Avaliação da gestão das UC do Sistema Estadual de Áreas Protegidas de Minas Gerais

Autores

  • José Luiz Pereira Rezende Universidade Federal de Lavras (UFLA)
  • Rafael Guimarães Alves
  • Luís Antônio Coimbra Borges Universidade Federal de Lavras (UFLA)
  • Marco Aurélio Leite Fontes Universidade Federal de Lavras (UFLA)
  • Luis Wagner Rodrigues Alves Universidade Federal de Lavras (UFLA)

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-549X%20..13285

Palavras-chave:

Instituto Estadual de Florestas, Infra-estrutura das UC, Áreas silvestres, Manejo de Unidades de Conservação, Gestão de UC

Resumo

As Unidades de Conservação (UC) são espaços territoriais especialmente protegidos para a conservação dos recursos naturais. O estado de Minas Gerais abriga diversas UC federais, estaduais e municipais. Objetiva-se neste trabalho levantar, caracterizar e analisar como vem sendo implantado o Sistema Estadual de Unidades de Conservação em Minas Gerais. Especificamente, os objetivos foram: levantar as UC estaduais e sua distribuição por bioma e regionais do IEF, sua infra-estrutura básica, regularização fundiária, recursos humanos, existência de planos de manejo, conselhos consultivos, relação com a comunidade do entorno, existência de fluxo turístico, atividade de pesquisa e caracterizar os parceiros e voluntários que atuam na gestão das mesmas. A metodologia utilizada foi a de entrevistas semi-estruturadas e questionários sobre as UC aplicados a todos os gerentes, avaliando a situação espacial, fundiária, humana, estrutural entre outras. Os principais resultados encontrados foram: existem 74 UC estaduais que ocupam áreas significativas e representativas de todos os biomas presentes no estado; inexistem planos de manejo na maioria das UC; há carência de recursos humanos na gestão das UC, principalmente de gerentes; há sobreposição de funções, quantidade insuficiente de funcionários com capacitação para funções específicas; as UC com maior representatividade de área são as “Áreas de Proteção Ambiental” (APA) que enfrentam maiores carências em recursos humanos, materiais e financeiros, além da dificuldade de gerir o território em conjunto com os proprietários; as UC de proteção integral são as que possuem maiores problemas de regularização fundiária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Luiz Pereira Rezende, Universidade Federal de Lavras (UFLA)

José Luiz Pereira Rezende é Professor Titular do Departamento de Ciências Florestais (UFLA). Setor de Manejo Florestal.

Rafael Guimarães Alves,

Rafael Guimarães Alves é Perito Criminal Federal.

Luís Antônio Coimbra Borges, Universidade Federal de Lavras (UFLA)

Luís Antônio Coimbra Borges é Professor Adjunto do Departamento de Ciências Florestais (UFLA). Setor de Conservação da Natureza.

Marco Aurélio Leite Fontes, Universidade Federal de Lavras (UFLA)

Marco Aurélio Leite Fontes é Professor Adjunto do Departamento de Ciências Florestais (UFLA). Setor de Conservação da Natureza.

Luis Wagner Rodrigues Alves, Universidade Federal de Lavras (UFLA)

Luis Wagner Rodrigues Alves é Engenheiro Agrônomo. Doutor Pesquisador da Embrapa Amazônia oriental.

Referências

BRASIL. Decreto 4.340, de 22 de agosto de 2002. Regulamenta artigos da Lei n° 9.985, de 18 de julho de 2000, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza – SNUC, e dá outras providências. Brasília, 2002. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2009.

DRUMMOND, J. A.; FRANCO, J. L. A.; NINIS, A. B. O estado das áreas protegidas do Brasil, 2005. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2006. 200 p.

IRVING, M. A. Áreas protegidas e inclusão social: construindo novos significados. Rio de Janeiro: Fundação Bio-Rio; Aquarius, 2007. 17 p.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica. Mapa de Biomas e de Vegetação. 2004. Disponivel em: http:// www. ibge.gov.br. Acesso em 29/10/2008.

IBAMA - Instituto Brasileiro de Meio Ambiente. Efetividade de gestão das unidades de conservação federais do Brasil. Brasília: Ibama; WWFBrasil, 2007. 96 p.

IUCN - International Union for Conservation of Nature. Guidelines of protected area management categories. Gland, 1994. 271 p.

LIMA, G. S.; RIBEIRO, G. A.; GONÇALVES, W. Avaliação da efetividade de manejo das unidades de conservação de proteção integral em Minas Gerais. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 29, n. 4, p. 647-653, jul./ ago. 2005.

PEREIRA, P. F.; SCARDUA, F. P. Espaços territoriais especialmente protegidos: conceito e implicações jurídicas. Revista Ambiente & Sociedade, Campinas, v. 11, n. 1, p. 81-97, 2008. Disponível em: . Acesso em: 4 dez. 2008.

THEULEN, V. Percepção dos chefes das unidades de conservação federais na década de 90. 2003. 120 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) – Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

RYLANDS, A. B.; BRANDON, K. Unidades de conservação brasileiras. Revista Megadiversidade, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 27-35, 2005.

ZELLER, R. H. Aplicabilidade dos planos de manejo de oito parques nacionais do sul e sudeste do Brasil. 2008. 160 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

Downloads

Publicado

2010-07-01

Como Citar

Rezende, J. L. P., Alves, R. G., Borges, L. A. C., Fontes, M. A. L., & Alves, L. W. R. (2010). Avaliação da gestão das UC do Sistema Estadual de Áreas Protegidas de Minas Gerais. Revista Geografias, 87–106. https://doi.org/10.35699/2237-549X .13285

Edição

Seção

Artigos