A evolução do uso e cobertura do solo no município de Três Rios (RJ):

uma singularidade entre a expansão urbana e a ampliação da vegetação arbórea nas últimas duas décadas no município.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-549X.2022.38211

Palavras-chave:

geoprocessamento, métricas ecológicas da paisagem, análise temporal, uso e cobertura do solo

Resumo

O constante crescimento dos municípios traz consigo uma série de benefícios, mas também necessita respeitar a natureza presente, não ignorando e nem mesmo prejudicando-a. Motivado pela hipótese de que estaria ocorrendo uma perda da cobertura vegetal no município de Três Rios (RJ) no decorrer dos últimos 20 anos, foi realizada uma pesquisa visando verificar se isso realmente estava ocorrendo. Para isso, foi produzida uma análise comparativa entre o uso e cobertura do solo no município utilizando como base imagens dos satélites Landsat 5 e 8, nos anos de 2000, 2010 e 2020 pautada no uso das Métricas Ecológicas da Paisagem. Após a análise individual dos mapas e gráficos gerados por meio de técnicas de geoprocessamento, foi observada a distribuição da “Vegetação Arbórea” nos três anos analisados, e, numa segunda etapa, foram utilizadas as Métricas Ecológicas da Paisagem para quantificar essa informação. Foi observado um aumento da área vegetada, algo que pode estar relacionado com a criação de diferentes Unidades de Conservação no município. Este trabalho serve como um exemplo de como o geoprocessamento pode ser útil na organização e monitoramento espacial de um município, cidade ou Estado, para determinar os impactos de cada período de expansão ocorrido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Carlos Moreira Gomes, Universidade Federal de Juiz de Fora

Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2018). Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geoprocessamento, atuando principalmente nos seguintes temas: Análise ambiental, Cartografia Histórica, Análise espacial. Possui noções de carpintaria, marcenaria, mecânica e desenvolvimento de aplicações relacionadas ao grande campo das Ciências da Terra. Além de uma profunda curiosidade sobre gnosiologia, teoria do conhecimento, método e epistemologia.

Cézar Henrique Barra Rocha, Universidade Federal de Juiz de Fora

Sou Engenheiro Civil pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1990), Especialista em Geoprocessamento pela UFRJ (2000), Mestre em Transportes pela Universidade de São Paulo (1994) e Doutor em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2003). Trabalhei nas empresas de consultoria Enefer, Estec e Prodec de 1990 a 1996 como engenheiro projetista de estradas. Ingressei na Universidade Federal de Juiz de Fora em 1996 e desde 2019 sou Professor Titular lecionando disciplinas de Geomática para Graduação e Monitoramento Ambiental para Pós-Graduação. Já atuei de 2008 a 2018 no Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade (antiga Ecologia) e atualmente estou como professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Ambiente Construído (PROAC) e do Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGEO). Tenho experiência nas áreas de Transportes e Meio Ambiente, trabalhando com Monitoramento e Impacto Ambiental, Áreas Protegidas, Recursos Hídricos, Bacias Hidrográficas, Mapeamento de Riscos, Capacidade de suporte e Resiliência. Sou lider do Núcleo de Análise Geo Ambiental (NAGEA) desde 2008. Fui representante da UFJF em conselhos municipal / Comdema JF de 2006 a 2009; regional / CIEA Zona da Mata de 2006 a 2019; e estadual de Meio Ambiente / COPAM ? URC Zona da Mata de 2017 a 2018. Atualmente sou representante suplente da UFJF no Comitê da Bacia Hidrográfica dos Afluentes Mineiros dos Rios Preto e Paraibuna Resumindo, os desejos de pesquisa estão concentrados em monitorar impactos na vegetação e na água.

Referências

AGEVAP - ASSOCIAÇÃO PRÓ-GESTÃO DAS ÁGUAS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARAÍBA DO SUL. Plano de Recursos Hídricos da Bacia do Rio Paraíba do Sul - Diagnóstico dos Recursos Hídricos Relatório Final (PSR-010-R0). p. 201, 2006. Disponível em: <http://www.ceivap.org.br/downloads/PSR-010-R0.pdf>. Acesso em: 10 dez. 2020.

