Políticas públicas e as populações indígenas de Rondônia

Autores

  • Jania Maria de Paula Universidade Federal de Rondônia (UFRO)

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-549X..13242

Palavras-chave:

Amazônia, Políticas públicas, Populações indígenas, Educação

Resumo

Este artigo busca sucintamente comentar as principais políticas implantadas pelo Estado brasileiro na Amazônia, especificamente em Rondônia, e que atingiram as populações indígenas locais, ressaltando as políticas educacionais desenvolvidas, nos últimos dez anos, com vistas a atendê-las. Ao longo da história amazônica, todas as políticas e as estratégias adotadas na região sempre estiveram voltadas a neutralizar a presença indígena ou mesmo a promover seu extermínio para, então, criar mecanismos ao desenvolvimento regional e do país a partir da ótica do capital, portanto, de maneira altamente predatória, provocando mudanças no ambiente e também na estrutura das relações sociais lá preexistentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jania Maria de Paula, Universidade Federal de Rondônia (UFRO)

Jania Maria de Paula é mestranda em Geografia, UFRO.

Referências

AMARAL, José Januário. Sem a mata não se é gente. In: AMARAL, José Januário; CALDAS, Fabíola Lins (Org.). Pesquisa na Amazônia: intervenção para o desenvolvimento. Porto Velho: EDUFRO, 2002. p. 197-208.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil, 1988. Brasília: Senado Federal, Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. Ministério da Educação. Referencial curricular nacional para as escolas indígenas. Brasília: MEC/SEF, 2002.

BRASIL. Presidência da República. Constituição da República Federativa do Brasil de 1967. Brasília, 1967. Disponível em: . Acesso em: 20 fev. 2008.

CARELLI, Vincent. Trabalho e lazer. In: BRASIL. Ministério da Educação. Índios do Brasil. Brasília: MEC/SEED/SEF, 2001. p. 77-93. (Cadernos da TV Escola, 1).

CHIAVENATO, Júlio J. Bandeirismo: dominação e violência. São Paulo: Moderna, 1991.

DEAN, Warren. A luta pela borracha no Brasil: um estudo de história ecológica. São Paulo: Nobel, 1989.

GALLOIS, Dominique T. Novos e velhos saberes. In: BRASIL. Ministério da Educação. Índios do Brasil. Brasília: MEC/SEED/ SEF, 2001. p. 69-80. (Cadernos da TV Escola, 2).

KLIKSBERG, Bernardo. Repensando o Estado para o desenvolvimento social: superando dogmas e convencionalismos. São Paulo: Cortez, 1998.

LEONEL, Mauro. Etnodicéia uruéu-au-au: o endocolonialismo e os índios no centro de Rondônia. São Paulo: EDUSP; IAMÁ; FAPESP, 1995.

LEONEL, Mauro. Morte social dos rios. São Paulo: Perspectiva; IAMÁ; FAPESP, 1998.

LEONEL, Mauro. Relatório complementar de avaliação das invasões no Posto Indígena Lourdes (PIL) dos índios Gavião e Arara (Karo). São Paulo: FIPE/USP, 1984. Mimeografado.

MORAES, Antônio C. Robert. Meio ambiente e ciências humanas. 4. ed. São Paulo: Annablume, 2005.

OLIVEIRA, Ariovaldo U. Amazônia: monopólio, expropriação e conflitos. Campinas: Papirus, 1993.

OLIVEIRA, Ariovaldo U. Integrar para não entregar: políticas públicas e Amazônia. 2. ed. Campinas: Papirus, 1991.

OLIVEIRA, João P. Muita terra pra pouco índio?: uma introdução (crítica) ao indigenismo e a atualização do preconceito. In: SILVA, Araci Lopes; GRUPIONI, Luís D. B. (Org.). A temática indígena na escola: novos subsídios para professores de 1º e 2º graus. Brasília: MEC; MARI; UNESCO, 1995. p. 61-81.

REIS, Rosângela das Dores. Igarapé Lourdes: da história ao cotidiano das escolas indígenas. 1998. Monografia (Especialização em Metodologia do Ensino Superior) – Universidade Federal de Rondônia, Campus Ji-Paraná, JiParaná (RO), 1998.

RIBEIRO, Berta. O índio na cultura brasileira. 3. ed. Rio de Janeiro: Revan, 2000.

RONDÔNIA. Secretaria de Estado de Planejamento. Projeto Úmidas: cenários-tendências do desenvolvimento de Rondônia, 1998-2020. Porto Velho, 1998.

SANTOS, Carlos. A fronteira do Guaporé. Porto Velho: EDUFRO, 2007.

SANTOS, Milton. Por uma geografia nova: da crítica da geografia a uma geografia crítica. 6. ed. São Paulo: Ed. Universidade de São Paulo, 2004.

SANTOS, Milton; SILVEIRA, Maria L. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2005.

SEKI, Lucy. Línguas indígenas no Brasil no limiar do século XXI. Impulso: revista de Ciências Sociais e Humanas, Piracicaba (SP), v. 12, n. 27, p. 157-169, 2000.

SILVA, Amizael G. Amazônia: Porto Velho. Porto Velho: Palmares, 1991.

SILVA, Josué da Costa. Cuniã: mito e lugar. 1994. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humana, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1994.

SILVA, Rosa Helena Dias. Movimentos indígenas no Brasil e a questão educativa: relações de autonomia, escola e construção de cidadanias. In: BRASIL. Ministério da Educação. Educação como exercício de diversidade. Brasília: UNESCO; MEC; ANPEd, 2005. p. 368-397. 1 CD-ROM. (Coleção Educação para Todos, 6).

TEIXEIRA, Carlos C. Visões da natureza: seringueiros e colonos em Rondônia. São Paulo: EDUC, 1999.

VILAÇA, Aparecida. Quem somo nós: questões da alteridade no encontro dos Wari com os Brancos. 1996. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1996.

Downloads

Publicado

2007-12-01

Como Citar

Paula, J. M. de. (2007). Políticas públicas e as populações indígenas de Rondônia. Revista Geografias, 71–80. https://doi.org/10.35699/2237-549X.13242

Edição

Seção

Artigos