O processo de “banalização pela cenarização” em núcleos urbanos tombados: o caso de Tiradentes – MG

Autores

  • Everaldo Batista da Costa Universidade de São Paulo (USP)
  • Bernadete Castro Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Palavras-chave:

Espaço geográfico, Cidade histórica, Patrimônio cultural, Globalização

Resumo

Este artigo tem por objetivo esclarecer a situação de algumas das cidades históricas brasileiras, especificamente no estado de Minas Gerais, quanto às novas políticas de organização de seus espaços centrais vinculadas à projeção de seu patrimônio cultural nos cenários nacional e internacional, através da “indústria cultural”, bem como identificar as problemáticas advindas desse processo, tomando como caso a cidade mineira Tiradentes. Na transformação de seu valor cultural em valor de troca, ou seja, tornando o patrimônio um atrativo para a mercantilização do lugar, verifica-se que a organização socioespacial dos núcleos urbanos tombados acaba por evidenciar a perversidade da globalização econômica, pela qual se intensificam o processo de segregação socioespacial e a “banalização pela cenarização” desses núcleos, a tônica crítica deste trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Everaldo Batista da Costa, Universidade de São Paulo (USP)

Everaldo Batista da Costa é mestrando em Geografia pelo PPGGH/USP.

Bernadete Castro, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Bernadete Castro é professora doutora do IGCE/UNESP – Rio Claro, SP.

Downloads

Publicado

2008-07-01

Como Citar

Costa, E. B. da, & Castro, B. (2008). O processo de “banalização pela cenarização” em núcleos urbanos tombados: o caso de Tiradentes – MG. Revista Geografias, 23–40. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/geografias/article/view/13238

Edição

Seção

Artigos