ALMEIDA, F. S.; GOMES, D. S.; QUEIROZ, J. M. DE. Estratégias para a conservação da diversidade biológica em florestas fragmentadas. Ambiência, v. 7, n. 1808–0251, p. 367–382, 2011.

BATISTA, M. T. F. Modelação Geográfica Em Processos De Caracterização E Avaliação Da Paisagem Numa Perspectiva Transfronteiriça. Tese de Doutorado. IFA, Universidade de Évora. 2014. p. 264. Tese – Universidade de Évora, Évora, 2014. Disponível em: <https://dspace.uevora.pt/rdpc/handle/10174/13095>. Acesso em: 23 jan. 2021.

COSTA, R. M. Ação antropogênica sobre o relevo e sua influência na modelagem de predição de escorregamentos e de risco na bacia hidrográfica do Córrego Tapera, Juiz de Fora - MG. 2019. p. 224. Dissertação – Instituto de Ciências Humanas, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2019. Disponível em: <https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/10311>. Acesso em: 05 dez. 2021.

CULLINAN, V. I.; THOMAS, J. M. A comparison of quantitative methods for examining landscape pattern and scale. Landscape Ecology, 1992.

DIAS, J. E.; GOES, M. H. B.; SILVA, J. X.; GOMES, O. V. O. Geoprocessamento Aplicado À Análise Ambiental: O Caso do Município de Volta Redonda - RJ. In: SILVA, J. X.; ZAIDAN, R. T. (Orgs.); Geoprocessamento e Análise Ambiental: Aplicações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004. p. 143-177.

ESCOBAR, F. B. Padrões estruturais fitossociológicos e áreas potenciais para corredores ecológicos na bacia do Puraquequara Manaus - AM. 2016. p. 100. Dissertação ¬– Faculdade de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2016. Disponível em: <https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/5513>. Acesso em: 10 out. 2021.

Estatuto da Cidade: Lei n. 10.257, de 10 de julho de 2001, que estabelece diretrizes gerais da política urbana. Brasília: Câmara dos Deputados, Coordenação de Publicações, 2001.

FELIPPE, M.; MATOS, R.; MAGALHÃES JR., A.; COSTA, A.; GARCIA, R. Evolução da ocupação urbana das zonas preferenciais de recarga de aquíferos de Belo Horizonte-MG. Revista Geografia, v. 1, p. 1–9, 2011. Disponível em: <http://www.ufjf.br/revistageografia/files/2011/12/Revista_Geografia_Dez-2011_-_Miguel1.pdf-41.pdf>. Acesso em: 05 jan. 2021.

FRAMIL, F. D. L. Análise das mudanças no uso e cobertura da terra no município de Viçosa – MG através da classificação supervisionada de imagens do satélite LANDSAT 5 TM dos anos de 1985, 1998 e 2011. 2013. p. 100. Monografia – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2013. Disponível em: <http://www.geo.ufv.br/wp-content/uploads/2013/08/Filipe-de-Lorenzo-Framil.pdf>. Acesso em: 05 jan. 2021.

GOMES, C. F. Projeto Nacional: O dever da esperança. 1o ed. Leya, 2020.

GOMES, O. V. DE O.; MARQUES, E. D.; SOUZA, M. D. C. DE; SILVA-FILHO, E. V. DA. Influência antrópica nas águas superficiais da cidade de Três Rios, (RJ). Geochimica Brasiliensis, v. 27, n. 1, p. 77–86, 2013.

HERZOG, F.; LAUSCH, A.; MÜLLER, E.; THULKE H.; STEINHARDT U.; LEHMANN, S. Landscape metrics for assessment of landscape destruction and rehabilitation. Environmental Management, v. 27, p. 91-107 2001.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Brasileiro de 2010. Rio de Janeiro. IBGE, 2012.

_______________. Divisão Territorial Brasileira - DTB. Rio de Janeiro. IBGE, 2020a.

_______________. Estimativa a Respeito do Censo Brasileiro de 2020. Rio de Janeiro. IBGE, 2020b.

INMET - INSTITUTO NACIONAL DE METEREOLOGIA. Brasília. INMET, 2022. Disponível em: https://portal.inmet.gov.br/. Acesso em: 26 mai. 2022.

