A percepção do ruído urbano e seus efeitos sobre a qualidade de vida de moradores dos setores especiais estruturais de Curitiba

Autores

  • Ângela Ribas Universidade Tuiuti do Paraná (UTP)
  • Aloísio Schmid Universidade Tuiuti do Paraná (UTP)
  • Eleusis Ronconi Universidade Tuiuti do Paraná (UTP)

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-549X..13284

Palavras-chave:

Ruído, Percepção, Meio ambiente

Resumo

O tema deste artigo é o ruído urbano, considerado, atualmente, a terceira causa de poluição do planeta. No Brasil, embora exista legislação específica que determina os limites de emissão de ruídos e estabelece medidas de proteção para a coletividade, o que se constata é que os níveis do mesmo estão acima de valores recomendados. A exposição ao ruído pode acarretar nos seres humanos alterações de diversas ordens e conseqüentemente, resultar em diminuição da qualidade de vida. Nosso objetivo foi estudar e compreender como se dá a percepção da poluição sonora pela população dos Setores Especiais Estruturais de Curitiba, e a relação existente entre o som (ruído), a saúde (auditiva) e o ambiente (urbano). Para tanto realizamos medições de níveis de pressão sonora em 100 pontos escolhidos aleatoriamente no locus da pesquisa e entrevistamos 100 moradores nos mesmos locais. Constatamos que os níveis de ruído dentro das residências que ladeiam os Setores Especiais Estruturais estão acima do recomendado legalmente. Os resultados das entrevistas mostram que a população percebe a presença do ruído em seus lares, é capaz de identificar suas causas (principalmente o tráfego de veículos) e efeitos (auditivos e não auditivos), porém, esta percepção não se faz contundente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ângela Ribas, Universidade Tuiuti do Paraná (UTP)

Aloísio Schmid, Universidade Tuiuti do Paraná (UTP)

Eleusis Ronconi, Universidade Tuiuti do Paraná (UTP)

Referências

ABNT, NBR 10152. Acústica – Avaliação do ruído ambiente em recintos de edificações visando o conforto dos usuários. Rio de Janeiro: ABNT; 2000.

BARBOSA W. Aspectos do Ruído comunitário de Curitiba[Dissertação]. Curitiba: UFPR; 1992.

CURITIBA, Lei Municipal 10.625 de dezembro de 2002. Dispõe sobre ruídos urbanos, proteção do bem estar e do sossego público no município de Curitiba.

CURITIBA. Lei Municipal 9.800 de 03 de janeiro de 2000. Dispõe sobre o Zoneamento, Uso e Ocupação do Solo no Município de Curitiba. OBA LT. Cidade grifada: Curitiba e seus eixos estruturais. Anais do II Encontro da ANPPAS. Campinas; 2004.

FLORIANI D. Conhecimento, meio ambiente e globalização. Curitiba: Juruá; 2004.

GIDDENS A . Modernidade e identidade. Rio de Janeiro: Zahar Editores; 2002.

GOLDBLAT D. Teoria Social e Ambiente. Lisboa : Instituto Piaget; 1996.

GÜNTHER H. Como elaborar um questionário: Planejamento e Pesquisa nas Ciências Sociais. Brasília: Laboratório de Psicologia Ambiental da UNB; 2003.

HEEMANN A, HEEMANN N. Natureza e percepção de valores. Rev Desenvolvimento e Meio Ambiente 2003; 7: 32-35.

IPPUC. Setor de geoprocessamento. Curitiba: IPPUC; 2006. Disponível em www.ippuc.org.br

KAPLAN HI, SADOCK BJ, GREEB J. Compêndio de psiquiatria: ciências do comportamento e psiquiatria clínica. Porto Alegre: Artes Médicas; 1997.

LACERDA ABM, MAGNI C, MORATA TC, MARQUES J, ZANNIN PT. Reações psicossociais ao ruído urbano. Revista Ambiente e Sociedade 2005; 8(2) 34-39.

LACERDA ABM, RIBAS A, MENDES J, ANDRADE P. Noise level and its perception by commuters in urban buses of Curitiba. Canadian Acoustic 2004; 32(4):53-59.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes; 1999.

NEPOMUCENO, L. Elementos de acústica física e psicoacústica. São Paulo: Edgard Blucher, 1994.

NORTHERN J, DOWNS S. Audição em crianças. São Paulo: Manole; 1989. DEL RIO W. Cidade da mente: cidade real. In: Percepção ambiental: a experiência brasileira. São Paulo: Studio Nobel; 1996.

OLIVEIRA I, MOCELIN J, RIBAS A . A percepção da poluição sonora numa região da cidade de Curitiba. Rev. Fonoaudiologia Brasil 2005; 2: 27-29.

ORGANIZATION MONDIALE DE LA SANTÉ. Critères d’hygiène de l’environnement. Genève: OMS; 1980.

PINTO FAR. Poluição sonora: um levantamento de dados da cidade de Fortaleza no período de 1988 a 1998. Revista de Acústica e Vibrações, 2000; 25:51-59.

RIBAS, A. Reflexões sobre o ambiente sonoro da cidade de Curitiba: a percepção do ruído urbano e seus efeitos sobre a qualidade de vida de moradores dos Setores Especiais Estruturais [Tese]. Curitiba: UFPR; 2007.

SANTOS, U; MATOS, M. Aspectos da física. In: SANTOS, U. Ruído: riscos e prevenção. São Paulo: Hucitec, 1994.

SCHMID AL. A idéia de conforto. Reflexões sobre o ambiente construído. Curitiba: Pacta Ambiental; 2005.

SOUZA, DS. Instrumentos de gestão da poluição sonora para a sustentabilidade das cidades brasileiras[Tese]. Rio de Janeiro: UFRJ; 2004.

URBS. Setor de controle e estatística. Curitiba: URBS; 2006. Disponível em www.urbs.org.br

ZAMPERLINI HBL. Ruído urbano: análise dos efeitos do ruído da cidade de São Paulo para a população. Tópicos em Fonoaudiologia. São Paulo: Lovise; 1998.

ZANNIN PT, DINIZ FB, BARBOSA WA. Environmental noise pollution in the city of Curitiba,Brazil. Aplied Acoustics, 2002; 63:351-358.

Downloads

Publicado

2010-07-01

Como Citar

Ribas, Ângela, Schmid, A., & Ronconi, E. (2010). A percepção do ruído urbano e seus efeitos sobre a qualidade de vida de moradores dos setores especiais estruturais de Curitiba. Revista Geografias, 70–86. https://doi.org/10.35699/2237-549X.13284

Edição

Seção

Artigos