Fatores relacionados à cárie dentária em escolares de 15-19 anos de Manaus, Amazonas

um estudo transversal

Autores

  • Lays Lara Araújo Muller Universidade do Estado do Amazonas
  • Adriana Beatriz Silveira Pinto Universidade do Estado do Amazonas
  • Ângela Xavier Monteiro Universidade do Estado do Amazonas
  • Shirley Maria de Araújo Passos Universidade do Estado do Amazonas

DOI:

https://doi.org/10.35699/2178-1990.2021.26158

Resumo

Objetivo: Avaliar a experiência de cárie dentária e fatores relacionados em adolescentes de 15 a 19 anos de uma escola pública de Manaus-AM.

Métodos: O delineamento do estudo foi do tipo transversal, cuja amostra foi constituída por 103 escolares. Para avaliar a cárie dentária foram realizados exames clínicos utilizando o Índice CPO-D (cariados, perdidos, obturados por dente) para avaliar presença de cárie dentária em ficha individual. Também foram aplicados dois questionários referentes aos hábitos de higiene bucal e à percepção da presença de dor dentária nos últimos seis meses e impacto das condições de saúde bucal na vida diária. O Índice Significant Caries Index (SIC) foi utilizado para avaliar a presença da doença cárie dentária em um terço da população com maior CPO-D. Para análise dos dados foram utilizados os programas Microsoft Excel® e Statistical Package for the Social Sciences (SPSS), adotando o nível de significância de 0,05. Para verificar a hipótese de associação entre variáveis foi utilizado o teste Qui-quadrado de Pearson.

Resultados: A média do índice CPO-D encontrada foi de 1,2 considerada baixa; sendo o componente cariado (C) o responsável pela maior parte do Índice CPO-D. O Índice SIC foi de 4,4 evidenciando que um terço da amostra apresentava Índice CPO muito superior à média encontrada, mostrando desigualdade na distribuição da doença no grupo estudado. A frequência de escovação por 3 vezes ao dia foi relatada pela maioria dos adolescentes (57,3%). No entanto, sobre a frequência de consulta dos adolescentes ao cirurgião-dentista, constatou-se que 48,6% dos estudantes nunca procuraram atendimento. Houve relação estatisticamente significante entre presença de cárie dentária e irritabilidade causada pelos dentes (p = 0,011) e dificuldade para falar (p = 0,007).

Conclusão: Este estudo apontou baixa experiência de cárie dentária, sendo a frequência de escovação por 3 vezes ao dia relatada pela maioria dos adolescentes. Houve relação estatisticamente significante entre presença de cárie dentária e as questões sobre incômodo ao escovar os dentes e dificuldade para falar.

Descritores: Cárie dentária. Índice CPO. Adolescentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Barbosa PRN, Nascimento RL. Prevalência de cárie dentária em escolares de 12 anos de uma escola pública do município do Rio de Janeiro. Academus Revista Científica da Saúde. 2017;2(1):1-11.

Almeida TF, Cangussu MCT, Chaves SCL, Amorim TM. Condições de saúde bucal em crianças, adolescentes e adultos cadastrados em unidades de Saúde da Família do município de Salvador, estado da Bahia, Brasil, em 2005. Epidemiol Serv Saude. 2012;21(1):109-18.

Mäkinen, KK. Sugar alcohol, caries incidence, and remineralization of caries lesions: a literature review. Int J Dent. 2010;1-23.

Seow WK, Clifford H, Battistutta D, Morawska A, Holcombe T. Case-control study of early childhood caries in Australia. Caries Res. 2009;43(1):25-35.

Namal N, Vehit HE, Can G. Risk factors for dental caries in Turkish preschool children. J Indian Soc Pedod Prev Dent. 2005;23(3):115-8.

Wambier DS, Bosco VL, Cuman V, Smiguel, O, Eloy TC. Prevalência e distribuição de lesões de cárie em bebês. Publicatio UEPG. Ciências Biológicas e da Saúde. 2004 ;10(1):15-22.

Silveira MF, Freire RS, Nepucemo MO, Martins AMEBL, Marcopito LF. Cárie dentária e fatores associados entre adolescentes no norte do estado de Minas Gerais, Brasil: uma análise hierarquizada. Cienc Saude Colet. 2015;20(11):3351-64.

Antunes JLF, Peres MA, Mello TRC, Waldman EA. Multilevel assessment of determinants of dental caries experience in Brazil. Community Dent Oral Epidemiol. 2006;34(2):145-52.

