de Cultura, 1963.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetro curriculares Nacional. 5ª à 8ª série. Brasília: Mec, 1998.

HUIZINGA, J. Homo Ludens. São Paulo: Perspectiva; Edusp, 1971.

LEONTIEV, A. S. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. In: LÚRIA, A. R. (Org.) Pensamento e linguagem. São Paulo: Ícone, 1988.

LUCKESI, C.C. Ludicidade e atividades lúdicas: uma abordagem a partir da experiência interna. Ensaios, Salvador, n.2, p. 22-60, 2002. Disponível em: http://luckesi002.blogspot.com.br/2015/08/14-desenvolvimento-dos-estados-de.html Acesso em: 09 fev.2018.

MORAIS, Regis. Filosofia da ciência e da tecnologia: introdução metodológica e crítica. 5. ed. Campinas: Papirus, 1988.

NEGRINE, A. A ludicidade como ciência. In: SANTOS, S. M. P. (Org.) A ludicidade como ciência. Petrópolis: Vozes, 2001.

ORTEGA Y GASSET, J. “Las dos grandes metáforas” In: Obras Completas (OC). Madrid: Tauros, 2004. Tomo II, p. 505-517.

VIGOTSKY, Levi S. Imaginação e criatividade na infância: ensaio psicológico. São Paulo: Editora Ática, 2009.

Publicado
2018-12-23
Como Citar
Café, Ângela B. (2018). O Jogo Lúdico na Escola de Ensino Básico. LICERE - Revista Do Programa De Pós-graduação Interdisciplinar Em Estudos Do Lazer, 21(4), 1-25. https://doi.org/10.35699/1981-3171.2018.1923
Seção
Artigos Originais