Análise de erros radiográficos em clínica de odontopediatria de uma instituição de ensino superior de Teresina - Piauí

Autores

  • Aessio Freire da Silva Filho Centro Universitário UniFacid
  • Juliana Marques e Silva Lucas Centro Universitário UniFacid
  • Érica Natasha Duarte Silva Centro Universitário UniFacid
  • Daniela Nunes Nogueira Centro Universitário UniFacid
  • Márcia Regina Soares Cruz Centro Universitário UniFacid
  • Neusa Barros Dantas-Neta Centro Universitário UniFacid

DOI:

https://doi.org/10.7308/aodontol/2021.57.e06

Resumo

Objetivo: Avaliar a prevalência de erros radiográficos em radiografias periapicais de uma clínica de Odontopediatria em uma instituição de ensino superior de Teresina-Piauí.

Métodos: Tratou-se de estudo transversal retrospectivo. Foram coletados dados sociodemográficos e radiográficos (localização e presença de erros de técnica radiográfica, processamento e armazenamento). As radiografias foram analisadas por um único examinador calibrado (kappa > 0,80). Foi realizada análise descritiva dos dados, teste Qui-Quadrado, razão de prevalência não-ajustadas (RPnãoajust) e intervalos de confiança (IC 95%). Considerou-se significativo valor de p < 0,05.

Resultados: Das 208 radiografias analisadas, 187 (89,9%) possuíam algum tipo de erro. O erro mais prevalente foi de técnica radiográfica (n = 115; 55,3%). Entre esses, a radiografia tremida foi o mais frequente (n = 57; 28,4%). O erro de processamento mais frequente foi presença de digitais (n = 37; 17,8%). Todos os erros de armazenamento (n = 89; 100%) estavam relacionados a não identificação do paciente. O erro de técnica esteve associado com os pacientes de idade menor que 5 anos (RPnãoajus = 1,2 IC95% 1,1-1,3) comparando com idade entre 6 e 10 anos. Não houve associação entre tipo de erro radiográfico e a dentição avaliada nas radiografias (p > 0,05).

Conclusão: A quantidade de erros detectados neste estudo foi alta e o mais frequente foi quanto à técnica radiográfica mal executada. Todos os erros de armazenamento observados foram devido a não identificação do paciente. Há uma maior frequência de erros de técnica radiográfica em pacientes com menos de 5 anos se comparados aos de 6 a 10 anos.

Descritores: Criança. Dente decíduo. Radiografia dentária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-05-12

Como Citar

Freire da Silva Filho, A. ., Marques e Silva Lucas, J. ., Natasha Duarte Silva, Érica ., Nunes Nogueira, D. ., Soares Cruz, M. R. ., & Dantas-Neta, N. B. (2021). Análise de erros radiográficos em clínica de odontopediatria de uma instituição de ensino superior de Teresina - Piauí. Arquivos Em Odontologia, 57, 46–56. https://doi.org/10.7308/aodontol/2021.57.e06

Edição

Seção

Artigos