Políticas Públicas e Espaços de Esporte e Lazer nos Estudos Acadêmicos

Uma Revisão Sistemática

Autores

  • José Pedro Scarpel Pacheco Universidade Estadual Paulista (UNESP) - Campus Rio Claro
  • Gisele Maria Schwartz Universidade Estadual Paulista (UNESP) - Campus Rio Claro

DOI:

https://doi.org/10.35699/2447-6218.2021.34948

Palavras-chave:

Área Urbana, Políticas Públicas, Esportes, Atividades de Lazer

Resumo

Mesmo que haja algumas pesquisas e estudos, nos âmbitos acadêmico e científico, referentes à gestão, uso e apropriação de espaços públicos nos contextos do esporte e do lazer, notam-se, ainda, lacunas pouco exploradas, como a gestão da informação e a difusão adequada do conhecimento sobre a temática, envolvendo as Políticas Públicas. Desta forma, este estudo, de natureza qualitativa, teve como objetivo, realizar uma revisão sistemática de literatura sobre a produção científica recente, apresentando o estado da arte sobre Políticas Públicas e a gestão de espaços públicos nos contextos do esporte e do lazer. Para tanto, a busca foi realizada nas seguintes bases de dados: Scopus, SPORTDiscus, Web of Science, Pro Quest e SciELO, utilizando os termos booleanos a seguir: “sport and leisure management” OR “sport space” OR “leisure space” OR “sport equipment” OR “leisure equipment” OR “public Sport policy” OR “public leisure policy”. Os artigos analisados abrangeram diferentes áreas do conhecimento, tal como, as Ciências do Esporte, Geografia, Arquitetura e Urbanismo e Sociologia. Os dados foram analisados por meio da Técnica de Análise de Conteúdo. Com base nos resultados, pode-se perceber que o tema referente às Políticas Públicas nos contextos do esporte e do lazer tem sido focalizado atualmente, nos estudos, entretanto, os espaços públicos neste contexto ainda são tratados de forma secundária. Este campo de estudo carece de novas pesquisas, com a intenção de aprofundar as investigações sobre a temática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AKHIR, N. M.; SAKIP S. R. M.; ABBAS, M. Y.; OTHMAN, N. A Taste of Spatial Character: Quality outdoor space in campus landscape leisure setting. Environment-Behaviour Proceedings Journal, Shah Alam, v. 2, n. 6, p. 65-70, 2017.

ALVES, C. O papel do profissional de Educação Física como intermediário entre o adulto e o lúdico. 2007. 159 p. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba, 2007.

______., CAMARA, A. R., GERALDIN, C., MARTINS, I. C. Políticas públicas de lazer: jogos, brinquedos e brincadeiras de crianças em praças, na cidade de Araras. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 13, n. 2, p. 196-214, 2014.

ALVESSON, M.; SKÖLDBERG, K. Reflexive Methodology: New Vistas for Qualitative Research. 3. ed. London: Sage Publications, 2018. 319 p.

BACHELADENSKI, M. S.; MARTIELLO JÚNIOR, E. Contribuição do campo crítico do lazer para a promoção da saúde. Revista Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 5, p. 2569-2579, 2010.

BENAGES-ALBERT, M.; DI MASSO, A.; PORCEL, S.; POL, E.; VALL-CASAS, P. Revisiting the appropriation of space in metropolitan river corridors. Journal of Environmental Psychology, Londres, v. 42, p. 1-15, 2015.

BERNARD, H. R. Research methods in anthropology: Qualitative and quantitative approaches. 6. ed. Lanham: Rowman & Littlefield, 2017. 728 p.

BLYTON, P.; HASSARD, J.; HILL, S.; STARKEY, K. Time, Work and Organization. Nova York: Routledge, 2017. 153 p.

BONALUME, C. R. O paradigma da intersetorialidade nas políticas públicas de esporte e lazer. Licere, Belo Horizonte, v. 14, n. 1, p. 1-26, 2011. DOI: https://doi.org/10.35699/1981-3171.2011.782

BOTELHO, L. L. R.; DE ALMEIDA CUNHA, C. C.; MACEDO, M. O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e Sociedade, Belo Horizonte, v. 5, n. 11, p. 121-136, 2011.

BRAMHAM, P.; HENRY, I.; MOMMAAS, H.; VAN DER POEL, H. Leisure and urban processes: critical studies of leisure policy in Western European cities. 5. ed. London: Routledge, 2017. 320 p.

