Valeu o Boi!

Uma Análise de Gênero Sobre a Prática de Mulheres na Vaquejada

  • Anyelle Brito Leite Santos Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf)
  • Tassia de Souza Cavalcanti Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IFSertão)
  • Camila Batista Gama Moura Universidade de Pernambuco (UPE)
  • Diego Luz Moura Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf)
Palavras-chave: Esportes, Identidade de Gênero, Vaquejada

Resumo

O objetivo do artigo foi analisar o discurso de mulheres praticantes de vaquejada em relação à sua inserção, acesso e participação nesta prática. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 20 mulheres praticantes de vaquejada. Foi utilizada a técnica de bola de neve para construção da amostra. As entrevistas foram analisadas a partir da análise interpretativa. Conclui-se que por um lado a vaquejada localiza a partir do marcador de gênero e que as mulheres inseridas nesta prática sofrem sanções especificas por ser mulher.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADELMAN, M. Mulheres atletas: re-significações da corporalidade feminina. Revista Estudos Feministas, v.11, n. 2, 2003.

AIRES, F. J. F. O espetáculo do cabra macho: um estudo sobre os vaqueiros nas vaquejadas do Rio Grande do Norte. Natal, Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2008.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE VAQUEJADA. Disponível em: https://www.abvaq.com.br/telas/3 . Acesso em: dezembro de 2016.

BARBOSA, E. L. Valeu boi! O negócio da vaquejada. Teresina: EDUFPI, 2006.

BECKER, S. H. Métodos de pesquisa em Ciências Sociais. São Paulo: Hucitec, 1997.

BRASIL. Lei nº 10.220, de 11 de abril de 2001. (2001). . Institui normas gerais relativas a atividade de peão de rodeio, equiparando-o a atleta profissional. Diário Oficial da União, Brasília. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/L10220.htm.

______. Lei nº 13.367, de 29 de novembro de 2016. (2016). Eleva o Rodeio, a Vaquejada, bem como as respectivas expressões artístico-culturais, à condição de manifestação cultural nacional e de patrimônio cultural imaterial. Diário Oficial da União, Brasília.

CASCUDO, L.C. A vaquejada nordestina e sua origem. Fundação José Augusto: Natal, 1976.

CHAN-VIANNA, A. J; MOURA, D. L, MOURÃO, L. Educação Física, gênero e escola: uma análise da produção acadêmica. Movimento, v. 16, n. 2, 2010.

FELIX, F. K. L; ALENCAR, F. A. G. A. O vaqueiro e a vaquejada: do trabalho nas fazendas de gado ao esporte nas cidades. Revista Geográfica de América Central, 2, 1-13 Universidad Nacional Heredia, 2011.

FERREIRA, H. J, SALLES, J. G. C; SOUSA, D. A; MOREIRA, N. C. L; ZEFERINO, J. C. Preconceito de gênero: a visão das atletas de futsal feminino, Coleção Pesquisa em Educação Física, 9(2), 223-230, 2010.

GOELLNER, S. V. Gênero e esporte na historiografia brasileira: balanços e potencialidades. Niterói, Tempo, v.19, n. 34, p. 45-52, 2013.

______. Mulher e esporte no Brasil: Entre incentivos e interdições elas fazem história, Goiania, Pensar a prática, v.8, n. 1, p. 85-100, 2005.

HILLEBRAND, M. D; GROSSI, P. K; MORAES, J. F. Preconceito de gênero em mulheres praticantes do esporte universitário. Psico, v. 39, n. 4, p. 9, 2008. 425-430, 2008.

LAKATOS, E. M; MARCONI, M. A. Metodologia Científica. 5. ed. São Paulo: Atlas. 2009.

LIMA, J. M. G; MELO, R. S; GUIMARÃES, E. S; GUIMARÃES, J. R. S. A tensão “natureza/cultura” na vaquejada nordestina. In: Saúde e meio ambiente: os desafios da interdisciplinaridade nos ciclos da vida humana. Org: ONE, G. M. C; ALBUQUERQUE, H. N. Instituto Bioeducação, Campina Grande, 1, 2017.

MARIANTE, F. P. N; WENETZ, I; STIGGER, P. M. Boxe: como elas fazem? Porto Alegre, In: FAZENDO GÊNERO, 9, 2010. Anais...

MOURA D. et al. Esporte, mulheres e masculinidades. Esporte e Sociedade, v. 5, n. 13, p. 1-22, 2009.

PEREIRA, E. L; MAZO, J. Z. Salto alto e botas: representações das mulheres nas práticas equestres em Porto Alegre/RS produzidas pela Revista do Globo (1929-1967). Porto Alegre, In: FAZENDO GÊNERO, 9, 2010. Anais...

SAFFIOTI, H. I. B. Gênero, patriarcado e violência. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004.

SCOTT J. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 71-99, 1995.

SILVA, G. K. N; AZEVEDO, F. F. Consumo versus cultura: a vaquejada utilizada como instrumento para a reprodução do capital em macaíba-RN. Revista de Geografia v. 31, n. 3, 2014.

Publicado
2020-03-17
Como Citar
Santos, A. B. L., Cavalcanti, T. de S., Moura, C. B. G., & Moura, D. L. (2020). Valeu o Boi!. LICERE - Revista Do Programa De Pós-graduação Interdisciplinar Em Estudos Do Lazer, 23(1), 92-111. https://doi.org/10.35699/1981-3171.2020.19688
Seção
Artigos Originais