A cooperação internacional e os estudos geográficos

um olhar sobre estratégias Chinesas para a África e a Ásia Central.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-549X%20.2020.21928

Palavras-chave:

Geografia, Cooperação Internacional, China, África, Ásia Central

Resumo

A geografia possui um papel importante para a leitura das transformações hegemônicas no mundo contemporâneo. Entre essas mudanças, inserem-se as estratégias de cooperação internacional, que desenham geografias a partir da territorialidade de empresas e atores governamentais, produções de regiões e circuitos econômicos, e projeções geopolíticas de alianças de poder. As estratégias tomadas pela China para África e a Ásia Central nos últimos anos serve como exemplo das mudanças na ordem hegemônica global e revela as aproximações entre a geografia e a cooperação internacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Santos da Rocha, UFRRJ

Doutor em Geografia ela UFRJ. Professor Adjunto da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Docente permanete do Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGEO-UFRRJ). Coordenador do LAGEP - Laboratório de Geografia Econômica e Política.

Jonathan Christian Dias dos Santos, UFRRJ

Mestrando em Geografia pela PPGGEO-UFRRJ. Membro do LAGEP - Laboratório de Geografia Econômica e Política.

Pablo Ibañez, UFRRJ

Doutor em Geografia pela USP. Professor Adjunto do Departamento de Geografia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Laboratório de Geografia Econômica e Política, Foi pesquisador visitante na Universidade Fudan, Xangai [2018-2019].

Referências

AID DATA. Connective Financing: Chinese Infrastructure Projects and the Diffusion of Economic Activity in Developing Countries. WORKING PAPER 64, September,2018 Disponível em < https://www.aiddata.org/publications> Acesso em 15 de set.2018

ALLEN, Jonh. Power. In: Agnew, J. et al. A Companion to political Geography. Oxford: Blackwell, 2003. pp.95-108.

AGNEW, John. A nova Configuração do Poder Global. Revista Caderno CRH, Salvador, v. 21, n. 53, p. 207-219, Maio/Ago. 2008

BELT AND ROAD INICIATIVE. Disponível em < https://beltandroad.hktdc.com/en/belt-and-road-basics > Acesso 08 set, 2018.

BHATTACHARYA, Abanti. Conceptualising Uyghur separatism in Chinese nationalism, Strategic Analys, Londres, v.23, n.3, p.357-381, 2003. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/09700160308450095 - Acesso em: 06 jun.2020

BLACKWILL, Robert D.; HARRIS, Jennifer M. War by Other Means: Geoeconomics and Statecraft. London: Harvard University Press, 2016.

COSTA, Wanderley Messias. Geografia Política e Geopolítica. São Paulo: Edusp, 2008.

DANSERO, E. et al. Geografia e cooperazione allo sviluppo. Temi e prospettive per un approccio territoriale. FrancoAngeli: Milão, 2008.

DUARTE, Rubens de Siqueira. The Politics behind Aid and Cooperation Norms: Critical Reflections on the normative role of Brazil and United Kingdom. Londres: Lexington Books, 2019.

DUPAS, G. Fundamentos, contradições e consequências hegemônicas. In:Lafer,C;Dupas, G.Silva, E.L.(org’s.). A nova Configuração Mundial do Poder. São Paulo: paz e terra, 2008.pp211-232.

FOOT, R. Estratégias Chinesas em uma ordem global hegemônica: acomodação e hedging. In: In Lima, et all. Os Brics e a ordem Global. Rio de Janeiro: FGV editora, 2008, pp.125-151.

GECO. Lasciarsi provocare dal mondo.geografia e Cooperazione allo sviluppo: una relazione Antica, un dibattito attuale. Rivesta. Geografia. Italiana. 124 (2016), pp. 347-358.

HAESBAERT, R. China na nova dinâmica global-fragmentadora do Espaço Geográfico. In: Haesbaert, R (org). Globalização e Fragmentação no Mundo contemporâneo. 2ªed.atu. niteroi: EDUFF, 2013, pp113-136.

HURREL, A. Hegemonia, Liberalimo e ordem global: Qual é o espaço para as potências Emergentes? In Lima, et all. Os Brics e a ordem Global. Rio de Janeiro: FGV editora, 2008, pp.9-42.