BRANNEN, J. Mixing Methods: The Entry of Qualitative and Quantitative Approaches into the Research Process. International Journal of Social Research Methodology, Oxon, v. 8, n. 3, p. 173-184, 2005.

BRITO G. A. P. Políticas Públicas de Lazer: Discutindo sua Construção. In: AZEVÊDO, P. H.; BRAMANTE, A. C. (org.) Gestão Estratégica das Experiências de Lazer. Curitiba: Appris, 2017. p. 73-92.

CAMARGO, L. P.; OLIOSI, L. P.; DOS SANTOS, J. H.; BORGES, C. N. F.; DEFANTE, K. D. P. B. Relação Público-Privado nos Usos das Orlas dos Municípios de Serra e Vitória–ES. Licere, Belo Horizonte, v. 20, n. 3, p. 163-187, 2017. DOI: https://doi.org/10.35699/1981-3171.2017.1690.

CASSOTTA, M. L. J.; LUCAS, A.; BLATTMANN, U.; VIERA, A. F. G. Recursos do conhecimento: colaboração, participação e compartilhamento de informação científica e acadêmica. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 27, n. 1, p. 17-34, 2017.

COSTA, A. Q.; SAMPAIO, C. M. Programa Ruas de Lazer da Prefeitura de São Paulo: Modernização na Gestão Pública do Esporte e Lazer. Podium - Sport, Leisure and Tourism Review, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 43-57, 2015.

COSTA, M. P.; LEITE, F. C. L. Repositórios institucionais da América Latina e o acesso aberto à informação científica. Brasília: IBICT, 2017. 178 p.

CRESWELL, John W.; CLARK, Vicki L. Pesquisa de Métodos Mistos. 2. ed. Porto Alegre: Penso Editora, 2013. 288 p.

DALKIR, K. Knowledge management in theory and practice. 3. ed. Cambridge: MIT Press, 2017. 533 p.

DATTILO, J. Leisure education program planning. 4. ed. Urbana: Venture Publishing, 2015. 400 p.

DUNN, W. N. Public policy analysis. 5. ed. London: Routledge, 2016. 459 p.

FARAH, M. F. S. Análise de políticas públicas no Brasil: de uma prática não nomeada à institucionalização do" campo de públicas". Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 50, n. 6, p. 959-979, 2016.

FREITAS, R. F.; ELIAS, R. V. Rio Olímpico: a mercantilização da cidade e o declínio do espaço público. INTERIN, Curitiba, v. 22, n. 2, p. 73-90, 2017.

FUAD, A. H.; YATMO, Y. A.; SUGANDA, E.; IBRAHIM, L. D. Events within Event, Units within Unit: Explaining the Structure of Urban Spaces Through Nesting Theory. International Journal of Technology, Depok, v. 9, n. 1, p. 25-34, 2018.

GLASER, B.; STRAUSS, A. L. Discovery of grounded theory: Strategies for qualitative research. Nova York: Routledge, 2017. 271 p.

GLOVER, T. Leisure, Social Space, and Belonging. In: SPRACKLEN, K.; LASHUA, B.; SHARPE, E.; SWAIN, S. (org.). The Palgrave handbook of leisure theory. Basingstoke: Palgrave Macmillan, 2017, p. 873-890.

GOMES, C. L. Lazer, trabalho e educação: relações históricas, questões contemporâneas. 2. ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008. 151 p.

GONÇALVES, F. S.; RECHIA, S. Espaços e equipamentos de lazer da Vila Nossa Senhora da Luz e suas formas de apropriação. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Brasília, v. 37, n. 3, p. 265-271, 2015.

GOUGH, D.; OLIVER, S.; THOMAS, J. (org.). An introduction to systematic reviews. 2. ed. Londres: Sage, 2017. 335 p.

GRASSO, R. M. F. P.; ISAYAMA, H. F. As Compressões de Lazer na Politica Publica do Município de Santarém (2005 – 2012): A Visão de Gestores. In: AZEVÊDO, P. H.; BRAMANTE, A. C. (org.) Gestão Estratégica das Experiências de Lazer. Curitiba: Appris, 2017. p. 93-107.

HÖFLING, E. M. Estado e políticas (públicas) sociais. Cadernos CEDES, Campinas, v. 11, n. 55, p. 30-41, 2001.

