Rides – por que criá-las?

Autores

  • Heloisa Pereira Lima Azevedo Companhia de Planejamento do Distrito Federal – CODEPLAN https://orcid.org/0000-0003-0913-0517
  • Adriana Melo Alves Ministério da Integração Nacional

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-549X..13298

Palavras-chave:

Gestão Metropolitana, Gestão das RIDES, Região Integrada de Desenvolvimento, RIDE Distrito Federal e Entorno, RIDE do Pólo Petrolina-Juazeiro, Gestão associada e o papel da União, Coordenação federativa

Resumo

O texto discute a eficácia do modelo de gestão adotado para as Regiões Integradas de Desenvolvimento - RIDES, criadas por lei complementar: RIDE Distrito Federal e Entorno e RIDE do Pólo Petrolina - Juazeiro. Essas regiões são formadas por municípios pertencentes a mais de um estado, foram criadas por representarem áreas prioritárias para articulação das ações da União em um mesmo complexo social e geoeconômico, conforme o Art. 43 da Constituição Federal. O estudo evidencia que o desenho institucional e o modelo de gestão não têm sido eficazes para promover o desenvolvimento e reduzir as desigualdades, e nesse sentido aponta novos caminhos para a gestão associada e para repensar o papel desempenhado pela União na coordenação federativa desses espaços.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Heloisa Pereira Lima Azevedo, Companhia de Planejamento do Distrito Federal – CODEPLAN

Arquiteta e urbanista da Companhia de Planejamento do Distrito Federal – CODEPLAN, atualmente na Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente. Doutora em Estruturas Ambientais Urbanas/USP.

Adriana Melo Alves, Ministério da Integração Nacional

Arquiteta e urbanista, gestora em exercício no Ministério da Integração Nacional. Mestre em Planejamento Urbano/UNB.

Referências

ARAÚJO, T. B. de. Nordeste, nordestes: que nordeste? Versão revisada. In: Araújo, Tânia Bacelar de. Ensaios sobre o desenvolvimento brasileiro - Heranças e Urgências. Rio de Janeiro: IPPUR/UFRJ-FASE, 2000.

AZEVEDO, H. L. Tendências da gestão intermunicipal em aglomerações urbanas metropolitanas. Tese de Doutorado em Estruturas Urbanas Ambientais. São Paulo: FAU/USP, 2002.

_________________. Gestão Metropolitana: um enfrentamento possível? In: Revista de Administração Municipal - Municípios. Rio de Janeiro: IBAM. Ano 49, n 244, nov/dez 2003.

_________________. Ação efetiva pode diminuir desigualdade na Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno – RIDE. In: CODEPLAN. Brasília: Revista Indicadores Conjunturais, nov. 2007. www.codeplan.df.gov. br/publicacoes.

CODEPLAN . Relatório do Seminário Estratégias para o Desenvolvimento Sustentável do Distrito Federal e seu Entorno, Brasília – DF. (mimeo e www.codeplan.df.gov. br/publicações), 2009.

GARSON, S. Regiões Metropolitanas: por que não cooperam? Rio de Janeiro: Letra Capital, Observatório das Metrópoles, Belo Horizonte, PUC, 2009.

IBRASE. Instituto Brasiliense de Estudos da Economia Regional. MIRAGAYA, J. (consultor). Estratégia para o Desenvolvimento Sustentável de Brasília e seu Entorno (Entorno Empreendedor). Brasília: SEBRAE DF / GO / MG /BA, 2008.

ORTEGA, A. C, SOBEL, T. F. Estratégias de Desenvolvimento Territorial: o caso do Pólo PetrolinaJuazeiro. In: Anais do XLV Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural. Londrina: BrasiliaLondrina, Sober, v. 1. pp. 1-20, 2007.

SEPLAN/ CODEPLAN. Brasília e sua Região polarizada – Perfil Socioeconômico e demográfico da população – relações entre o Distrito Federal e Entorno. Brasília: CODEPLAN, 2003.

SANTOS, M. & SILVEIRA, M. L.. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. São. Paulo: Editora Record, 2001.

Downloads

Publicado

2010-12-01

Como Citar

Azevedo, H. P. L., & Alves, A. M. (2010). Rides – por que criá-las?. Revista Geografias, 87–101. https://doi.org/10.35699/2237-549X.13298

Edição

Seção

Artigos