IBAÑEZ, P. Belt and Road Initiative and China-Pakistan Economic Corridor: Geopolitical Challenges. Journal Of China and International Relations Special Edition: Brics, 2020. Disponível em: https://journals.aau.dk/index.php/jcir/article/view/4236 - Acesso em: 06 jun.2020

_____________. Geopolítica e diplomacia em tempos de Covid-19: Brasil e China no limiar de um contencioso », Espaço e Economia [Online], 18 | 2020. Disponível em http://journals.openedition.org/espacoeconomia/13257> Acesso em 10 de jun.2020 (b).

KRAGELUND, P. Back to BASICs? The Rejuvenation of Non‐traditional Donors’ Development Cooperation with Africa. Development and Change, v.42, n.2. p. 585-607, mar. 2011. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/j.1467-7660.2011.01695.x - Acesso em: 06 jun.2020.

KURTZ, R. Poder Mundial Dinheiro Mundial. Rio de Janeiro: Consequência, 2017.

LEONARD, M. O que a China Pensa? São Paulo: Larousse do Brasil. 2008.

LIMA, M.RS; MILANI, C. Política Externa, Geopolítica e Modelos de Desenvolvimento. In: LIMA, Maria Regina Soares et all (org’s). Cooperacíon Sur-Sur, política exterior y modelos de desarrollo en América Latina. Buenos Aires: CLASCSO, 2016. pp.21-39

MILANI, C. Aprendendo com a história: críticas àexperiência da Cooperação Norte-Sul e atuais desafios à Cooperação Sul-Sul. Card.CRH, Salvador, v. 25, n. 65, p. 211-231, Maio/Ago. 2012

MACHADO, L. O. Limites e fronteiras: da alta diplomacia aos circuitos da ilegalidade. Revista território,- LAGET/ UFRJ. V.8. pp.9-29, 2000.

MAWDSLEY, E.; KIM, S.M.; MARCONDES, D. Political leadership and ‘non-traditional’ development cooperation, Third World Quarterly. 2017. Disponivel em <10.1080/01436597.2017.1333416>. Acesso em: 10 de Ago.2018.

MAWDSLEY, E. Development geography 1:Cooperation, competition and convergence between ‘North’ and ‘South’. Progress in Human Geography,1–10, 2015.

MAWDSLEY, E. From Recipients to Donors: Emerging Powers and the Changing Development Landscape.London: Zed Books, 2012.

MARCONDES, D.; MAWDSLEY, E. “South–South in Retreat? The Transitions from Lula to Rousseff to Temer and Brazilian Development Cooperation.” International Affairs 93, no. 3 (2017): 681–699.

MORAIS, I. N. Cadeias produtivas globais e agregação de valor: a posição da China na indústria eletroeletrônica de consumo. Revista Tempo do Mundo, Brasília, v.4, n.3, dez. 2012. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/6305 - Acesso em: 06 jun.2020

MOYO, D. O vencedor Leva Tudo. Corrida Chinesa por recursos e seu significado para o mundo. Rio de Janeiro: Objetiva, 2013.

NIQUET, V. China and Central Asia. China perspectives, 67, sep-out 2006. Disponível em: journals.openedition.org/chinaperspectives/1045 – Acesso em: 06 jun.2020

NYE, J. O Futuro do Poder. São Paulo: Benvirá, 2012.

OLIVEIRA, L. D. Geopolítica Ambiental. A construção ideológica do desenvolvimento Sustentável. Rio de Janeiro: Autografia, 2019.

PARAMONOV, V. China & Central Asia: Present & Future of Economic Relations. Conflict Studies Research Centre Central Asia Series, v.5, n.25, mai.2005. Disponível em: https://www.files.ethz.ch/isn/92589/05_May.pdf - Acesso em: 06 jun.2020

PARAMONOV, V. China’s Economic Presence in Uzbekistan: Realities and Potentials. Uzbekistan Initiative Papers, n.5, fev.2014. Disponível em: https://centralasiaprogram.org/archives/7839 - Acesso em: 06 jun.2020

_____________________.Central Asia-Caucasus Institute & Silk Road Studies Program. 2007. Disponível em: https://isdp.eu/content/uploads/publications/2007_peyrouse_economic-aspects-of-the-chinese-central-asia-rapprochement.pdf - Acesso em: 05 jun.2020

PAULO, S. International Cooperation and Development: A Conceptual Overview. German Development Institute, Bonn, 2014.

