Algumas considerações sobre o conceito de setor informal e a teoria dos circuitos da economia urbana

Autores

  • Edilson Luis de Oliveira Universidade Estadual de Londrina (UEL)

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-549X..13241

Palavras-chave:

Setor informal, Circuitos da economia urbana, Período atual

Resumo

Este artigo discute o conceito de setor informal e a teoria dos circuitos de economia urbana desenvolvida por Milton Santos. Para tanto adota como principal argumento a elaboração de uma perspectiva crítica acerca do conceito de setor informal e da sua trajetória histórica, a qual lhe atribuiu significados plurais. Ao mesmo tempo, discutem-se aqui as possibilidades dos conceitos de circuitos de economia urbana em relação às importantes transformações nas cidades brasileiras no contexto do atual período histórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edilson Luis de Oliveira, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Edilson Luis de Oliveira é professor Assistente do Departamento de Geociências, UEL – Londrina, PR.

Referências

ANDRADE, Thompson Almeida; SERRA, Rodrigo Valente; SANTOS, Paulo Diniz dos. Pobreza nas cidades médias brasileiras. In: ANDRADE, Thompson Almeida; SERRA, Rodrigo Valente (Org.). Cidades médias brasileiras. Rio de Janeiro: IPEA, 2001. p. 251- 292.

BACHELARD, Gaston. Epistemologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1977.

CACCIAMALI, Maria C. Globalização e processo da informalidade. Economia e Sociedade, Campinas, n. 14, p. 153- 174, jun. 2000.

CACCIAMALI, Maria C. Um estudo sobre o setor informal urbano e formas de participação na produção. 1982. Tese (Doutorado em Economia) – Faculdade de Economia e Administração, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1982.

CHESNAIS, François. A mundialização do capital. São Paulo: Xamã, 1996.

IPEA – INSTITUTO DE PESQUISA APLICADA; IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA; UNICAMP – UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Configurações atuais e tendências da rede urbana. Brasília: IPEA, 2001. (Caracaterização e tendências da rede urbana do Brasil, 1).

KON, Anita. Economia de serviços: teoria e evolução no Brasil. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

LAUTIER, Bruno. L’economie informalle dans le Tiers Monde. Paris: La Dècouverte, 1994.

MALAGUTI, Manoel L. Crítica à razão informal: a imaterialidade do salariado. São Paulo: Boitempo; Vitória: EDUFES, 2000.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. São Paulo: Nova Cultural, 1985.

MERRICK, T. Employment and earnings in the informal sector in Brazil: the case of Belo Horizonte. Journal of Developing Areas, Nashville (USA), v. 10, n. 3, p. 337-353, 1976.

POCHMANN, Márcio. O trabalho sob fogo cruzado: exclusão, desemprego e precarização no final do século. São Paulo: Contexto, 1999.

SANFELIU, Carmen B.; TORNÉ, Josep Maria L. Miradas a otros espacios urbanos: las ciudades intermedias. Geo Crítica / Scripta Nova: revista electrónica de geografía y ciencias sociales, Barcelona, v. 8, n. 165, mayo 2004. Disponível em: . Acesso em: 28 maio 2007.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: EDUSP, 2004.

SANTOS, Milton. A urbanização brasileira. São Paulo: HUCITEC, 1996.

SANTOS, Milton. O espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1979.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2000.

SANTOS, Milton; SILVEIRA, Maria Laura. Brasil: território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2001.

SILVEIRA, Maria Laura. Argentina: do desencantamento da modernidade à força dos lugares. In: SILVEIRA, Maria Laura (Org.). Continente em chamas: globalização e território na América Latina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005. p. 177- 207.

SILVEIRA, Maria Laura. Globalizacion y circuitos de la economia urbana en ciudades brasileñas. Cuadernos del CENDES, Caracas, ano 21, n. 57, p. 1-21, set./dic. 2004

SOJA, Edward W. Geografias pós-modernas: a reafirmação do espaço na teoria social crítica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993.

SOUZA, Paulo R. Empregos, salários e pobreza. São Paulo: HUCITEC; Campinas: Fundação de Desenvolvimento da UNICAMP, 1980.

SPÓSITO, Maria Encarnação Beltrão. A urbanização da sociedade: reflexões para um debate sobre as novas formas espaciais. In: DAMIANI, Amélia; CARLOS, Ana Fani A.; SEABRA, Odete Carvalho L. (Org.). O espaço no fim de século: a nova raridade. São Paulo: Contexto, 1999. p. 83-99.

THEODORO, Mário. As bases da política de apoio ao setor informal no Brasil. IPEA – Textos para Discussão, Brasília, n. 762, p. 1-19, 2000. Disponível em: . Acesso em: 28 maio 2007.

TOKMAN, Vitor. An exploration into the nature of informal-formal sector relationships. World Development, [s.l.], v. 6, n. 9/10, p. 1065-1075, Sept./Oct. 1978.

ULYSSEA, Gabriel. Informalidade no mercado de trabalho brasileiro: uma resenha da literatura. Revista de Economia Política, São Paulo, v. 26, n. 4, p. 596- 618, out./dez. 2006

Downloads

Publicado

2008-07-01

Como Citar

Oliveira, E. L. de. (2008). Algumas considerações sobre o conceito de setor informal e a teoria dos circuitos da economia urbana. Revista Geografias, 54–70. https://doi.org/10.35699/2237-549X.13241

Edição

Seção

Artigos