O processo de “banalização pela cenarização” em núcleos urbanos tombados

o caso de Tiradentes – MG

Autores

  • Everaldo Batista da Costa Universidade de São Paulo (USP)
  • Bernadete Castro Universidade Estadual Paulista (UNESP)

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-549X..13238

Palavras-chave:

Espaço geográfico, Cidade histórica, Patrimônio cultural, Globalização

Resumo

Este artigo tem por objetivo esclarecer a situação de algumas das cidades históricas brasileiras, especificamente no estado de Minas Gerais, quanto às novas políticas de organização de seus espaços centrais vinculadas à projeção de seu patrimônio cultural nos cenários nacional e internacional, através da “indústria cultural”, bem como identificar as problemáticas advindas desse processo, tomando como caso a cidade mineira Tiradentes. Na transformação de seu valor cultural em valor de troca, ou seja, tornando o patrimônio um atrativo para a mercantilização do lugar, verifica-se que a organização socioespacial dos núcleos urbanos tombados acaba por evidenciar a perversidade da globalização econômica, pela qual se intensificam o processo de segregação socioespacial e a “banalização pela cenarização” desses núcleos, a tônica crítica deste trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Everaldo Batista da Costa, Universidade de São Paulo (USP)

Everaldo Batista da Costa é mestrando em Geografia pelo PPGGH/USP.

Bernadete Castro, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Bernadete Castro é professora doutora do IGCE/UNESP – Rio Claro, SP.

Referências

BENKO, George. Geografia de lugar nenhum ou hiperglobalização: breve exame do mundo pósmoderno. In: SANTOS, M.; SOUZA, M. A.; SILVEIRA, M. L. (Org.). Território, globalização e fragmentação. São Paulo: HUCITEC, 2002. p. 247-250.

CARLOS, Ana Fani Alessandri. O consumo do espaço. In: CARLOS, A. F. (Org.). Novos caminhos da geografia. São Paulo: Contexto, 2001. p. 173-186.

CARLOS, Ana Fani Alessandri. O turismo e a produção do não-lugar. In: YÁZIGI, E.; CARLOS, A. F. A.; CRUZ, R. C. A. (Org.). Turismo: espaço, paisagem e cultura. São Paulo: HUCITEC, 1996. p. 25-37.

COSTA, Everaldo B. Município de Tiradentes – MG: reflexo presente de uma imagem pretérita. In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UNESP, 17., 2005, Rio Claro (SP). Anais... Rio Claro: [s.n.], 2005. 1 CD-ROM.

COSTA, Everaldo B. Turismo e organização sócio-espacial no centro histórico de São João D’el Rey – MG. São Paulo: Departamento de Geografia / Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, 2007.

FUNARI, Pedro; PELEGRINI, Sandra. Patrimônio histórico e cultural. São Paulo: Jorge Zahar, 2006.

FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. São Paulo: Nacional, 1974. GEIGER, Pedro. Des-territorialização e espacialização. In: SANTOS, M.; SOUZA, M. A.; SILVEIRA, M. L. (Org.). Território, globalização e fragmentação. São Paulo: HUCITEC, 2002. p. 233-246.

GONÇALVES, José Reginaldo S. O patrimônio como categoria de pensamento. In: CHAGAS, Regina A. M. (Org.). Memória e patrimônio: ensaios contemporâneos. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. p. 21-29.

HARVEY, David. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Loyola, 1994.

IANNI, Octavio. Enigmas da modernidade-mundo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

IPHAN – INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL. 15ª Sub-Regional de Tiradentes. Projeto-piloto para o Sítio Histórico de Tiradentes: fundamentos e propostas de critérios e normas de intervenção. Tiradentes: IPHAN, 1997.

LEITE, Rogério Proença S. Contra-usos da cidade: lugares e espaço público na experiência urbana contemporânea. Campinas: Ed. UNICAMP; Aracaju: Ed. UFS, 2004.

LEITE, Rogério Proença S. Espaço público e política dos lugares: usos do patrimônio cultural na reinvenção contemporânea do Recife Antigo. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade de Campinas, Campinas, 2002.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. São Paulo: Difel, 1982.

MASSEY, Doreen. Um sentido global do lugar. In: ARANTES, Antônio (Org.). O espaço da diferença. São Paulo: Papirus, 2000. p. 177-185.

MENESES, Ulpiano T. B. Os “usos culturais” da cultura: contribuição para uma abordagem crítica das práticas e políticas culturais. In: YÁZIGI, E.; CARLOS, A. F.; CRUZ, R. C. A. (Org.). Turismo: espaço, paisagem e cultura. São Paulo: HUCITEC, 1999. p. 89-99.

MORAES, Antônio Carlos Robert. Ideologias geográficas: espaço, cultura e política no Brasil. São Paulo: HUCITEC, 1996.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica, tempo, razão e emoção. São Paulo: Ed. Universidade de São Paulo, 2002.

SANTOS, Milton. Espacio y método. Barcelona: GeoCrítica; Universidad de Barcelona, 1986.

SANTOS, Milton. Por uma geografia nova. São Paulo: HUCITEC, 1978.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2000.

SCARLATO, Francisco C. População e urbanização brasileira. In: ROSS, J. (Org.). Geografia do Brasil. São Paulo: Ed. Universidade de São Paulo, 2005. p. 381-464.

Downloads

Publicado

2008-07-01

Como Citar

Costa, E. B. da, & Castro, B. (2008). O processo de “banalização pela cenarização” em núcleos urbanos tombados: o caso de Tiradentes – MG. Revista Geografias, 23–40. https://doi.org/10.35699/2237-549X.13238

Edição

Seção

Artigos