Teoria da Regulação e Crise do Fordismo

Autores

  • Ana Carolina Bottega de Lima Universidade Federal de Minas Gerais
  • Ivan Prates Sternick Universidade Federal de Minas Gerais

Palavras-chave:

Teoria da Regulação, teoria das crises, crise do fordismo.

Resumo

Este trabalho trata da crise do fordismo, tendo como base a teoria das crises elaborada pela Teoria da Regulação, abordando também as origens e os fundamentos dessa escola. No contexto do fim dos anos de crescimento capitalista vigoroso, que se deu na década de 1970, a Teoria da Regulação emergiu como uma nova corrente do pensamento econômico, construindo uma análise do processo e da dinâmica de acumulação capitalista. Em particular, essa escola se consolidou na teoria econômica a partir da elaboração de sua teoria das crises. Assim, forneceu interpretações alternativas a crise dos anos 1970, se contrapondo às explicações da teoria econômica tradicional, ao considerar a crise como um fenômeno endógeno.  Partindo dessa proposta para compreender a crise do fordismo, encontrou-se uma teoria com amplo potencial de explicação, e a partir de seu estudo, pode-se obter uma compreensão mais ampla dos fenômenos econômicos. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Bottega de Lima, Universidade Federal de Minas Gerais

Ciências Econômicas

Ivan Prates Sternick, Universidade Federal de Minas Gerais

Ciências Econômicas

Downloads

Publicado

2017-11-28

Como Citar

LIMA, A. C. B. de; STERNICK, I. P. Teoria da Regulação e Crise do Fordismo. Revista Multiface Online, [S. l.], v. 5, n. 2, p. 7–21, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/multiface/article/view/20160. Acesso em: 27 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos