Lazer e Experiência Cultural

Territorialidade e Alteridade do Povo Akwẽ-Xerente

Autores

  • Khellen Cristina Pires Correia Soares Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Tocantins (IFTO)
  • José Alfredo Oliveira Debortoli Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

DOI:

https://doi.org/10.35699/1981-3171.2019.12314

Palavras-chave:

Atividades de Lazer, Cultura, População Indígena

Resumo

Este trabalho é um recorte da tese de doutorado intitulada Cultura e Lazer na vida cotidiana do povo Akwẽ-Xerente. Este texto busca uma discussão entre lazer e experiência cultural, aproximando do modo de vida e de constituição da territorialidade e alteridade Akwẽ-Xerente. Uma aproximação com a antropologia permitiu que a metodologia fosse construída a partir do diálogo entre a pesquisa bibliográfica e de campo; em uma perspectiva etnográfica foi desenvolvida a observação participante e realizadas entrevistas. Através do “olhar de perto e de dentro” buscamos a compreensão do que os indígenas vivenciam que se aproxima das perspectivas de lazer lançadas até o momento. Assim, o objetivo é apresentar as práticas culturais de lazer do povo Akwẽ-Xerente, mais especificamente o Dasipê e a utilização das tecnologias, trazendo para a discussão questões que permeiam a alteridade e territorialidade deste povo. Estas práticas culturais de lazer fazem parte da vida cotidiana e participam da força geradora que define essa cultura. A tessitura deste habitar é composta por fios da tradição e outros fios da modernidade, revelando o processo híbrido da experiência cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMORIN, M. O pesquisador e o seu outro. Bakhtin nas Ciências Humanas. São Paulo: Musa, 2001.

CAMARGO, Luiz Otávio de. O lazer e a ludicidade do brasileiro. Revista do Centro de Pesquisa e Formação – SESC, n. 2, maio 2016.

CORBIN, Alain. A história dos tempos livres: o advento do lazer. Lisboa: Teorema, 2001.

COSTA, Carlos Eduardo. A busca da esportividade ameríndia: antropologia das práticas esportivas e sociedades indígenas em debate. In: SPAGGIARI, Enrico (Org.). Entre jogos e copas: reflexões de uma década esportiva. São Paulo, Intermeios, Fapesp, 2016.

DIAS, Cleber. A igreja, o Estado e a bola: história do esporte entre os índios do Brasil Central. Revista Pensar a Prática, Goiânia, v. 15, n. 1, p. 1271, jan./mar. 2012.

GEERTZ, Clifford. Obras e Vidas: o antropólogo como autor. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2005.

GOLDMAN, Marcio. Os tambores do Antropólogo. Antropologia Pós- Social e Etnografia. Ponto Urbe – Revista do Núcleo de Antropologia da USP, ano 2, v. 3, 2008.

HALK, Cassia; PIRES, Giovani De Lorenzi. Lazer e mídia em culturas juvenis: uma abordagem da vida cotidiana. Licere, Belo Horizonte, v.10, n.1, abr./2007.

INGOLD, Tim. Humanity and animality. In: INGOLD, T. (Ed). Companion encyclopedia of anthropology. London: Routledge, 1994.

______. Pare, olhe e escute. Tradução de Ligia Maria Venturini et al. Revista Ponto Urbe, Ano 2, Versão 3.0, 2008.

______. Caminhando com dragões: em direção ao lado selvagem. In: STEIL, Carlos Alberto; CARVALHO, Isabel Cristina. Cultura, Percepção e Ambiente: diálogos com Tim Ingold. São Paulo: Terceiro Nome, 2012, pg. 15 - 19.

______. Estar vivo: ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição. Trad. De Fábio Creder. Petrópolis: Vozes, 2015.

LATOUR, Bruno. Nous n‘Avons Jamais Été Modernes: Essai d‘Anthropologie Symétrique. Paris: Editions La Découverte, 1991.

LÉVI- STRAUSS, Claude. A crise moderna da Antropologia. Revista de Antropologia, v. 10, n.1 e 2, USP, São Paulo, 1962.

LITTLE, Paul. Territórios sociais e povos tradicionais no Brasil: por uma antropologia da territorialidade. Série Antropologia 322. Universidade de Brasília, 2002.

MAGNANI, J. G. C. Festa no Pedaço: cultura popular e lazer na cidade. São Paulo: Hucitec/UNESP, 1998.

______. De perto e de dentro: notas para uma etnografia urbana. Revista brasileira de ciências sociais, São Paulo, v. 17, n. 49. jun., 2002.

MALINOWSKI, B. Argonautas do Pacífico: um relato do empreendimento e da aventura dos nativos nos arquipélogos da Nova Guiné melanésia. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

MARTINS, J. S. A chegada do estranho. São Paulo: Hucitec, 1993.

MAUSS, Marcel. Sociologia e Antropologia. Trad. Paulo Neves. São Paulo: Cosac Naify, 2003.

MORAN, José Manuel. Novas tecnologias e o re-encantamento do mundo. Revista Tecnologia Educacional. Rio de Janeiro, v. 23, n.126, p. 24-26, setembro-outubro 1995.

NUNES JUNIOR, Oriovaldo. Internetnicidade: caminhos das novas tecnologias de informação e comunicação entre povos indígenas. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina, 2009.

SAHLINS, Marshal. O pessimismo sentimental e a experiência etnográfica: porque a cultura não é um objeto em via de extinção. Mana - Estudos de Antropologia Social do Museu Nacional. Rio de Janeiro, v. 3, n. 1 e 2, UFRJ, 1997.

SANTOS, M. Por uma Geografia Nova. São Paulo: Hucitec, Edusp, 1978.

______. Espaço e Sociedade. Petrópolis: Vozes, 1979.

______. Pensando o espaço do homem. São Paulo: Hucitec, 1982.

______. Espaço e método. São Paulo: Nobel, 1985.

______. Metamorfoses do espaço habitado. São Paulo: Hucitec, 1988.

______. Território globalização e fragmentação. São Paulo: Hucitec, 1994.

______. A natureza do espaço. Técnica e tempo. Razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1996.

STEIL, Carlos Alberto e CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. Cultura, Percepção e Ambiente: diálogos com Tim Ingold. São Paulo: Editora Terceiro Nome, 2012.

VELHO, Gilberto. Individualismo e Cultura: notas para uma antropologia da sociedade contemporânea. 6. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. O nativo relativo. Mana, Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, 2002.

WAGNER, Roy. A invenção da Cultura. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

WILLIAMS, Raymond. La larga revolución. Ediciones Nueva Vision, 1961.

______. O campo e a cidade: na história: na história e na literatura. Tradução Paulo Henrique Brito. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

Downloads

Publicado

2019-03-29

Como Citar

Soares, K. C. P. C., & Debortoli, J. A. O. (2019). Lazer e Experiência Cultural: Territorialidade e Alteridade do Povo Akwẽ-Xerente. LICERE - Revista Do Programa De Pós-graduação Interdisciplinar Em Estudos Do Lazer, 22(1), 122-147. https://doi.org/10.35699/1981-3171.2019.12314

Edição

Seção

Artigos Originais