As relações de Santa Luzia/MG com a geo-história do Brasil e da economia-mundo capitalista entre os séculos XVIII-XIX

Autores

  • Caio Franco Assunção UFMG

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-549X%20.2020.24055

Palavras-chave:

pensamento geo-histórico, Santa Luzia, economia-mundo, Fernand Braudel

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar a formação e o desenvolvimento urbano da cidade de Santa Luzia, Minas Gerais, e refletir sobre os benefícios heurísticos do relacionamento da história da cidade com as teses apresentadas pela tradição geo-histórica. Como princípio articulador dessa abordagem, busca-se refletir sobre quais as consequências regionais e urbanas que foram produtos dos movimentos globais e que tiveram impacto na constituição de uma cidade. Nesse sentido, espera-se que os processos e fatos aqui apresentados possam contribuir na ampliação perspectiva da compreensão da realidade urbana a partir da utilização do pensamento geo-histórico. A partir disso, observa-se a geo-história como uma ferramenta metodológica compatível com o entendimento dos diversos elementos de formações específicos da realidade brasileira em diversas temporalidades e espacialidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, L. B. Dissertando Mariana para entender o Brasil: historiografia regional e História econômica de Minas Gerais após o auge da mineração. Revista de História Regional, Ponta Grossa, v. 15, n. 2, p.211-234, 2010.

ANDRADE ARRUDA, J. J. O novo imperialismo britânico e o fenômeno Brasil. Revista USP, São Paulo, n. 79, p. 22-33, 2008.

ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO. Planta do Arraial de Santa Luzia e suas imediações com as posições ocupadas pelos insurgentes e as tropas imperiais. Fundo Presidência da Província. Correspondência Recebida/ Rebelião de 1842. LITH DE HEATON E RENSBUG, 1842. Disponível em: <http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/modules/grandes_formatos/brtacervo.php?cid=700>.

ARRIGHI, G. O longo século XX: dinheiro, poder e as origens de nosso tempo. São Paulo: EDUSP, 1996.

BARROSO, G. A batalha de Santa Luzia. Rio de Janeiro: O Cruzeiro, v.26, n.51, p.45; 68; 92; 96, out. 1954.

BRASIL. Collecção das Leis do Brazil de 1808. Rio de Janeiro: Typographia Nacional. 1891. p. 37-41. Disponível em: <http://bd.camara.gov.br/bd/handle/bdcamara/18319?_ga=2.105582154.838997771.1591741614-1866292265.1591741614>

BRASIL. Recenseamento do Brazil em 1872. Disponível em: <http://www.nphed.cedeplar.ufmg.br/pop-72-brasil/>

BRAUDEL, F. O Mediterrâneo e o mundo mediterrânico na época de Filipe II. Lisboa: Martins Fontes, 1983.

BRAUDEL, F. Uma lição de história de Fernand Braudel. Rio de Janeiro: J. Zahar, 1989.

BRAUDEL, F. Escritos sobre a história. São Paulo: Perspectiva, 1992.

BRAUDEL, F. Civilização material, economia e capitalismo: séculos XV-XVIII. São Paulo: Martins Fontes, 1996. v.3.

BURKE, P. A revolução francesa da historiografia: a Escola dos annales: 1929-1989. São Paulo: Unesp, 1992.

CARRARA, A.A. A pecuária: rebanhos e distribuição geográfica. In: RESENDE, Maria Efigênia Lage de.; VILLALTA, Luiz Carlos. História de Minas Gerais. Belo Horizonte: Companhia do Tempo: Autêntica, 2013, p. 317-328.

DINIZ, Á. Santa Luzia: Minha Terra, Sua História Histórias de Minha Terra. Santa Luzia, 2008.

ESPINDOLA, H. S. Caminhos para o mar: a expansão dos mineiros para o Leste. In: RESENDE, Maria Efigênia Lage de.; VILLALTA, L.C. História de Minas Gerais. Belo Horizonte: Companhia do Tempo: Autêntica, 2013, p. 51-70

FONSECA, C.D. Arraiais e vilas d'el rei: espaço e poder nas Minas setecentistas. Belo Horizonte: Editora Universidade Federal de Minas Gerais, 2011.

FRAGOSO, J.L.R. Homens de grossa aventura: acumulação e hierarquia na praça mercantil do Rio de Janeiro, 1790-1830. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional. 1992.

FURTADO, C. Formação econômica do Brasil. São Paulo: Comp. Ed. Nacional, 1977.

GRAÇA FILHO, A. de A. Riqueza e negócios na primeira metade do século XIX. In: RESENDE, Maria Efigênia Lage de.; VILLALTA, L. C. História de Minas Gerais. Belo Horizonte: Companhia do Tempo: Autêntica, 2013, p.295-316

GOULART, E. M. A.; BAGGIO, M.A. O caminho dos currais do Rio das Velhas: a Estrada Real do Sertão. Belo Horizonte: COOPMED/UFMG, 2009.

IUMATTI, P.T. Caio Prado Jr.: uma trajetória intelectual. São Paulo: Brasiliense, 2007.

LIBBY, D. C. Transformação e trabalho: em uma economia escravista: Minas Gerais no século XIX. São Paulo: Editora Brasiliense, 1988.

LIMA, J.H. Café e indústria em Minas Gerais: 1870-1920. 1977. Dissertação de Mestrado. UNICAMP, Campinas.

LIMA, L.C. Fernand Braudel e o Brasil: vivência e brasilianismo (1935-1945). São Paulo: Edusp, 2009.

LIRA, L. A. Geo-história dos saberes. Boletim Paulista de Geografia, São Paulo, n. 98, p. 96-110, 2018.

MARTINS, O. O Brasil e as Colónias Portuguesas. Lisboa: Guimarães, 1953.

MARTINS, R.B. A economia escravista de Minas Gerais no século XIX. Belo Horizonte: CEDEPLAR/UFMG, 1982.

MARTINEZ, P. H. Fernand Braudel e a primeira geração de historiadores universitários da USP (1935-1956): notas para estudo. Revista de História, São Paulo, n. 146, p. 11-27, 2002.

MEMÓRIA ESTATÍSTICA DO BRASIL. Collecção de mappas estatisticos do commercio e navegação do Imperio do Brasil e do Porto do Rio de Janeiro 1848-1885. 22 v. Memória Estatística do Brasil. Disponível em: <http://memoria.org.br/ia_visualiza_bd/ia_consultar_acervo.php>

MINAS GERAIS. Listas Nominativas da Década de 1830. Disponível em: < http://www.nphed.cedeplar.ufmg.br/poplin-minas-1830/>

MONBEIG, P. Aspectos geográficos do crescimento da cidade de São Paulo. Boletim paulista de Geografia, São Paulo, n. 16, p. 3-29, 2017.

MORAES, A. C. R. Geografia Histórica do Brasil: cinco ensaios, uma proposta e uma crítica. São Paulo: Annablume, 2009

NIETZSCHE, F. W. Escritos sobre história. São Paulo: Folha de S. Paulo, 2015.

PAIVA, C.A.; ARNAUT, L. D.H. Fontes para o estudo de minas oitocentista: listas Nominativas. Diamantina: Belo Horizonte: UFMG/CEDEPLAR, p. 85-106, 1990.

PAIVA, C. A.; RODARTE, M.M.S.. Dinâmica demográfica e econômica (1830-1870). In: RESENDE, Maria Efigênia Lage de.; VILLALTA, Luiz Carlos. História de Minas Gerais. Belo Horizonte: Companhia do Tempo: Autêntica, 2013, p.271-294.

PRADO JUNIOR, C. Diretrizes para uma política econômica brasileira. São Paulo: Urupês, 1954.

PRADO JUNIOR, C. Formação do Brasil contemporâneo: Colônia. São Paulo: Brasiliense, 1992.

ROCHA, et al. Geografia histórica da capitania de Minas Gerais: descrição geográfica, topográfica, histórica e política da capitania de Minas Gerais. Memória histórica da capitania de Minas Gerais. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro, Centro de Estudos Históricos e Culturais, 1995.

SAINT-HILAIRE, A. Viagem pelas províncias do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Ed. Itatiaia, 1975

SANTOS JUNIOR, J. J. G.; SOCHACZEWSKI, M. História global: um empreendimento intelectual em curso. Tempo, Niterói, v. 23, n. 3, p. 483-502, Dec. 2017.

SILVA, U. G. da. Outra história global é possível? Desocidentalizando a história da historiografia e a história antiga. Esboços, Florianópolis, v. 26, n. 43, p. 473-485, set./dez. 2019.

SILVA, D. G. B. da.; KOMISSAROV, B. N. Os diários de Langsdorff. Campinas: Associação Internacional de Estudos Langsdorff., 1997.

SIMONSEN, R. C. História econômica do Brasil: 1500-1820. Brasiliana, 1937.

SLENES, R. W. Os múltiplos de porcos e diamantes. Estudos econômicos, São Paulo, v. 18, n. 3, p. 449-495, 1988.

VILLA, G. Horizonte de eventos da batalha de Santa Luzia: aspectos sociais e arqueológicos. Santa Luzia. 2019.

Downloads

Publicado

2020-12-04

Como Citar

Franco Assunção, C. (2020). As relações de Santa Luzia/MG com a geo-história do Brasil e da economia-mundo capitalista entre os séculos XVIII-XIX. Revista Geografias, 28(2), 27–51. https://doi.org/10.35699/2237-549X .2020.24055

Edição

Seção

Dossiê - A inserção dos estudos geográficos brasileiros nos estudos globais