A Dialética da Rosa - Alienação e cotidiano em tempos de crise na obra de Carlos Drummond de Andrade

Autores

  • Esther Maria Passos Simões Fróes Guimarães Universidade Federal de Minas Gerais - Estudante

Palavras-chave:

Drummond, Sociologia da Vida Cotidiana, Alienação, Crise da consciência burguesa, modernismo

Resumo

O artigo analisa trabalhos de Carlos Drummond de Andrade para compreender relações entre cotidiano, arte e alienação da vida burguesa no início do século XX. Utilizando formulações de Lefebvre e Heller na sociologia da vida cotidiana, analisam-se poemas e elementos biográficos para compreender as manifestações da fragmentação da vida na poesia drummondiana. Conclui-se que os conflitos forma-conteúdo em sua obra manifestam a crise da consciência burguesa, em contraposição à potência da consciência de classe operária Isso vai de encontro com o que sugere Lefebvre, Lukács e Heller sobre a potência do estudo do cotidiano como forma de assimilação da vida particular dentro da totalidade. Além disso, a condição periférica desponta como aspecto importante que dá particularidade à estética da obra do autor. Sua poesia emerge na luta permanente do sujeito para reconectar sinais perdidos da não-mercantilização, encontro do outro em tempos de anulação fascista da alteridade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-11-29

Como Citar

GUIMARÃES, E. M. P. S. F. A Dialética da Rosa - Alienação e cotidiano em tempos de crise na obra de Carlos Drummond de Andrade. Revista Multiface Online, [S. l.], v. 4, p. 27–43, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/multiface/article/view/20140. Acesso em: 9 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos Livres