Associação de fatores sociais e orçamentários ao acesso ao cuidado em saúde bucal de grandes municípios brasileiros

um estudo ecológico

Autores

  • Isabella Santos Paula Universidade Federal de Uberlândia
  • Nataly Ferreira de Ávila Universidade Federal de Uberlândia
  • Eduarda Franco Rocha Gonçalves Universidade Federal de Uberlândia
  • Anna Giulia Mello Paiva Universidade Federal de Uberlândia
  • Luiz Renato Paranhos Universidade Federal de Uberlândia
  • Álex Moreira Herval Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.35699/2178-1990.2023.42498

Palavras-chave:

Indicadores sociais, Disparidades nos níveis de saúde, Mensuração das desigualdades em saúde, Financiamento governamental

Resumo

Objetivo: Analisar a associação do acesso a ações preventivas em saúde bucal e do tratamento mutilador, ofertado pelos serviços públicos de grandes municípios brasileiros, com as suas características sociais e a composição orçamentária.

Metodologia: Realizou-se um estudo ecológico com dados secundários de 323 municípios brasileiros com mais de 100 mil habitantes. As variáveis selecionadas para estudo foram os indicadores sociais (desigualdade social, renda, trabalho, escolaridade, infraestrutura sanitária), indicadores orçamentários (capacidade arrecadatória, dependência de recursos federais) e indicadores de saúde bucal (cobertura de equipes básicas de saúde bucal, acesso a ações preventivas e acesso a tratamento mutilador). Os dados dos indicadores de saúde bucal foram dicotomizados entre municípios com maior e menor acesso às ações preventivas ou ao tratamento mutilador. A associação das variáveis dependentes foi testada por meio de testes bivariados e regressão logística.

Resultados: Um maior acesso às ações preventivas foi observado nos municípios com melhores condições sociais e orçamentárias. Por outro lado, um maior acesso ao tratamento mutilador foi observado em municípios com condições sociais orçamentárias inferiores.

Conclusão: Apenas a infraestrutura sanitária e cobertura de equipes básicas de saúde bucal se mantiveram associados ao acesso às ações preventivas, enquanto o indicador de desigualdade social manteve-se associado ao tratamento mutilador. Descritores: indicadores sociais; disparidades nos níveis de saúde; mensuração das desigualdades em saúde; financiamento governamental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Abreu MHNG, Cruz AJS, Borges-Oliveira AC, Martins RC, Mattos FF. Perspectives on social and environmental determinants of oral health. Int J Environ Res Public Health. 2021;18(24):13429.

Campos ACV, Borges CM, Leles CR, Vargas AMD, Ferreira EF. Indicadores socioeconômicos e de saúde da atenção básica nos municípios da região metropolitana de Belo Horizonte. Arq Odontol. 2012;48(1):6-12.

Kawachi I, Subramanian SV, Almeida-Filho N. A glossary for health inequalities. J Epidemiol Community Health. 2002;56(9):647-52.

Barros FPC, Sousa MF. Equidade: seus conceitos, significações e implicações para o SUS. Saude Soc. 2016;25(1):9-18.

Souza GLS, Mendes SR, Lino PA, Vasconcelos M, Abreu MHNG. Exodontias no Sistema Único de Saúde em Minas Gerais: uma série temporal de 15 anos. Arq Odontol. 2016;52(3):160-4.

Atlas Brasil. Atlas do desenvolvimento humano no Brasil 2013; 2016.

Fischer TK, Peres KG, Kupek E, Peres MA. Indicadores de atenção básica em saúde bucal: associação com as condições socioeconômicas, provisão de serviços, fluoretação de águas e a estratégia de saúde da família no Sul do Brasil. Rev Bras Epidemiol. 2010;13(1):126-38.

Rossi TRA, Lorena Sobrinho JE, Chaves SCL, Martelli PJL. Crise econômica, austeridade e seus efeitos sobre o financiamento e acesso a serviços públicos e privados de saúde bucal. Cienc Saude Colet. 2019;24(12):4427-36.

Chaves SCL, Almeida AMFL, Reis CS, Rossi TRA, Barros SG. Política de saúde bucal no Brasil: as transformações no período 2015-2017. Saude Debate. 2018;42(2 Spec No):76-91.

Macinko J, Mendonça CS. Estratégia saúde da família, um forte modelo de atenção primária à saúde que traz resultados. Saude Debate. 2018;42(1 Spec No):18-37.

