Gerenciamento dos resíduos radiológicos em consultórios odontológicos da cidade de Pelotas (RS, Brasil)

  • Flávia Pôrto de Barros Kaster Universidade Federal de Pelotas -UFPel
  • Rafael Guerra Lund Universidade Federal de Pelotas -UFPel
  • Elaine de Fátima Zanchin Baldissera Universidade Federal de Pelotas -UFPel

Resumo

Objetivo: Avaliar a segregação, tratamento e destino dos resíduos radiológicos dado pelos cirurgiõesdentistas de Pelotas que possuem aparelhos de raios-X em uso no consultório odontológico e cadastrados na Vigilância Sanitária; e analisar o conhecimento dos mesmos acerca de sustentabilidade. Materiais e Métodos: Quarenta cirurgiões-dentistas de Pelotas-RS responderam um formulário contendo 16 perguntas que abordaram o conhecimento destes profissionais sobre a sustentabilidade, separação dos componentes sólidos do filme radiográfico, tratamento das soluções processadoras no consultório, destino final dos resíduos e uso
correto do gerenciamento como ferramenta de marketing. Resultados: Verificou-se que 35,0% da amostra relatou lançar o revelador e o fixador em esgoto comum sem antes neutralizá-los. A maioria dos participantes
(67,5%) afirmou acreditar no potencial poluidor da água de lavagem do filme durante o seu processamento, embora 65,0% deles relataram descartar o material diretamente em esgoto comum. Com relação à segregação
dos resíduos sólidos, 37,5% dos dentistas disseram não separar os componentes do filme radiográfico. A maior parte deles (90,0%) afirmou ter conhecimento sobre desenvolvimento sustentável, 95,0% tentavam
preservar o meio ambiente quando descartavam os resíduos do seu consultório e 70,0% acreditavam que a destinação apropriada dos resíduos poderia se mostrar economicamente viável. Conclusões: A maioria dos
profissionais afirmou ter conhecimento de desenvolvimento sustentável e tentar preservar o meio ambiente quando descartavam os resíduos produzidos no consultório. Há dificuldade, por parte dos cirurgiões-dentistas,
no descarte dos efluentes líquidos, mas grande parte consegue classificar e segregar adequadamente os resíduos do filme radiográfico.
Descritores: Resíduos odontológicos. Resíduos tóxicos. Desenvolvimento sustentável. Radiografia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia Pôrto de Barros Kaster, Universidade Federal de Pelotas -UFPel
Faculdade de Odontologia, Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas, RS, Brasil
Rafael Guerra Lund, Universidade Federal de Pelotas -UFPel
Departamento de Odontologia Restauradora, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas, RS, Brasil
Elaine de Fátima Zanchin Baldissera, Universidade Federal de Pelotas -UFPel
Departamento de Semiologia e Clínica, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas, RS, Brasil

