Caracterização espacial da migração de retorno ao Nordeste

uma análise dos fluxos migratórios intermunicipais nos quinquênios 1995-2000 e 2005-2010

Autores

  • Járvis Campos Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN
  • Cristiano Sathler dos Reis Doutor em Demografia pelo CEDEPLAR/UFMG
  • Douglas Sathler Reis Universidade Federal do Vale do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM https://orcid.org/0000-0002-1547-5522

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-549X%20.2018.19212

Palavras-chave:

Migração de retorno, Fluxos migratórios inter-regionais, Naturalidade da Migração, Hierarquia urbana

Resumo

Nas últimas décadas tem se observado importantes transformações na dinâmica migratória, como a drástica redução dos fluxos migratórios inter-regionais com direção ao Sudeste, e a intensificação da migração de retorno, em especial o retorno para a Região Nordeste. Neste contexto, este estudo buscou identificar e mapear os fluxos migratórios quinquenais intermunicipais tendo como destino os municípios do Nordeste e a origem os demais municípios do Brasil, nas últimas duas décadas. Investigam-se ainda os retornados segundo a naturalidade (se retornado ao próprio município ou UF de nascimento) e a hierarquia de tamanho populacional dos municípios de destino. Os resultados mostram a predominância do retorno ao município de nascimento, demonstrando que o fator “ciclo de vida do migrante” possui um peso bem expressivo em relação a outros fatores estruturais mais ligados ao crescimento e ao dinamismo econômico. Porém, observou-se que a proporção de migrantes de retorno para municípios diferentes ao de nascimento é também significativa, e que, neste caso, a migração de retorno ocorre, preferencialmente para municípios de médio e/ou de grande porte populacional. Ademais, os resultados destacam a importância do município de São Paulo como principal origem da migração de retorno para o Nordeste, seguido pelo município do Rio de Janeiro e Distrito Federal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, T.B. Industrialização do Nordeste: Intenções e resultados. In: Ensaios sobre o desenvolvimento brasileiro: heranças e urgências. Rio de Janeiro: Revan/Fase, 2000a. p. 143- 154.

ARAUJO, T.B. Nordeste, Nordestes, que Nordeste In: Ensaios sobre o desenvolvimento brasileiro: heranças e urgências. Rio de Janeiro: Revan/Fase, 2000b. p. 165-196.

BAENINGER, R. Novos Espaços da Migração no Brasil: Anos 80 e 90...In: XII ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 2000, Caxambu. Anais... Belo Horizonte: ABEP, 2000.

BAPTISTA, E. A., CAMPOS, J., RIGOTTI, J. I. R. Migração de retorno no Brasil nos quinquênios 1986/1991, 1995/2000 e 2005/2010. In: XVIII Encontro Nacional de Estudos Populacionais. ABEP, Águas de Lindóia, 2012.

BLACK, Richard; KING, Russel. Editorial introduction: migration, return and development in West Africa. Population, Space and Place, v. 10, n. 2, 2004, p. 75–83.

BRITO, F., RIGOTTI, J. I. R., CAMPOS, J. A mobilidade interestadual da população no Brasil no início do século XXI: mudança no padrão migratório? In: o (série online de publicações do CEDEPLAR), CEDEPLAR/ UFMG, Belo Horizonte, 2012.

CARVALHO, J.A.M. et al. Dados de migração de última etapa e data fixa do Censo Demográfico Brasileiro de 1991: uma análise de consistência. Revista Brasileira de Estudos de População, v.17, n.1/2, jan./dez. 2000.

CONSTANT, Amelie; MASSEY, Douglas S. Return Migration by German Guestworkers: Neoclassical versus New Economic Theories. International Migration, v. 40, n. 4, 2002, p. 5-38.

CUNHA, J. M. P.; BAENINGER, R. A migração nos estados brasileiros no período recente: principais tendências e mudanças. Bahia Análise & Dados, Salvador – BA/SEI, v.10, n.4, p.79-106, mar. 2001.

CUNHA. J.M. A migração no Brasil no começo do século 21: continuidades e novidades trazidas pela PNAD 2004. Taller Nacional sobre “Migración interna y desarrollo en Brasil: diagnóstico, perspectivas y políticas”. 30 de Abril 2007,

Brasília, Brasil.

DE HAAS, H.. Migration transitions: a theoretical and empirical inquiry into the developmental drivers of international migration. Working Papers Series,24, 2010.