Benchimol EI, Smeeth L, Guttmann A, Harron K, Moher D, Petersen I, et al. The REporting of studies Conducted using Observational Routinely-collected health Data (RECORD) statement. PLoS Med. 2015;12(10):e1001885.

Siqueira PM, Umeda JE, Terada RSS, Giozet AF, Leite JS, Paludetto Junior M, et al. Associação da implantação de equipes de saúde bucal com ações coletivas e exodontia no estado do Paraná, Brasil. Cienc Saude Colet. 2021;26 Suppl 2:3705-14.

Thurow LL, Castilhos ED, Costa JSD. Comparação das práticas odontológicas segundo modelos de atendimento: tradicional e da saúde da família, Pelotas-RS, 2012-2013. Epidemiol Serv Saude. 2015;24(3):545-50.

Filgueira AA, Roncalli AG. Proporção de exodontia e fatores relacionados: um estudo ecológico. Sanare (Sobral, Online). 2018;17(2):30-9.

Guiotoku SK, Moysés ST, Moysés SJ, França BHS, Bisinelli JC. Iniquidades raciais em saúde bucal no Brasil. Rev Panam Salud Publica. 2012;31(2):135-41.

Gomes AMM, Thomaz EBAF, Alves MTSSB, Silva AAM, Silva RA. Fatores associados ao uso dos serviços de saúde bucal: estudo de base populacional em municípios do Maranhão, Brasil. Cienc Saude Colet. 2014;19(2):629-40.

Pimentel FC, Albuquerque PC, Martelli PJL, Acioli RML, Souza WV. Analysis of oral health indicators of Pernambuco: performance of cities according to size population, population enrolled in the information system for primary care and proportion in the family health strategy. Cad Saude Colet. 2014;22(1):54-61.

Menezes LS, Ceissler CAS, Cavalcanti YW, Figueiredo N, Lucena EHG. Estudo comparativo entre indicadores assistenciais de saúde bucal na atenção básica em Recife, Pernambuco. Saúde Debate. 2021;45(128):152-63.

Almeida DK. Correlação entre saúde bucal, condições socioeconômicas e grau de escolaridade de pacientes do PSF São Pedro na cidade de Três Corações-MG [trabalho de conclusão de curso]. Alfenas: Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Minas Gerais; 2014. 28 p.

Mendes Á, Carnut L, Guerra LDS. Reflexões acerca do financiamento federal da atenção básica no Sistema Único de Saúde. Saúde Debate. 2018;42(1 Spec No): 224-43.

Arcari JM, Barros APD, Rosa RS, Marchi R, Martins AB. Perfil do gestor e práticas de gestão municipal no Sistema Único de Saúde (SUS) de acordo com porte populacional nos municípios do estado do Rio Grande do Sul. Cienc Saude Colet. 2020;25(2):407-20.

Macêdo MSR, Chaves SCL, Fernandes ALC. Investimentos e custos da atenção à saúde bucal na saúde da família. Rev Saude Publica. 2016;50:41.

Oliveira VHFP, Oliveira MB, Blumenberg C, Herval AM, Paranhos LR. Analysis of financial resources for public health in brazilian capitals: a time trend ecological study. Cad Saude Publica. 2022;38(1):e00311620.

Queiroz MFM, Silva JLM, Figueiredo JS, Vale FFR. Eficiência no gasto público com saúde: uma análise nos municípios do Rio Grande do Norte. Rev Econ Nordeste. 2013;44(3):761-76.

Lamy RLRF, Andrade CLT, Matta GC. Iniquidades sociais e saúde bucal: revisão integrativa. Rev Aten Saude. 2020;18(63):82-98.

Pitombeira DF, Oliveira LC. Pobreza e desigualdades sociais: tensões entre direitos, austeridade e suas implicações na atenção primária. Cienc Saude Colet. 2020;25(5):1699-708.

Barreto ML. Desigualdades em saúde: uma perspectiva global. Cienc Saude Colet. 2017;22(7):2097-108.

Downloads

Publicado

2023-10-20

Como Citar

Santos Paula , I., Ferreira de Ávila, N., Franco Rocha Gonçalves, E. ., Mello Paiva, A. G., Paranhos, L. R., & Herval, Álex M. (2023). Associação de fatores sociais e orçamentários ao acesso ao cuidado em saúde bucal de grandes municípios brasileiros: um estudo ecológico. Arquivos Em Odontologia, 59, 94–105. https://doi.org/10.35699/2178-1990.2023.42498

Edição

Seção

Artigos