HOOPER, P.; BORUFF, B.; BEESLEY, B.; BADLAND, H.; GILES-CORTI, B. Testing spatial measures of public open space planning standards with walking and physical activity health outcomes: Findings from the Australian national live ability study. Landscape and Urban Planning, Cambridge, v. 171, n. 1, p. 57-67, 2018.

HOWLETT, M.; MCCONNELL, A.; PERL, A. Moving policy theory forward: connecting multiple stream and advocacy coalition frameworks to policy cycle models of analysis. Australian Journal of Public Administration, Sydney, v. 76, n. 1, p. 65-79, 2017.

HULTEEN, R. M.; SMITH, J. J.; MORGAN, P. J.; BARNETT, L. M.; HALLAL, P. C.; COLYVAS, K.; LUBANS, D. R. Global participation in sport and leisure-time physical activities: A systematic review and meta-analysis. Preventive Medicine, Cambridge, v. 95, n. 1, p. 14-25, 2017.

HUNTER, R. F.; CHRISTIAN, H.; VEITCH, J.; ASTELL-BURT, T.; HIPP, J. A.; SCHIPPERIJN, J. The impact of interventions to promote physical activity in urban green space: a systematic review and recommendations for future research. Social Science & Medicine, Oxford, v. 124, p. 246-256, 2014.

JOHNSON, A. J.; GLOVER, T. D. Understanding urban public space in a leisure context. Leisure Sciences, Londres, v. 35, n. 2, p. 190-197, 2013.

JONES, K. R. 'The Lungs of the City': Green Space, Public Health and Bodily Metaphor in the Landscape of Urban Park History. Environment and History, Cambridge, v. 24, n. 1, p. 39-58, 2018.

LOPES, B.; AMARAL, J. N.; CALDAS, R. W. Políticas Públicas: conceitos e práticas. Belo Horizonte: Sebrae/MG, v. 7, 2008. 48 p.

MARCELLINO, N. C. O lazer e os espaços na cidade In: ISAYAMA, H. F.; LINHALES, M. A. (org.) Sobre lazer e política: Maneiras de ver, maneiras de fazer. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006, p. 65-92.

______.; BARBOSA, F. S.; MARIANO, S. H.; SILVA, A.; FERNANDES, E. A. O. Espaços e Equipamentos de Lazer em Região Metropolitana: O Caso da RMC - Região Metropolitana de Campinas. Curitiba: OPUS, 2007. 120 p.

MCCORMACK, G. R.; ROCK, M.; TOOHEY, A. M.; HIGNELL, D. Characteristics of urban parks associated with park use and physical activity: A review of qualitative research. Health & Place, Oxford, v. 16, p. 712-726, 2010.

MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. C. P.; GALVÃO, C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 17, n. 4, p. 758-764, 2008.

MENSAH, C. A.; ANDRES, L.; PERERA, U.; ROJI, A. Enhancing quality of life through the lens of green spaces: A systematic review approach. International Journal of Wellbeing, Lower Hutt, v. 6, n. 1, p. 142-163, 2016.

MEZZADRI, F. M.; MORAES E SILVA, M.; FIGUERÔA, K. M. Desenvolvimento de um método para as pesquisas em políticas públicas de esporte no Brasil: uma abordagem de pesquisa mista. Motrivivência, Florianópolis, v. 27, n. 44, p. 49-63, 2015.

MIGIRO, S. O.; MAGANGI, B. A. Mixed methods: A review of literature and the future of the new research paradigm. African Journal of Business Management, Lagos, v. 5, n. 10, p. 3757-3764, 2011.

MILANI, M. L.; CARDOSO, C. B. Políticas públicas de cultura, esporte e lazer e a visão da juventude de São Mateus do Sul-Paraná. Revista Grifos, Chapecó, v. 23, n. 36/37, p. 29-40, 2014.

MOHER, D.; SHAMSEER, L.; CLARKE, M.; GHERSI, D.; LIBERATI, A.; PETTICREW, M.; SHAKELLE, P.; STEWART, L.; PRISMA-P, G. Preferred reporting items for systematic review and meta-analysis protocols (PRISMA-P) 2015 statement. Systematic Reviews, Londres, v. 4, n. 1, p. 1-9, 2015.

OAKES, T. Happy town: Cultural governance and biopolitical urbanism in China. Environment and Planning A, Londres, v. 0, n. 0, p. 1-19, 2017.

ÖNER, Ö.; KLAESSON, J. Location of leisure: The new economic geography of leisure services. Leisure Studies, Oxford, v. 36, n. 2, p. 203-219, 2017.