FAZITO, D. Dois aspectos fundamentais do “retorno”: símbolos e topologias dos processos de migração e sua circularidade. Belo Horizonte: CEDEPLAR/UFMG, 2005, 16p.

FRANCO, G.B. et al. Aspectos demográficos e socioeconômicos dos municípios inseridos na Bacia do Rio Almada – BA: os reflexos da crise cacaueira. Caminhos de Geografia, Uberlândia v. 17, n. 60 Dezembro/2016 p. 16–30.

GARCIA, R., MIRANDA-RIBEIRO, A. Movimentos migratórios em Minas Gerais: efeitos diretos e indiretos da migração de retorno, 1970/1980, 1981/1991 e 1990/2000. Revista Brasileira de Estudos Populacionais, 22(1), p. 159-175, 2005.

HARRIS, J. R; TODARO, M. P. Migration, unemployment, and development: A two-sector analysis. American Economic Review, 60: 126-142, 1970.

HUNTER, A. Theory and practice of return migration at retirement: the case of migrant worker hostel residents in France. Population, Space and Place, v. 17, n. 2, 2011, p. 179-192.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Microdados do Censo Demográfico 2000. Rio de Janeiro, 2000.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Microdados do Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro, 2010.

LEWIS, W. A. Economic development with unlimited supplies of labor. The Manchester School of Economic and Social Studies, 22: 139-191, 1954.

NORONHA, M. T. R. Distribuição regional da indústria baiana: a configuração atual de suas regiões econômicas. Monografia, Universidade Federal da Bahia. Ano de obtenção:2006.

OLIVEIRA, K.F. Dinâmica migratória em Sergipe: uma abordagem a partir de alguns fatores estruturais. Dissertação (Mestrado) – Escola Nacional de Ciências Estatísticas/IBGE, Rio de Janeiro, 2003.

OLIVEIRA, K.F., JANNUZZI, P.M. Motivos para migração no Brasil e retorno ao Nordeste: padrões etários, por sexo e origem/destino. São Paulo em Perspectiva. v.19, n.4, p.134-143, out./dez., 2005.

QUEIROZ, S.N. Migrações, Retorno e Seletividade no Mercado de Trabalho Cearense. 2003. 251 p. Tese (Doutorado em Demografia) - Universidade Estadual de Campinas.

RANIS, G.; FEI, J.C.H. A theory of economic development. American Economic Review, 51: 533-565, 1961.

RIBEIRO, J. T. L. Estimativa da migração de retorno e de alguns de seus efeitos demográficos indiretos no nordeste Brasileiro, 1970/1980 e 1981/1991.1997, 206p. Tese (Doutorado em Demografia) – Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

SAYAD, A. O retorno: elemento constitutivo da condição do migrante. Travessia, 13 (número especial): 7-32, jan, 2000.

SIQUEIRA, L.B.O; MAGALHÃES, A.M e SILVEIRA NETO, R. M. Uma análise de migração de Retorno no Brasil: Perfil do migrante de Retorno, a Partir do Censo de 2000. In: XI Encontro Regional de Economia, 2006, Fortaleza. Anais...2006.

SJAASTAD, L. A. The costs and returns of human migration. Journal of Political Economy, 70S: 80-93, 1962.

STARK, O. The Migration of Labor. Cambridge: Basil Blackwell, 1991.

STARK, O.; GALOR O. Migrants’ Savings, the Probability of Return Migration and Migrants’ Performance. International Economic Review, v. 31, n. 2, 1990, p. 463-467.

TAYLOR, J. Edward (ed.). Development Strategy, Employment and Migration: Insights from Models. Paris: OECD Development Centre, 1996.

TODARO, Michael P. A Model of Labor Migration and Urban Unemployment in Less Developed Countries. The American Economic Review, v. 59, n. 1, 1969, p. 138-148.

TODARO, Michael P. Economic Development in the Third World. New York: Longman, 1989.

TODARO, Michael P. Internal Migration in Developing Countries. Geneva: International Labor Office, 1976.

TODARO, Michael P; Maruszko, l. Illegal migration and US immigration reform: A conceptual framework. Population and Development Review, 13: 101-114, 1987

Downloads

Publicado

2020-02-05

Como Citar

Campos, J. ., Reis, C. S. dos ., & Reis, D. S. . (2020). Caracterização espacial da migração de retorno ao Nordeste: uma análise dos fluxos migratórios intermunicipais nos quinquênios 1995-2000 e 2005-2010. Revista Geografias, 26(1), 08–26. https://doi.org/10.35699/2237-549X .2018.19212

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)