Hábitos relacionados à saúde bucal em crianças nascidas prematuras: uma preocupação para equipes multiprofissionais de saúde

  • Karolline Alves Viana Universidade Federal de Goiás -UFG
  • Ludmilla Ferreira Euzébio Universidade Federal de Goiás -UFG
  • Andréa Araujo de Oliveira Cortines Universidade Federal de Goiás -UFG
  • Luciane Rezende Costa Universidade Federal de Goiás -UFG

Resumo

Objetivo: Identificar hábitos alimentares, de sucção não nutritiva e de higiene bucal nos primeiros três anos de vida de crianças nascidas prematuras. Materiais e Métodos: Estudo descritivo retrospectivo baseado em dados secundários obtidos de prontuários odontológicos das 109 crianças com história de nascimento prematuro, acompanhadas no Ambulatório Odontológico de Prematuridade do Hospital das Clínicas da
Universidade Federal de Goiás, de fevereiro de 2011 a julho de 2012. Consideraram-se informações da primeira consulta odontológica: idade atual, sexo, idade gestacional, hábitos alimentares (tipo de aleitamento,
ingestão de açúcar extrínseco), hábitos bucais não nutritivos (sucção de chupeta e sucção digital) e hábitos de higiene bucal. Os dados foram analisados por estatística descritiva com auxílio do software IBM SPSS versão
20.0. Resultados: No primeiro exame odontológico, as crianças nascidas prematuras tinham de 1 a 33 meses de idade (média de 8,6±7,2), sendo 49 (45,0%) meninas e 60 (55,0%) meninos. A ocorrência de aleitamento
natural em menores de 6 meses foi de 22,8%, com predominância de aleitamento artificial (45,6%). Do total de nascidos prematuros, 79,8% utilizavam mamadeira e 58,7% realizavam sucção de chupeta. Em relação à higiene bucal, 73,4% da amostra realizava higiene bucal e 44,4% utilizava a fralda como instrumento. Conclusão: Os percentuais de aleitamento materno exclusivo foram baixos. A maioria das crianças apresentou algum hábito
de sucção não nutritiva. A prática de higiene bucal mostrou-se insatisfatória. Assim, o estabelecimento de programas educativo-preventivos é essencial no apoio às famílias para os cuidados bucais a essas crianças,
visando à promoção de saúde e prevenção de alterações no sistema estomatognático.
Descritores: Nascimento prematuro. Saúde bucal. Hábitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karolline Alves Viana, Universidade Federal de Goiás -UFG
Programa de Residência Multiprofissional em Saúde do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO, Brasil.
Ludmilla Ferreira Euzébio, Universidade Federal de Goiás -UFG
Programa de Residência Multiprofissional em Saúde do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO, Brasil.
Andréa Araujo de Oliveira Cortines, Universidade Federal de Goiás -UFG
Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO, Brasil.
Luciane Rezende Costa, Universidade Federal de Goiás -UFG
Divisão de Odontopediatria, Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO, Brasil.