PALMATIER, R. W.; HOUSTON, M. B.; HULLAND, J. Review articles: purpose, process, and structure. Journal of the Academy of Marketing Science, Nova York, v. 46, n. 1, p. 1-5, 2018.

PAUL, T. Mapping gendered spatialities in leisure: the case of new consumption spaces in the city of Kolkata. Contemporary South Asia, Oxford, v. 25, n. 4, p. 380-398, 2017.

PINA, L. W. Planejamento de equipamentos de lazer. São Paulo: PerSe, 2014. 206 p.

______.; GOULART, L.; SEIXAS, S. C. Espaços e Equipamentos de Lazer. In: AZEVÊDO, P. H.; BRAMANTE, A. C. (org.) Gestão Estratégica das Experiências de Lazer. Curitiba: Appris, 2017, p. 189-198.

PINTO, L. M. S. M.; RAMOS, M. L. B. C.; RODRIGUES, R. P.; UVINHA, R. R.; ARAUJO, R. M.; SILVA, S. R. Desafio para a Gestão das Políticas de Lazer no Brasil. In: ISAYAMA, H. F.; PINTO, L. M. S. M.; UVINHA, R. R.; STOPPA, E. A. (org.). Gestão de Políticas de Esporte e Lazer: experiências, inovações, potencialidades e desafios. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011. p. 27-49.

PRO QUEST. Busca Avançada. 2018. Disponível em: https://search.proquest.com/?accountid=8112. Acesso em: 2 fev. 2018.

REIS, A. C.; SOUSA-MAST, F. R.; VIEIRA, M. C. Public policies and sports in marginalised communities: The case of Cidade de Deus, Rio de Janeiro, Brazil. World Leisure Journal, Londres, v. 55, n. 3, p. 229-251, 2013.

RIBEIRO, I. C.; FORTUNATO, I.; SCHWARTZ, G. M. Educação Ambiental, Tecnologia e Cinema: Ensaio sobre Valores e Sustentabilidade. Inter Science Place, Campos dos Goytacazes, v. 11, n. 3, p. 158-200, 2016.

RODRIGUES, E. A. P. C.; RECHIA, S. A Relação entre as Transformações dos Espaços de Lazer Advindas dos Megaeventos Esportivos e a Humanização das Cidades. Revista Brasileira de Estudos do Lazer, Belo Horizonte, v. 3, n. 3, p. 61-81, 2016.

RODRIGUES, E. H. C. BRAMANTE, A. C. O espaço na construção de uma política de lazer – estudando Sorocaba/SP. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 24, n. 3, p. 23-37, 2003.

SAMPAIO, R. F.; MANCINI, M. C. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Revista Brasileira de Fisioterapia, São Carlos, v. 11, n. 1, p. 83-89, 2007.

SANTANA, R. L. F.; ALVES, J. A. Apropriação e uso dos espaços de lazer da população Currais novense. Licere, Belo Horizonte, v. 17, n. 3, p. 185-223, 2014. DOI: https://doi.org/10.35699/1981-3171.2014.977

SANTOS, M. A. G. N.; FREIRE, E. S.; BASTOS, F. C. O Esporte nas Leis Orgânicas Municipais e as Políticas de Gestão. Licere, Belo Horizonte, v. 20, n. 3, p. 249-288, 2017. DOI: http://doi.org/10.35699/1981-3171.2017.1693.

______.; ______.; MIRANDA, M. L. J. A gestão do esporte como tema de pesquisa: análise da publicação científica. Motrivivência, Florianópolis, v. 29, n. 50, p. 183-201, 2017.

SCHWARTZ, G. M.; TAVARES, G. H.; RIBEIRO, I. C.; RODRIGUES, C. S.; PROVENZANO, T. D.; CHAO, C. H. N. Políticas públicas de esporte e lazer e gestão da informação: incidência da Rede CEDES como foco em pesquisas acadêmicas. Motrivivência, Florianópolis, v, 26, n. 42, p. 86 – 97, 2014.

SCHWARTZ, G. M.; TEODORO, A. P. E. G.; RODRIGUES, N. H.; DIAS, V. K. Educando para o lazer. Curitiba: CRV, 2016. 116 p.

SCIELO. Resultados. 2018. Disponível em: http://www.scielo.org/php/index.php?lang=en. Acesso em: 2 fev. 2018.

