Parmênides no carro das sombras

Parmenides in the Car of Shadows

Autores

Palavras-chave:

Jônios, Exílio, verdade, sentido, razão

Resumo

Com a invasão persa do século VI a.C., diversos filósofos jônicos precisaram deslocar suas escolas para a Grécia continental e a Magna Grécia, fluxo emigratório intenso constituído por refugiados extremamente cultos. Entre alguns desses ilustres emigrantes, encontramos Pitágoras de Samos, Xenófanes de Cólofon e Parmênides de Eléia. Exilados da Jônia cada um a seu tempo, esses cosmólogos e filósofos, conhecidos erroneamente pela etiqueta dos “pré-socráticos”, promoveram a filosofia tanto quanto Sócrates. Acostumados aos contatos interculturais promovidos em sua região (com babilônicos, egípcios e gregos), os pensadores jônicos se tornaram sensíveis ao problema da verdade e à ideia de examinar criticamente um relato quanto a sua capacidade de extrapolar impressões sensoriais, ou seja, quanto a sua capacidade de apreensão intelectiva do real. Por fim, investiga-se mais detidamente, em Parmênides, a plenitude de uma transformação filosófica dos elementos sensíveis do mundo em elementos racionais do pensamento humano, tendo como base a análise dos fragmentos de sua obra intitulada Da Natureza.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Vecchio Alves, Universidade Estadual de Campinas (UNiCAMP), Campinas, São Paulo / Brasil

Daniel Vecchio Alves possui formação interdisciplinar nas Ciências Humanas: é mestre em Estudos Literários e licenciado em História pela Universidade Federal de Viçosa (UFV).  Atualmente cursa o doutorado em História Cultural pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), onde é pesquisador-bolsista do CNPq. Possui também formação na área educacional, com especialização em Docência no Ensino Superior pelo Senac-SP e com mestrado em andamento em Educação e Tecnologias Digitais pela Universidade de Lisboa. Publicou recentemente o livro “Bestas e reinos lendários no imaginário das navegações ultramarinas” (Novas Edições Acadêmicas, 2016), e tem publicado artigos em diversos periódicos científicos nacionais e internacionais. Seus interesses de pesquisa permeiam os hibridismos entre História e Ficção, a História dos Imaginários (em especial o Imaginário Português), a Literatura Ibérica de Viagens Ultramarinas dos séculos XV e XVI (incluindo também a Historiografia dos Descobrimentos), a História da Literatura, o Romance Português e a História da Educação. Faz parte dos Grupos de Pesquisa NEP (Núcleo de Estudos Portugueses da UFV) e Mare Liberum (Centro de Estudos e Referências sobre a Cartografia Histórica da Unicamp).

Referências

ANAXIMANDRO (de Mileto). Doxografia. Trad. Wilson Regis. In: SOUZA, José Cavalcante (org.). Os Pré-Socráticos. São Paulo: Nova Cultural, 2000. p. 60-62.

AUGÉ, Marc. As formas do esquecimento. Trad. Ernesto Sampaio. Lisboa: Íman Edições, 2001.

CONFORD, Francis McDonald. Antes e depois de Sócrates. Trad. Paula Godoi Arbex e Sérgio Marra de Aguiar. São Paulo: Princípio, 1994.

CORNELLI, Gabriele. A descida de Parmênides: anotações geofilosóficas às margens do prólogo. Anais de Filosofia Clássica, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 46-58, 2007.

COSTA, Alexandre. Apresentação. In: HERÁCLITO. Fragmentos contextualizados. Trad. Alexandre Costa. Lisboa: IN-CM, 2005. p. 13-38.

ELIADE, Mircea. Mito e realidade. Trad. Pola Civelli. São Paulo: Editora Perspectiva, 1972.

HAVELOCK, Eric. Prefácio a Platão. Trad. Enid Abreu Dobránzsky. Campinas: Papirus, 1996.

HEIDEGGER, Martin. Parmênides. Trad. Sérgio Mário Wrublevski. Petrópolis: Vozes; Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco, 2008.

HERÁCLITO. Fragmentos contextualizados. Trad. Alexandre Costa. Lisboa: IN-CM, 2005.

HERÓDOTO. História. 2. ed. Trad. J. Brito Broca. São Paulo: Ediouro, 2001.

HESÍODO. Teogonia: a origem dos deuses. 3. ed. Trad. Jaa Torrano. São Paulo: Iluminuras, 1995.

JAEGER, Werner W. Paidéia: a formação do homem grego. 3. ed. Trad. Artur M. Parreira. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

KAHN, Charles H. Sobre o verbo grego ser e o conceito de ser. S/trad. Rio de Janeiro: Núcleo de Estudos de Filosofia Antiga, 1997.

MIRANDA, Daniel Carreiro. A história da hermenêutica: uma reflexão a partir do conceito de tradição. 178f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

PARMÊNIDES. Da natureza. Trad. Fernando Santoro. Rio de Janeiro: Laboratório Ousia / UFRJ, 2006.

POPPER, Karl R. O mundo de Parmênides: ensaios sobre o iluminismo pré-socrático. Trad. Roberto Leal Ferreira. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

SAID, Edward. Cultura e Imperialismo. Trad. Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

SANTORO, Fernando. Um monumento da Filosofia (Prefácio). In: PARMÊNIDES. Da Natureza. Trad. Fernando Santoro. Rio de Janeiro: Laboratório Ousia / UFRJ, 2006. p. 5-10.

SCHÜLER, Donaldo. Mythos e logos nos diálogos platônicos. Letras Clássicas, São Paulo, n. 2, p. 317-333, 1998. DOI: https://doi.org/ 10.11606/issn.2358-3150.v0i2p317-333

SEBASTIANI, Breno B. Ficção e verdade em Heródoto e Tucídides. Ágora. Estudos Clássicos em Debate, Vitória, n. 20, p. 53‐74, 2018.

SIMAAN, Arkan; FONTAINE, Joëlle. A imagem do mundo: dos babilônios a Newton. Trad. Dorothée de Bruchard. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

SOUZA, José Cavalcante (org.). Os Pré-Socráticos. São Paulo: Nova Cultural, 2000.

TALES (de Mileto). Doxografia. Trad. Wilson Regis. In: SOUZA, José Cavalcante (org.). Os Pré-Socráticos. São Paulo: Nova Cultural, 2000. p. 51-53.

Downloads

Publicado

2020-12-21

Como Citar

Alves, D. V. (2020). Parmênides no carro das sombras: Parmenides in the Car of Shadows. Nuntius Antiquus, 16(2), 7–30. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/nuntius_antiquus/article/view/21645

Edição

Seção

Artigos