Referências

1. World Health Organization. The incidence of low birth weight: a critical review of available information. World Health Stat. 1980; 33:197- 224.
2. Ferrini FRO, Marba STM, Gavião MDB. Alterações bucais em crianças prematuras e com baixo peso ao nascer. Rev Paul Pediatr. 2007; 25:66-71.
3. Harila T, Heikkinen T, Gron M, Alvesalo L. Open bite in prematurely born children. J Dent Child. 2007; 74:165-70.
4. Seow WK. Effects of preterm birth on oral growth and evelopment. Aust Dent J. 1997; 42:85-91.
5. Brasil. Ministério da Saúde. DATASUS. Informações de Saúde. Nascidos vivos-Brasil. [internet] [acesso em 25 jun. 2013]. Disponível
em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi. exe?sinasc/cnv/nvuf.def
6. Castro MP, Rugolo LMSS, Margotto PR. Sobrevida e morbidade em prematuro com menos de 32 semanas de gestação na região central do Brasil. Rev Bras Ginecol Obstet. 2012; 34:235- 42.
7. Paulsson L, Bondemark L, Soderfeldt B. A systematic review of the consequences of premature birth on palatal morphology, dental
occlusion, tooth-crown dimensions, and tooth maturity and eruption. Angle Orthod. 2004; 74:269-79.
8. Ferrini FRO, Marba STM, Gavião MDB. Oral conditions in very low and extremely low birth weight children. J Dent Child. 2008; 75:235-42.
9. BRASIL. Ministério da Saúde. SB Brasil 2010. Pesquisa Nacional de Saúde Bucal – resultados principais. Brasília, DF: Ministério da Saúde;
2011. [acesso em 06 jul. 2013]. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/geral/projeto_ sb2010_relatorio_final.pdf.
10. Bertoncelli N, Cuomo G, Cattani S, Mazzi C, Pugliese M, Coccolini E, et al. Oral feeding competences of healthy preterm infants: a review. Int J Pediatr. 2012.
11. Davenport ES, Litenas C, Barbayiannis P, Williams CES. The effects of diet, breast-feeding and weaning on caries risk for pre-term and low birth weight children. Int J Paediatr Dent. 2004; 14: 251–9.
12. Rajshekar SA, Laxminarayan N. Comparison of primary dentition caries experience in pre-term low birth-weight and full-term normal birthweight and full-term normal birth-weight children aged one to six years. J Indian Soc Pedod Prev Dent. 2011; 29:128-34.
13. Lunt RC, Law DB. A review of the chronology of eruption of deciduous teeth. J Am Dent Assoc. 1974; 89:872-9.
14. World Health Organization. Division of child health and development. Indicators for assessing breastfeeding practices. Geneva, Switzerland: 1991.
15. Brasil. Ministério da Saúde. Organização Pan- Americana da Saúde. Guia alimentar para crianças menores de dois anos. Brasilia: Ministério da Saúde; 2002.
16. Fonseca LMM, Scochi CGS. Cuidados com o bebê prematuro: orientações para a família. Ribeirão Preto: FIERP; 2005.
17. Neiva FCB. Sucção em recém-nascidos: algumas contribuições da fonoaudiologia. Pediatria. 2000; 22:264-70.
18. Moimaz SA, Zina LG, Saliba NA, Saliba O. Association between breast-feeding practices and sucking habits: a cross-sectional study of children in their first year of life. J Indian Soc Pedod Prev
Dent. 2008; 26:102-6.
19. Holanda ALF, Santos SA, Sena MF, Ferreira MAF. Relationship between breast- and bottlefeeding and non-nutritive sucking habits. Oral Health Prev Dent. 2009; 7: 331-7.
20. Traisman AS, Traisman HS. Thumb- and fingersucking: a study of 2,650 infants and children. J Pediatr. 1958; 52:566-72.
21. Warren JJ, Bishara SE. Duration of nutritive and nonnutritive sucking behaviors and their effects on the dental arches in the primary dentition. Am J Orthod Dentofacial Orthop. 2002; 121:347-56.
22. Meurman PK, Pienihakkinen K. Factors associated with caries increment: a longitudinal study from 18 months to 5 years of age. Caries Res. 2010; 44:519–24.
23. Osei-Assibey G, Dick S, Macdiarmid J, Semple S, Reilly JJ, Ellaway A, et al. The influence of the food environment on overweight and obesity in young children: a systematic review. BMJ Open
2012; 2:1-12.
24. Kranz S, Smiciklas-Wright H, Francis LA. Diet quality, added sugar, and dietary fiber intakes in American preschoolers. Pediatr Dent. 2006; 28:l64-71.
25. American Academy of Pediatric Dentistry. Guideline of infant oral health care. Pediatr Dent 2013; 34:132-36.
26. Law V, Seow WK, Townsend G. Factors influencing oral colonization of mutans streptococci in young children. Aust Dent J 2007; 52: 93-100.
27. Marsh PD. Microbiology of dental plaque biofilms and their role in oral health and caries. Dent Clin North Am 2010; 54: 441-54.
28. Marsh PD. Are dental diseases examples of ecological catastrophes? Microbiology. 2003; 149: 279-94.
29. American Academy of Pediatric Dentistry. Guideline on periodicity of examination, preventive dental services, anticipatory guidance/
counseling, and oral treatment for infants, children, and adolescents. Pediatr Dent 2013; 34:10-16.
30. Oliveira BH, Santos APP, Nadanovsky P. Uso de dentifrícios fluoretados por pré-escolares: o que os pediatras precisam saber? Residência Pediátrica 2012; 2:12-9.
31. Lee JY, Bouwens TJ, Savage MF, Vann FW. Examining the cost-effectiveness of early dental visits. Pediatr Dent. 2006; 28:102-5
Publicado
2016-06-10
Como Citar
Viana, K. A., Euzébio, L. F., Cortines, A. A. de O., & Costa, L. R. (2016). Hábitos relacionados à saúde bucal em crianças nascidas prematuras: uma preocupação para equipes multiprofissionais de saúde. Arquivos Em Odontologia, 49(3). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3637
Seção
Artigos