SCOPUS. Busca Avançada. 2018. Disponível em: http://www-scopus-com.ez87.periodicos.capes.gov.br/home.url?zone=header&origin=searchbasic. Acesso em: 2 fev. 2018.

SILVA, D. S; SANTOS, M. I. AVILA, M. A. Intersetorialidade nas políticas públicas de esporte e lazer no município de Ilhéus-BA. Conexões, Campinas, v. 11, n. 3, p. 13-35, p.13-35, 2013.

SILVA, E. A. P. C.; SILVA, P. P. C.; SANTOS, A. R. M.; CARTAXO, H. G. O.; RECHIA, S.; FREITAS, C. M. S. M. Espaços públicos de lazer na promoção da qualidade de vida: uma revisão integrativa. Licere, Belo Horizonte, v. 16, n. 2, p. 1-18, 2013a. DOI: https://doi.org/10.35699/1981-3171.2013.646.

SILVA, E. L.; MENEZES, E. M. Metodologia da Pesquisa e Elaboração de Dissertação. 4. ed. Florianópolis: UFSC, 2005. 138 p.

SILVA, N. P.; COSTA, C. A. O ESPAÇO PÚBLICO E ESPAÇO URBANO CAPITALISTA: Uma crítica à luz do direito a cidade. Pixo-Revista de Arquitetura, Cidade e Contemporaneidade, Pelotas, v. 1, n. 3, p. 116-125, 2017.

SILVA, N. V.; TENÓRIO JÚNIOR, J. B.; SILVA, W. M.; LEONÍDIO, L. F. S. Políticas Públicas de Esporte e Lazer: Reflexos sobre sua Aplicabilidade em Munícipios Brasileiros. Revista Intercontinental de Gestão Desportiva, Porto, v. 3, n.1, p. 111-120, 2013b.

SMITH, N.; LOW, S. Introduction: The imperative of public space. In: LOW, S.; SMITH, N. (org.). The politics of public space, New York, NY: Routledge, 2006. p. 1-16.

SOUZA, C. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, v. 1, n. 16, p. 20-45, 2006.

SPORTDISCUS. Resultados da Pesquisa. 2018. Disponível em: http://web.b-ebscohost-com.ez87.periodicos.capes.gov.br/ehost/search/basic?vid=0&sid=9537696f-4227-43c1-a4c8-559dd75e54ea%40sessionmgr120. Acesso em: 2 fev. 2018.

TOMANIK, E. A. O afeto que se encerra: urbanização, movimentos, encontros e conflitos afetivos. Revista Espaço Acadêmico, Maringá, v.16, n.184, p. 11-23, 2016.

TROTTMANN, P.; CORRÊA, V.; SOUZA COELHO, F.; SARTI, F. M. A produção científica em Políticas Públicas no Brasil Descrição e análise de alguns resultados de uma investigação sobre a primeira década dos anos 2000. Agenda Política, São Carlos, v. 1, n. 2, p. 223-253, 2017.

VEAL, A. J. Research methods for Leisure and Tourism. Harlow: 5. ed. Pearson, 2018. 592 p.

WEB OF SCIENCE. Pesquisa. 2018. Disponível em: http://apps-webofknowledge.ez87.periodicos.capes.gov.br/WOS_GeneralSearch_input.do?product=WOS&search_mode=GeneralSearch&SID=5FceC47WRJCvbnnx3CJ&preferencesSaved=. Acesso em: 2 fev. 2018.

WEIMER, D. L.; VINING, A. R. Policy analysis: Concepts and practice. 6. ed. Nova York: Routledge, 2017. 479 p.

YUEN, F.; JOHNSON, A. J. Leisure spaces, community, and third places. Leisure Sciences, Oxford, v. 39, n. 3, p. 295-303, 2017.

ZAKARIYA, K.; HARUN, N. Z.; MANSOR, M. Field, Light and Food: Adapting of the Town Square as a Leisure Gathering Space at Night. Planning Malaysia Journal, Petaling Jaya, v. 15, n. 1, p. 31-44, 2017.

Downloads

Publicado

2021-06-30

Como Citar

Pacheco, J. P. S., & Schwartz, G. M. (2021). Políticas Públicas e Espaços de Esporte e Lazer nos Estudos Acadêmicos: Uma Revisão Sistemática. LICERE - Revista Do Programa De Pós-graduação Interdisciplinar Em Estudos Do Lazer, 24(2), 341–376. https://doi.org/10.35699/2447-6218.2021.34948

Edição

Seção

Artigos Originais