Concepções de Lazer sob a Perspectiva dos Adultos

Autores

  • Iara Falleiros Braga Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
  • Andrêza Roberta Bezerra dos Santos Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

DOI:

https://doi.org/10.35699/1981-3171.2019.16270

Palavras-chave:

Adulto, Atividades de Lazer, Cultura

Resumo

Esse estudo teve o objetivo de analisar as concepções de lazer sob a perspectiva dos adultos. Foi adotada uma abordagem qualitativa, realizada através de um questionário aberto online na plataforma Google Forms, por meio da técnica metodológica snowball. Os sujeitos que compuseram a pesquisa foram 21 adultos, na faixa etária dos 25 aos 38 anos. A análise dos dados pautou-se na modalidade de análise hermenêutica-dialética. Foram identificados 3 núcleos de sentidos que possibilitaram compreender a concepção do lazer para os adultos: compreensão de lazer: “tempo e atitude”, a idade e atividades consideradas como lazer, e “produtos” de lazer. Os resultados mostraram a associação entre lazer e satisfação pessoal/descanso, e o paradoxo entre lazer e trabalho, com mudanças na percepção dos sujeitos mais notórias nas faixas etárias dos 25 aos 29 anos e dos 30 aos 38 anos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUDO, Viviana Raquel Cascalheira. A transição para a idade adulta e os seus marcos: que efeito na sintomatologia depressiva? 2008. 66 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Psicologia, Universidade de Lisboa, Lisboa, 2008. Disponível em: http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/3086/2/ulfp037654_tm_tese.pdf. Acesso em: 15 set. 2018.

ALBUQUERQUE, E. M. Avaliação da técnica de amostragem “Respondent-driven Sampling” na estimação de prevalências de Doenças Transmissíveis em populações organizadas em redes complexas. Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca – ENSP; Rio de Janeiro: Ministério da Saúde – Fiocruz, 2009. Dissertação de Mestrado, 99p.

ALENCAR, T.O.S.; NASCIMENTO, M.A.A; ALENCAR, B.R. Hermenêutica Dialética: Uma experiência enquanto método de análise na pesquisa sobre o acesso do usuário à assistência farmacêutica. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, Fortaleza, v. 25, n. 2, p.243-250, abr. 2012.

ALMEIDA, M.A.B.; GUTIERREZ, G.L. Análise do desenvolvimento das práticas urbanas de lazer relacionadas a produção cultural no período nacional-desenvolvimentista à globalização. Rev. Bras. Educ. Fís. Esporte, São Paulo, v. 25, n. 1, p.137-152, jan. 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbefe/v25n1/13.pdf . Acesso em: 02 out. 2018.

ALVES, C; MARCELLINO, N.C. O profissional de Educação Física como Animador Sociocultural atuando nos clubes da cidade de Americana-SP: Contribuições nas relações entre o lazer e a idade adulta. Licere, Belo Horizonte, v. 11, n. 1, p.1-19, abr. 2008. /Disponível em: https://seer.ufmg.br/index.php/licere/article/view/636/519 . Acesso em: 11 ago. 2018.

ARACRI, E.M.R.P. Professores no museu da Geodiversidade: O Capital Cultural nas percepções e expectativas da relação museu x escola. 2015. 160 f. Tese (Doutorado) - Curso de Educação, PontifÍcia Universidade Católica do Rio de Janeiro - Puc-rio, Rio de Janeiro, 2013. Disponível em: https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/Busca_etds.php?strSecao=resultado&nrSeq=23930@1&msg=28# . Acesso em: 26 ago. 2018.

ARAÚJO, C. M. Significações sobre adolescência e desenvolvimento em um projeto social educativo.2008. 113 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2008. Disponível em: http://repositorio.unb.br/handle/10482/5715 . Acesso em: 15 jun. 2019.

BARCELOS, B.S. A relação sociedade X tempo X trabalho: como o uso do tempo e a dedicação ao trabalho podem influenciar a vida pessoal e social do ser humano contemporâneo. 2009. 1 f. Monografia (Especialização) - Curso de Produção Cultural, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2009. Disponível em: https://www.administradores.com.br/artigos/economia-e-financas/a-relacao-sociedade-x-tempo-x-trabalho-como-o-uso-do-tempo-e-a-dedicacao-ao-trabalho-podem-influenciar-a-vida-pessoal-e-social-do-ser-humano-contemporaneo/36389/ . Acesso em: 10 ago. 2018.

