O espaço de batalha urbicida na cidade do Rio de Janeiro

Autores

  • Márcio José Mendonça UFES

Palavras-chave:

Militarização, Guerra Urbana, Espaço de Batalha, Urbicídio, Rio de Janeiro

Resumo

O artigo operando, metodologicamente, pelos conceitos de espaço de batalha e urbicídio mostra que o espectro urbano de militarização da cidade do Rio de Janeiro, não pode mais ser concebido numa concepção “tradicional” de superfície, seja esta zonal ou em rede, mas deve ser inteligível como um todo, isto é, como um volume, levando em conta seus múltiplos rearranjos espaciais e novas formas de desapropriação violenta, que caracterizam o urbicídio e evidenciam a configuração da cidade, se não no todo, pelo menos de certas áreas, espacialmente segregadas, em espaços de batalha complexos. O Rio de Janeiro ilustra, justamente, esse cenário complexo de sobreposição de escalas e reorganização dos territórios, associando representações e ações, no espaço e territórios, que questionam a abordagem da noção horizontal da geografia, da cartografia clássica. Para elucidar essas mudanças territoriais propomos um modelo espacial de compreensão da atual dinâmica de militarização da cidade, em perspectiva tridimensional, construído de maneira intuitiva, que se revela original e questionador das formas tradicionais de conceber o espaço como território em disputa por diferentes grupos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-07-02

Como Citar

Mendonça, M. J. (2021). O espaço de batalha urbicida na cidade do Rio de Janeiro. Revista Geografias, 29(1), 23–42. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/geografias/article/view/25529

Edição

Seção

Artigos