O Carnaval dos Anos Trinta e a Suposta “Crise” Carnavalesca Feirense

  • Miranice Moreira da Silva Universidade do Estado da Bahia (UNEB)
Palavras-chave: Carnavais, Sociabilidades, Cidades

Resumo

O artigo discute a narrativa da “crise” carnavalesca feirense dos anos de 1930 e tem o objetivo de compreender como as representações sobre a festa revelam os projetos de sociabilidade e de um imaginário de cidade pautados nos ideais de modernidade. Para alcançar esse objetivo optei por um aporte teórico que pensa as cidades como resultado de construções coletivas que, para além da materialidade, considera as sociabilidades e sensibilidades (PESAVENTO, 2007). E nesse aspecto penso que as representações (CHARTIER, 1990) são partes fundamentais na construção dos imaginários (BACZKO, 1985). Essa análise foi fundamentada na interpretação das fontes jornalísticas, que entendo terem sido fundamentais na construção de um ideal de festa e da cidade. Isso porque não considero os jornais como apenas veículos de notícias e sim como espaços de poder e de construtores de sentidos (CHAUÍ, 2006).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALENCAR, Hélder. 31 anos de Micareta. Feira de Santana-Ba UEFS, 1968.

ARENDT, Hanna. A condição humana. 13. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2016.

BACZKO, Bronislaw. A imaginação social. In: LEACH, Edmundo et al. Anthropos-homem. Lisboa: Imprensa Nacional/ Casa da moeda, 1985.

BAKHTIN, Mikhail. A cultura popular na Idade Média e o Renascimento: o contexto de François Rebelais. São Paulo: HUCIREC. Brasília: 2013.

BOURDIEU, PIERRE. Economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2002.

CHALHOUB, Sidney. Cidade febril: cortiço e epidemias na corte imperial. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

CHARTIER, Roger. A História Cultural entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, Portugal. Difel. 1990

CHAUÍ, Marilena. Simulacro e poder. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abranos, 2006.

CUNHA, Maria Clementina Pereira. Ecos da Folia: uma história social do carnaval Carioca entre v1880 e 1920. São Paulo: Companhia das Letras. 2001.

DARNTON, Robert. O burguês organiza seu mundo: a cidade como texto In: DARNTON, Robert. O grande massacre dos gatos e outros episódios da história cultural da França. 4. Ed. São Paulo: Graal, 1986.

ELIAS, Norbet. O processo civilizador I. 2. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 1994.

FAUSTO, Boris, O crime do restaurante chinês: carnaval, futebol e justiça na São Paulo dos anos 30. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

FOLHA da Feira. Feira de Santana, 19 de fevereiro de 1934, Ano 1934, n. 281.

FOLHA da Feira. Feira de Santana, 25 de fevereiro de 1935, Ano 7, n. 333.

FOLHA da Feira. Feira de Santana, 4 de março de 1935. Ano 7, n. 344.

FOLHA do Norte. Feira de Santana, 7 de Fevereiro de 1931, Ano 21, n. 1125.

FOLHA do Norte. Feira de Santana, Ano 6, n. 209, 14 de fevereiro de 1914.

FOLHA do Norte. Feira de Santana, 31 de janeiro de 1931, ano 22, n. 1124.

FOLHA do Norte. Feira de Santana, 14 de fevereiro de 1931, ano 22, n. 1126.

FOLHA do Norte. Feira de Santana, 21 de fevereiro de 1931, ano 22, n. 1127.

FOLHA do Norte. Feira de Santana, 6 de fevereiro de 1932, Ano 23, n. 1177.

FOLHA do Norte. Feira de Santana, 4 de março de 1933, Ano 24, n. 1233.

FOLHA do Norte. Feira de Santana, 27 de janeiro de 1934, ano, 25, n. 1280.

FOLHA do Norte. Feira de Santana, 17 de fevereiro de 1934, Ano 25, n. 1281.

FOLHA do Norte. Feira de Santana, 9 de março de 1935, ano 26, n. 1338.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: uma contribuição semântica dos tempos Históricos. Rio de Janeiro: contraponto: Ed. PUC-Rio, 2006.

LE ROY LADURIE, Emmanuel. O carnaval de Romans: da candelária à quarta-feira de cinzas, 1579-1580. São Paulo: Companhia das letras, 2002.

NEVES, Frederico de Castro. Getúlio e a seca: políticas emergenciais na era Vargas. Ver. Bra. História. v. 21, n. 40. São Paulo, 2001. Disponível em: https://www.scielo.br. Acesso em: 26 ago. 2019.

ORLANDI, Eni. P. (org.). As formas do silêncio: no momento dos sentidos. 6. ed. Campinas: Editora Unicamp, 2007.

______. Discurso Fundador. Campinas: Pontes, 1993.

PESAVENTO, Sandra Jutahy. Cidades visíveis, cidades sensíveis, cidades imaginárias. Revista Brasileira de História. São Paulo. ANPUH, v.27, n. 53, jan-jun. p. 1-13, 2007. Disponível em: https://www.scielo.br. Acesso em: 13 jun. 2016.

Revista Panorama da Bahia, 20 de abril de 1987, Ano 4, nº 80, p. 12.

SANTOS, Vanicléia Silva. Os ritos e os ritmos da micareta no sertão da Bahia. Projeto História. São Paulo, v. 28. Jun 2004. p. 244. Disponível em: http://revistas.pucsp.br. Acesso em: 15 jun. 2013.

SILVA, Aldo José Moraes. De terra sã a berço da Micareta: estratégias constitutivas da identidade social em Feira de Santana. Revista de História Regional, p. 104-133, Inverno, 2008. Disponível em: http://www.revistas2.uepg.br. Acesso em: 02 maio 2013.

SILVA, Miranice Moreira da. Entre máscaras e serpentinas: por uma história dos festejos carnavalescos feirenses (1891-1939). Dissertação de mestrado. Universidade Estadual de Feira de Santana. Feira de Santana, 2013.

Publicado
2020-03-19
Como Citar
Silva, M. M. da. (2020). O Carnaval dos Anos Trinta e a Suposta “Crise” Carnavalesca Feirense. LICERE - Revista Do Programa De Pós-graduação Interdisciplinar Em Estudos Do Lazer, 23(1), 282-308. https://doi.org/10.35699/1981-3171.2020.19749
Seção
Artigos Originais