BARROS, D. D; ALMEIDA, M.C; VECCHIA, T.C. Terapia ocupacional social: diversidade, cultura e saber técnico. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo, São Paulo, v. 18, n. 3, p.128-134, set. 2007. Disponível em: http://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/viewFile/991/795 . Acesso em: 30 ago. 2018.

BIERNACKI, P.; WALDORF, D. Snowball Sampling: Problems and techniques of Chain Referral Sampling. Sociological Methods & Research, n. 2, Nov. p. 141-163, 1981.

BOURDIEU, P. A escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. In: NOGUEIRA, M. A. e A. CATANI (Orgs). Escritos de Educação. Petrópolis: Vozes, 2010a, p. 39-64.

______. Os três estados do Capital Cultural. In: NOGUEIRA. M. A.; CATANI, A. (organizadores). Escritos de Educação. Petrópolis: Editora Vozes, 2010b. p. 71-80

BOUTINET, J.P. A imaturidade da vida adulta. Porto: Rés, 2000.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. São Paulo: Saraiva, 2003.

CAMARGO, L.O.L. O que é lazer. São Paulo: Editora Brasiliense S.A, 1989. Disponível em: https://books.google.com.br/books?id=KGkvDwAAQBAJ&lpg=PT5&ots=2LCGDBK_z4&dq=lazer%20e%20fam%C3%ADlia&lr&hl=pt-BR&pg=PT43#v=onepage&q=Fam%C3%ADlia%20pode%20ser%20lazer?&f=false . Acesso em: 01 out. 2018.

CARNEIRO, V.T.; SAMPAIO, S.M.R. Adultez emergente: um fenômeno normativo? Revista Saúde e Ciência Online, v. 4, n.1, p. 32-40, 2015.

DUMAZEDIER, J. Lazer e cultura popular. São Paulo: Editora Perspectiva S.A., 2001.

______. Sociologia empírica do lazer. São Paulo: Perspectiva, 1979.

DUMAZEDIER, J. Sociologia empírica do lazer. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 2004.

GOMES, C. L. Verbete Lazer – Concepções. In: GOMES, Christianne L. (Org.). Dicionário Crítico do Lazer. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2004. p.119-126.

LEVINSON, D. The Seasons of a Man’s Life. New York: Albert A. Knopf, 1977.

LOPES, A.C.M. O Direito Social ao Lazer em Perspectiva Crítica: Desigualdades e democratização do Acesso. 2017. 197 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Direito, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/31968/31968.PDF . Acesso em: 12 ago. 2018.

MARCELLINO, N. C. Lazer e cultura: algumas aproximações. In: MARCELLINO, N. C. (org.). Lazer e cultura. Campinas: Editora Alínea, 2007

MARCELLINO, N.C. Lazer e educação. Campinas: Papirus, 1987.

______. Estudos do lazer: Uma introdução. Campinas: Autores associados, 2006.

MARTINELLI, S.A. A importância de atividades de lazer na Terapia Ocupacional. Cadernos de Terapia Ocupacional da Ufscar, São Carlos, v. 19, n. 1, p.111-118, jan. 2011.

MASSON, L.F.F; BERTOLO, M.A; PINHEIRO, F.P. A vivência dos conteúdos culturais do lazer dos jovens de São José do Rio Preto. Revista Científica Unilago, São José do Rio Preto, n.p, jan. 2015. Disponível em: http://www.unilago.edu.br/revista/edicaoatual/Sumario/2015/downloads/1.pdf Acesso em: 09 set. 2018.

MENDONÇA, M.P.G. Processo de transição e percepção de adultez: análise diferencial dos marcadores identitários em jovens estudantes e trabalhadores. 2007. 172 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Psicologia Social, Universidade do Porto, Porto, 2007. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/37656531_Processo_de_transicao_e_percepcao_de_adultez_analise_diferencial_dos_marcadores_identitarios_em_jovens_estudantes_e_trabalhadores . Acesso em: 10 out. 2018.

MENEGALDO, P.H.I; BASEI, A.P; BENDRATH, E.A. A Implementação de políticas públicas de lazer e suas relações com o Capital Cultural dos gestores municipais. Licere, Belo Horizonte, v. 20, n. 1, p.250-273, mar. 2017. Disponível em: https://seer.ufmg.br/index.php/licere/article/view/4437/3206 . Acesso em: 26 ago. 2018.