PERYROUSE, S. The Economic Aspects of the Chinese-Central Asia Rapprochement.

PERYROUSE, S. Central Asia’s growing partnership with China Central. EUCAM Working Paper No. 4, p.1-13, oct.2009. Disponível em: https://www.files.ethz.ch/isn/111372/WP4-EN.pdf - acesso em 06 jun.2020

PIKETTY, T. O Capital no Século XXI. Rio de Janeiro: Intrinseca, 2014.

POLANYI, K. A grande transformação: as origens da nossa época. Rio de Janeiro: Editora Campus, 2000.

POMFRET, R.. The Central Asian Economies in the Twenty-First Century: Paving a New Silk Road. Princeton: Princeton University Press, 2019.

RAFFESTIN, C. Por uma Geografia do Poder. São Paulo: Atica, 1993.

RIBEIRO, W.C. Geopolítica da Água. São Paulo: Anblumme, 2008.

RICHARD, Y. Integração regional, regionalização, regionalismo: as palavras e as coisas », Confins [Online], n.20, 2014. Disponível em < https://journals.openedition.org/confins/8939> Acesso em: 10 jun.2020.

ROCHA, A. S. Cartografia e geopolítica das relações sul-sul: sobre a cooperação técnica Brasil-África. CONFINS [on line] n.39, 2019. Disponível em <https://journals.openedition.org/confins/17327> Acesso em: 20 abril.2020.

Geografia da cooperação internacional para o desenvolvimento: um olhar estratégico das relações Brasil-África no início do século XXI. In: Helena Mesquita Pina & Felisbela Martins. (Org.). The Overarching Issues of the European Space / Grandes Problemáticas do Espaço Europeu. 1ed. UPORTO: Faculdade de Letras da Universidade do Porto, 2019, v. 1, p. 315-326. Disponível em <10.21747/9789898969149/geog> Acesso em: 20 abri.2020

___________________. "A política externa e geopolítica brasileira na era Lula: uma análise dos acordos de cooperação técnica para a África". In: RÜCKERT, A. A.; SILVA, A. C. P. da;

RÜCKERT, A. A.; SILVA, A. C. P. da; SILVA, G. de V. (Orgs.). Geografia Política, Geopolítica e Gestão do Território: integração sul-americana e regiões periféricas. Porto Alegre: Editora Letra1, 2018, p. 131-144.

SILVA, G. de V. (Orgs.). Geografia Política, Geopolítica e Gestão do Território: integração sul-americana e regiões periféricas. Porto Alegre: Editora Letra1, 2018, p. 123-136

SANGUIN. A.L. A evolução d Geografia Política desde os anos de 1990: uma perspectiva internacional. In: SILVA, A.C.P. Geografia Política, Geopolítica e Território: racionalidades e práticas em múltiplas escalas. Rio de Janeiro, Gramma, 2016, pp.13-64.

STUENKEL, O. BRICS e o futuro da ordem mundial. Rio de Janeiro/São Paulo; Paz e Terra, 2017.

THE 13 THFIVE-YEAR PLAN FOR ECONOMIC AND SOCIAL DEVELOPMENT OF THE PEOPLE’S REPUBLIC OF CHINA (2016–2020). Disponível em < http://en.ndrc.gov.cn/policyrelease/201612/P020161207645766966662.pdf > Acesso em: 07 set. 2018.

VADELL, J. A.; LOPES, B.; CARDOSO, D. FOCAC: estratégia econômica e política de cooperação Sul-Sul Sino-Africana. Carta Internacional, v. 8, n. 2, p. 81-99, 25 jun. 2013.

VITTE, C. América Latina: uma integração regional agônica? A institucionalidade da integração regional E alguns de seus principais desafios. REVISTA BRASILEIRA DE GEOGRAFIA, v. 63, p. 10-23, 2019.

Downloads

Publicado

2020-12-04

Como Citar

Rocha, A. S. da, Santos, J. C. D. dos ., & Ibañez, P. . (2020). A cooperação internacional e os estudos geográficos: um olhar sobre estratégias Chinesas para a África e a Ásia Central. Revista Geografias, 28(2), 73–95. https://doi.org/10.35699/2237-549X .2020.21928

Edição

Seção

Dossiê - A inserção dos estudos geográficos brasileiros nos estudos globais