Referências

1. Guedes DFC, Silva RS, Veiga MAMS, Souza- Neto MD, Pécora JD. O papel preto da película radiográfica é um alto risco para o meio ambiente. Rev Assoc Paul Cir Dent. 2009; 63:191-4.
2. Freitas A, Rosa JE, Souza IF. Radiologia odontológica. 6ª ed. São Paulo: Artes Médicas, 2004.
3. Fernandes GS, Azevedo ACP, Carvalho ACP, Fagundes ACG. Análise e gerenciamento de efluentes de serviços de radiologia. Radiol Bras.
2005; 38:355-8.
4. Brasil. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução Conama n° 358, de 29 de abril de 2005. Dispõe sobre o tratamento e a disposição
final dos resíduos dos serviços de saúde e dá outras providências. Brasília, DF: Diário Oficial da União nº 84, de 4 de maio de 2005; Seção I, p. 63-5.
5. Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº. 306, de 07 de dezembro de 2004. Dispõe sobre o Regulamento técnico para o gerenciamento de
resíduos de serviços de saúde. Brasília, DF: Diário Oficial da União, 10 dez. 2004.
6. Vieira CD, Carvalho MAR, Cussiol NAM, Alvarez-Leite ME, Santos SG, Gomes RMF, et al. Composition analysis of dental solid waste in
Brazil. Waste Manag. 2009; 29:1388-91.
7. Teschke K, Chow Y, Brauer M, Chessor E, Hirtle B, Kennedy SM, et al. Exposures and their determinants in radiographic film processing.
AIHA J (Fairfax, Va). 2002; 63:11-21.
8. Grigoletto JC. A realidade do gerenciamento de efluentes gerados em serviços de diagnóstico por imagem: em busca de uma gestão integrada e sustentável de resíduos [tese]. Ribeirão Preto, SP:
Universidade de São Paulo; 2010.
9. Hocevar CM, Rodriguez MTR. Avaliação do impacto ambiental gerado por efluentes fotográficos, gráficos e radiológicos em Porto
Alegre, RS, Brasil. Eng Sanit Ambient. 2002; 7:139-43.
10. Manzi FR, Guedes FR, Ambrosano GMB, Almeida SM. Estudo do destino dado aos resíduos dos materiais radiográficos pelo cirurgiãodentista. Rev Assoc Paul Cir Dent. 2005; 59:213- 6.
11. Mendes LED. Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde PGRSS de consultório odontológico. Odontologia e Biossegurança. Anápolis, 2006.
12. Goshima T, Hori K, Yamamoto A. Recovery of silver from radiographic fixer. Oral Surg Oral Med Oral Pathol. 1994; 77:684-8.
13. Hitz M. The environmental impact of dentistry. J Can Dent Assoc. 2007; 73:59-62.
14. Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Censo 2010. Primeiros dados do Censo 2010. Dados: Rio Grande do Sul.
[acesso 2011 dez 20]. Disponível em: http:// www.censo2010.ibge.gov.br/primeiros_dados_
divulgados/index.php?uf=43.
15. Garcia LP, Zanetti-Ramos BG. Gerenciamento dos resíduos de serviços de saúde: uma questão de biossegurança. Cad Saúde Pública. 2004; 20:744- 52.
16. Sales CCL, Spolti GP, Lopes MSB, Lopes DF. Gerenciamento dos resíduos sólidos dos serviços de saúde: aspecto do manejo interno no município de Marituba, Pará, Brasil. Ciênc Saúde Coletiva.
2009; 14:2231-8.
17. Ramalho LS, Pfitscher ED, Uhlmann VO, Rabelo EC. Avaliação da sustentabilidade dos aspectos e impactos ambientais de serviços odontológicos: um estudo de caso. Enf Ref Cont UEM - Paraná.
2010; 29:62-78.
18. Sisinno CLS, Moreira JC. Ecoeficiência: um instrumento para a redução da geração de resíduos e desperdícios em estabelecimentos de saúde. Cad Saúde Pública. 2005; 21:1893-900.
19. Nazar MW, Pordeus IA, Werneck MA. Dental waste management in municipal health clinics in Belo Horizonte, Brazil. Rev Panam Salud Publica. 2005; 17:237-42.
20. Guedes DFC, Silva RS, Veiga MAMS, Pécora JD. First detection of lead in black paper from intraoral film: an environmental concern. J Hazard Mater. 2009; 170:855-60.
21. Conselho Regional de Odontologia do Rio Grande do Sul (CRO-RS). Distribuição dos profissionais/entidades pelos municípios até a data de inscrição (31/10/2011) do CRO. [acesso 2011
dez 30]. Disponível em: http://www.crors.org.br/legislacao/[www.cro rs.org.br]todas_categorias. pdf.
Publicado
2016-06-10
Como Citar
Kaster, F. P. de B., Lund, R. G., & Baldissera, E. de F. Z. (2016). Gerenciamento dos resíduos radiológicos em consultórios odontológicos da cidade de Pelotas (RS, Brasil). Arquivos Em Odontologia, 48(4). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3615
Seção
Artigos