World Health Organization. Oral health surveys: basic methods. 5th ed. Geneva: WHO; 2013.

Müller IB, Castilhos ED, Camargo MBJ, Gonçalves H. Experiência de cárie e utilização do serviço público odontológico por escolares: um estudo descritivo em Arroio do Padre, Rio Grande do Sul, 2013. Epidemiol Serv Saude. 2015; 24(4):759-70.

Lopes ES, Bastos JRM. Odontologia preventiva e social. Bauru: Faculdade de Odontologia de Bauru; 1988.

Cypriano S, Hugo NF, Sciamarelli MC, Tôrres LHN, Sousa MLR, Wada RS. Fatores associados à experiência de cárie em escolares de um município com baixa prevalência de cárie dentária. Cien Saude Colet. 2011;16(10):4095-106.

Freire MCM, Reis SCGB, Gonçalves MM, Balbo PL, Leles CR. Condição de saúde bucal em escolares de 12 anos de escolas públicas e privadas de Goiânia, Brasil. Rev Panam Salud Publica. 2010;28(2):86-91.

Brew MC. Conhecimentos e hábitos dos adolescentes do ensino médio do município de Torres-RS. Dissertação [Mestrado em Saúde Coletiva] – Universidade Luterana do Brasil; 2002.

Flores EMTI, Drehmer TM. Conhecimentos, percepções, comportamentos e representações de saúde e doença bucal dos adolescents de escolas públicas de dois bairros de Porto Alegre. Cien Saude Colet. 2003;8(3):743-52.

Lisbôa IC, Abegg C. Hábitos de higiene buccal e uso de serviços odontológicos por adolescentes e adultos do município de Canoas, Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Epidemiol Serv Saude. 2006;15(4):29-39.

Bonotto DMV, Pintarelli TP, Santin G, Monte GR, Ferreira FM, Fraiz FC. Cárie dentária e gênero em adolescentes. Revista da Faculdade de Odontologia – UPF. 2015;20(2):202-7.

Kubo FMM, Mialhe FL. Fio dental: da dificuldade ao êxito na remoção do biofilme interproximal. Arq Odontol. 2011;47(1):51-5.

Hazbun Game J, Ivanovic Marinchovic I, Durán Santana MC, Ivanovic Marinchovic D. Hábitos alimentares de escolares rurales de la Región Metropolitana de Chile: Un estudio comparativo. Arch Latinoam Nutr. 1996;46(3):183-9.

Malta DC, Sardinha LMV, Mendes I, Barreto SM, Giatti L, Castro IRR et al. Prevalência de fatores de risco e proteção de doenças crônicas não transmissíveis em adolescentes: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE), Brasil, 2009. Cien. Saude Colet. 2010;15(2):3009-19.

Ministério da Saúde. SB Brazil 2010. National Oral Health Survey: main results. Brasília: Ministério da Saúde; 2011.

Araújo MVA, Barriga ALC, Emmi DT, Pinheiro HHC, Barroso RFF. Prevalência de cárie dentária, autopercepção e impactos em saúde bucal em adolescentes na Ilha do Marajó – Pará. RDAPO: Revista Digital da Academia Paraense de Odontologia. 2017;1(1):11-7.

Borges CM, Cascaes AM, Fischer TK, Boing AF, Peres MA, Peres KG. Dor nos dentes e gengivas e fatores associados em adolescentes brasileiros: análise do inquérito nacional de saúde bucal SB-Brasil 2002-2003. Cad Saude Publica. 2008;24(8):1825-34.

Honkala E, Honkala S, Rimpela A, Rimpelä M. The trend and risks factors of perceived toothache among finnish adolescents from 1977 to 1997. J Dent Res. 2001;80(9):1823-27.

Bendo CB, Martins CC, Pordeus IA, Paiva SM. Impacto das condições bucais na qualidade de vida dos indivíduos. Rev Assoc Paul Cir Dent. 2014;68(3):189-93.

Antunes JLF, Narvai PC, Nugent JZ. Measuring Inequalities in the distribution of dental caries. Community Dent Oral Epidemiol. 2004 Feb;32(1):41-8.

Downloads

Publicado

2021-10-14

Como Citar

Muller, L. L. A. ., Pinto, A. B. S. ., Monteiro, Ângela X. ., & Passos, S. M. de A. . (2021). Fatores relacionados à cárie dentária em escolares de 15-19 anos de Manaus, Amazonas: um estudo transversal. Arquivos Em Odontologia, 57, 208–217. https://doi.org/10.35699/2178-1990.2021.26158

Edição

Seção

Artigos