O DEDO QUE INDICA E O DEDO QUE APONTA

RELAÇÃO DO TRABALHO DOCENTE E AS POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS

  • JULIO CESAR ABRANCHES GUIMARÃES UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA
Palavras-chave: Liberdade, poder, autonomia, heteronomia, políticas públicas educacionais.

Resumo

O cenário educacional brasileiro merece continuamente releituras filosóficas, sociológicas, críticas e objetivas. Os últimos tempos, para a educação pública, têm sido marcados por ações e movimentos de alguns atores interesseiros e interessados na condução da educação voltada exclusivamente para o trabalho. Neste artigo pretende-se indicar como as atuais políticas públicas educacionais (PPE) têm reverberado na atuação do professor das escolas públicas frente à sua autonomia e liberdade de condução dos conteúdos curriculares. Ainda, relacionar tais PPE às falácias de reformas educacionais incorporadas ao discurso neoliberal e à massificação do trabalho docente. Para tal, foram elencadas as principais PPE e discussões sobre a educação pública no Brasil como: Escola Sem Partido, Novo Ensino Médio, Base Nacional Comum Curricular da Educação Básica (BNCC) e Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD). A partir de tal análise traçamos caminhos entre PPE e atuação docente, a partir dos conceitos de autonomia e heteronomia, o que acabou por evidenciar a precarização e proletarização do trabalho docente.

Publicado
2019-08-04