O impacto da descanalização e restauração de sistemas fluviais no microclima urbano: estudo de caso Ribeirão Arrudas, Belo Horizonte (MG)

  • Amanda Granha Magalhães Gomes e Silva UFMG
  • Wellington Lopes Assis Departamento de Geografia / IGC - UFMG
Palavras-chave: Ribeirão Arrudas, Microclima Urbano, Descanalização

Resumo

Belo Horizonte apresenta uma expressiva rede hidrográfica que se perdeu na paisagem urbana devido ao constante esforço das autoridades em canalizar e cobrir os sistemas fluviais do município ao longo do tempo. No entanto, novas tendências de planejamento urbano que integram os sistemas fluviais na paisagem de forma sustentável vêm ganhando força no mundo. Nesse contexto, este estudo teve como objetivo analisar os diversos impactos que a descanalização de sistemas fluviais trazem sobre o microclima urbano, utilizando como objeto de estudo o Ribeirão Arrudas. Para estabelecer um cenário comparativo, dois abrigos meteorológicos foram instalados em contextos diferentes do ribeirão: canalizado e coberto, e descanalizado, próximo ao seu estado natural. Com a coleta dos dados primários dos abrigos, mais dados oficiais de três estações meteorológicas operadas pelo INMET, foi possível observar que ambientes com superfícies aquáticas descobertas e com margens vegetadas possuem, em média, temperatura cerca de 2°C menor e umidade relativa do ar quase 4% maior, além de ventilação com maior intensidade. Essas variações, em conjunto, proporcionam mais facilmente uma condição de conforto térmico, que auxilia no bem-estar da população dos centros urbanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-11
Como Citar
Granha Magalhães Gomes e Silva, A., & Lopes Assis, W. (2020). O impacto da descanalização e restauração de sistemas fluviais no microclima urbano: estudo de caso Ribeirão Arrudas, Belo Horizonte (MG) . Revista Geografias, 28(1), 1-21. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/geografias/article/view/21391
Seção
Artigos