Avaliação das áreas de produção e de possíveis rotas de fluxos de detritos como geoindicadores de (des)conectividades de bacias urbanas

  • Regina Paula Benedetto de Carvalho Doutoranda em Geografia, PPGEO - UERJ
  • Antônio Soares da Silva Prof. Doutor do Instituto de Geografia - UERJ
Palavras-chave: áreas de produção, conectividade, bacias urbanas

Resumo

A identificação de áreas de produção de detritos e
de suas rotas pode contribuir com a avaliação da
sensibilidade da conectividade entre as encostas e
a rede de drenagem. Tendo em vista tais
premissas, o trabalho teve como objetivo
identificar possíveis zonas de (des)conectividade
nas encostas de duas bacias urbanas localizadas no
município do Rio de Janeiro: bacia do rio Grande
e bacia do rio Anil. Os resultados mostraram que a
bacia do rio Grande possui mais áreas de
sensibilidade da conectividade do que a bacia do
rio Anil, sendo que esta última possui maior
potencial para garantia das atuais condições de
conectividade. Além disso foi constatado que,
especialmente por se tratar de bacias urbanas, o
fator uso da terra é determinante no
condicionamento e recondicionamento do
sistema ambiental, podendo alterar, de forma
intensa e num curto espaço de tempo, a
suscetibilidade a produção de detritos e, portanto,
o padrão de (des)conectividade das áreas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-02-20