A Historicidade dos Direitos Humanos e os Pensamentos de Bobbio e Arendt na Construção do Direito ao Trabalho e ao Lazer

  • Daniela Menin Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)
Palavras-chave: Direitos Humanos, Direito ao Trabalho, Legislação Trabalhista, Direito ao Lazer

Resumo

A partir das premissas apontadas por Norberto Bobbio em sua obra “A Era dos Direitos” e por Hannah Arendt, em sua obra “A condição Humana”, verifica-se a historicidade dos Direitos Humanos e sua influência no ordenamento jurídico brasileiro, particularmente na Constituição Federal de 1988 e na construção teórica, positivação e efetividade do direito do trabalho e do direito ao lazer do trabalhador. Neste sentido, o enfoque principal está na historicidade dos Direitos Humanos defendida por Bobbio e na importância do direito ao trabalho e ao lazer destacado por “Hannah Arendt.”. Também recebe destaque neste trabalho as Cartas Encíclicas Pacem in Terris e Rerum Novarum, que figuram como elemento importante na historicidade dos Direitos Humanos, inclusive na construção do Direito do trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARENDT, Hannah. A Condição humana. São Paulo: Editora Forense Universitária LTDA.1993.

______. Origens do totalitarismo. Trad. Roberto Raposo. São Paulo: Cia das Letras, 2000.

BARROS, Alice Monteiro de. Curso de Direito do Trabalho. 4. ed. São Paulo: LTr, 2008.

BARUFFI, Helder. Os direitos sociais na Constituição de 1988 e algumas reflexões em torno de sua concretização. Anima: Revista Eletrônica do Curso de Direito da Opet, v. 3, p. 80-97, 2010.

BOBBIO, Noberto. A Era dos Direitos. 9. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

BOLZAN DE MORAIS, José Luís. Do direito social aos interesses transindividuais. Tese de Pós Graduação do Curso de Direito da UFSC. Florianópolis, 1995.

CALVET, Otávio Amaral. Direito ao lazer nas relações de trabalho. São Paulo: LTr, 2006.

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA. Edição típica vaticana. São Paulo: Loyola, 2000.

COMPARATO, Fábio Konder. A afirmação histórica dos direitos humanos. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 2005.

DUMAZEDIER, Joffre. Lazer e cultura popular. São Paulo: Perspectiva, 2004.

JOÃO XXIII, Papa. Encíclica do Papa João XXIII: "Pacem in Terris" – 1963. Disponível em: https://w2.vatican.va/content/john-xxiii/pt/encyclicals/documents/hf_j-xxiii_enc_11041963_pacem.html Acesso em: 02 dez. 2016.

LAFARGUE, Paul. O Direito à Preguiça. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 2000.

LAFER, Celso. A reconstrução dos Direitos Humanos - um diálogo com o pensamento de Hannah Arendt. São Paulo: Cia. das Letras, 1988.

LEÃO XIII, Papa, Carta Encíclica Rerum Novarum. Disponível em: https://w2.vatican.va/content/leo-xiii/pt/encyclicals/documents/hf_l-xiii_enc_15051891_rerum-novarum.html Acesso em: 13 dez. 2016.

LEITE, Celso Barroso. O Século do Lazer. São Paulo: Editora LTR, 1995.

MAGNANI, José Guilherme C. O lazer na cidade. Texto apresentado ao Condephaat. São Paulo, v. 4, 1994.

MARTINS, Sergio Pinto. Direito do Trabalho. 27. ed. São Paulo: Atlas, 2011. p. 8.

OLIVEIRA, Márcio Batista de. O direito ao lazer na formação do homem social. Âmbito Jurídico.com.br, XIII, v. 76, 2010.

PIOVESAN, Flávia. Diretos Humanos e o direito constitucional internacional. 15. ed. São Paulo: Saraiva, 2015.

Publicado
2018-12-23
Como Citar
Menin, D. (2018). A Historicidade dos Direitos Humanos e os Pensamentos de Bobbio e Arendt na Construção do Direito ao Trabalho e ao Lazer. LICERE - Revista Do Programa De Pós-graduação Interdisciplinar Em Estudos Do Lazer, 21(4), 471-501. https://doi.org/10.35699/1981-3171.2018.1950
Seção
Artigos de Revisão