MINAYO, M.C. de S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo-Rio de Janeiro, HUCITEC-ABRASCO, 1992.

______. Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 18. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

MOSQUERA, J.J.M; STOBÄUS, C.D. Vida Adulta: Visão Existencial e Subsídios para Teorização. Educação, Porto Alegre, n. 5, p. 94-112, 1982.

MOURA, R.M. A vida adulta: uma visão dinâmica. Portugal, 1999. Disponível em: http://members.tripod.com/RMoura/vidaadult.htm Acesso em 23 de jan. de 2018.

NASCIMENTO, T. C. M. O tempo livre e a produção da existência da ju-ventude do campo: um estudo com jovens estudantes do assentamento João Batista II - PA. 2017. 144 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências da Educação, Belém, 2017. Programa de Pós-Graduação em Educação. Disponível em: https://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/9314 Acesso em : 18 de jun. 2019

OLIVEIRA, C. B. Sobre lazer, tempo e trabalho na sociedade de consumo. Conexões: Educação Física, esporte e saúde, Campinas, v. 2, n. 1, p.20-34, jan. 2004a. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8637908/5599 . Acesso em: 09 out. 2018.

OLIVEIRA, M.K. Ciclos de vida: algumas questões sobre a psicologia do adulto. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 2, p. 211-229, Aug. 2004b. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022004000200002&lng=en&nrm=iso . Acesso em: 31 mar. 2018.

OLIVEIRA, J.A.; SANGY, M. Sociedade e cultura de consumo: aspectos históricos, simbólicos e culturais do consumo moderno. Políticas e Saúde Coletiva – Belo Horizonte – v. 1. n 2, setembro, 2015.

PALACIOS, J. Introdução à psicologia evolutiva: história, conceitos básicos e metodologia. In: COLL, C.; PALACIOS, J.; MARCHESI, A. (Orgs.) Desenvolvimento psicológico e educação: psicologia evolutiva. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

SANTOS, B. S; ANTUNES, D. D. Vida adulta, processos motivacionais e diversidade. Educação, Porto Alegre/rs, v. 61, n. 1, p.149-164, jan. 2007.

SCHWARTZ, G. M. et al. Mídia impressa, comunicação e a disseminação do lazer. Efdeportes.com/ Revista Digital, Buenos Aires, v. 10, n. 88, p.1-1, set. 2005. Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd88/midia.htm . Acesso em: 01 out. 2018.

SILVA, E.A.P.C; SILVA, P.P.C. LAZER, TRABALHO E CONSUMO: POSSÍVEIS APROXIMAÇÕES. Licere, Belo Horizonte, v. 14, n. 3, p.1-22, set. 2011. Disponível em: https://seer.ufmg.br/index.php/licere/article/view/487/379 . Acesso em: 17 ago. 2018.

SOUSA, F. O que é “ser adulto”? As práticas e representações sociais – A Sociologia do Adulto. In: CONGRESSO PORTUGUÊS DE SOCIOLOGIA, 6., 2008, Lisboa. Anais... Lisboa: Universidade Nova Lisboa, 2008. p. 1 - 21. Disponível em: http://historico.aps.pt/vicongresso/pdfs/395.pdf . Acesso em: 08 out. 2018.

SOUSA, F. O que é "ser adulto"? Porto: Memória Imaterial, 2010. 340 p.

TASCHNER, G. B. Lazer, cultura e consumo. Rae: Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 40, n. 4, p.38-47, out. 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rae/v40n4/v40n4a04.pdf . Acesso em: 09 out. 2018.

TROMBLY, C. A.; RADOMSKI, M. V. Terapia Ocupacional para Disfunções Físicas. 5.ed. São Paulo: Santos Editora, 2005.

VINUTO, J. Amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: Um debate em aberto. Temáticas, Campinas, v. 44, n. 22, p.203-220, ago. 2014.

ZAROTIS, G. F.; KATSAGOLIS, A.; MITROTASIOS, M. Free time and its alteration tendencies. Studies in Physical Culture & Tourism, v. 14, n. 2, p. 179-184, 2007.

Downloads

Publicado

2019-12-24

Como Citar

Braga, I. F., & Santos, A. R. B. dos. (2019). Concepções de Lazer sob a Perspectiva dos Adultos. LICERE - Revista Do Programa De Pós-graduação Interdisciplinar Em Estudos Do Lazer, 22(4), 285-316. https://doi.org/10.35699/1981-3171.2019.16270

Edição

Seção

Artigos Originais