JUNG, M. LecoS - A python plugin for automated landscape ecology analysis. Ecological Informatics, v. 31, p. 18–21, 2016. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1016/j.ecoinf.2015.11.006>. Acesso em: 18 jul. 2021.

JUVANHOL, R. S. Análise espacial de fragmentos florestais no corredor ecológico entre os parques estaduais de Forno Grande e Pedra Azul, ES. 2011. p. 58. Monografia – Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Espírito Santo, Jerônimo Monteiro, 2011. Disponível em: <https://florestaemadeira.ufes.br/sites/florestaemadeira.ufes.br/files/field/anexo/tcc_ronie_silva_juvanhol.pdf>. Acesso em: 10 dez. 2020.

KARASIAK, N. dzetsaka: Classification tool. v. 3.4.3, 2017.

LEITE, L. C. O. F.; ROCHA, C. H. B. Monitoramento Da Alteração Da Paisagem Florestal Entre 2004 E 2018 No Município De Juiz De Fora, Mg - Brasil. Geofronter, v. 6, n. 1, p. 1–20, 2018.

LI, B. L.; ARCHER, S. Weighted mean patch size: A robust index for quantifying landscape structure. Ecological Modelling, 1997.

LOO, A. Análise dos condicionantes das inundações do rio Sesmaria, em Resende/RJ. 2019. p. 146. Dissertação – Instituto de Ciências Humanas, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2019. Disponível em: < https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/11546>. Acesso em: 05 jan. 2021.

MCGARIGAL, K.; MARKS, B. J. FRAGSTATS: spatial pattern analysis program for quantifying landscape structure. General Technical Report - US Department of Agriculture, Forest Service, 1995.

QGIS, D. T. Quantum GIS geographic information system: Open Source Geospatial Foundation Project, 2020.

SEBUSIANI, H. R. V.; DO CARMO BETTINE, S. Metodologia de análise do uso e ocupação do solo em micro bacia urbana. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, v. 7, n. 1, p. 256–285, 2011.

SILVÉRIO NETO, R.; BENTO, M. DE C.; MENEZES, S. J. M. DA C. DE; ALMEIDA, F. S. Caracterização da Cobertura Florestal de Unidades de Conservação da Mata Atlântica. Floresta e Ambiente, v. 22, n. 1, p. 32–41, 2015. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2179-80872015000100032&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 10 mai. 2021.

SOUTHWORTH, J.; NAGENDRA, H.; TUCKER, C. Fragmentation of a landscape: Incorporating landscape metrics into satellite analyses of land-cover change. Landscape Research, v. 27, n. 3, p. 253-269, 2002.

SPOSITO, M. E. B. Desafios para o estudo das cidades médias. XI Seminário Internacional de la Red Iberoamericana de Investigadores sobre Globalización y Território, v. 11, p. 1–18, 2010.

TURNER, M. G.; O’NEILL, R. V.; GARDNER, R. H.; MILNE, B. T. Effects of changing spatial scale on the analysis of landscape pattern. Landscape Ecology, v. 3, n. 3-4, p. 153-162, 1989.

VERONESE, J. V.; ROCHA, C. H. B.; SILVA, M. D. Análise de índices de ecologia da paisagem do núcleo Atalaia-Dama Branca - PECSol, RJ, Brasil. Geographia Meridionalis, v. 5, n. 1, p. 68–86, 2019.

ZAIDAN, R. T.; FERNANDES, N. F. Zoneamento de susceptibilidade a escorregamentos em encostas aplicado à bacia de drenagem urbana do Córrego do Independência - Juiz de Fora (MG). Revista Brasileira de Geomorfologia, v. 2, p. 57–76, 2009.

Downloads

Publicado

2022-07-22

Como Citar

Parreira Lapa, D., Moreira Gomes, F. C., & Barra Rocha, C. H. (2022). A evolução do uso e cobertura do solo no município de Três Rios (RJ): : uma singularidade entre a expansão urbana e a ampliação da vegetação arbórea nas últimas duas décadas no município. Revista Geografias, 18(1), 21–39. https://doi.org/10.35699/2237-549X.2022.38211

Edição

Seção

Artigos